Engenharia 360

COP27 Egito: o possível plano para a restauração da Amazônia

Engenharia 360
por Redação 360
| 17/11/2022 | Atualizado em 29/11/2022 3 min

COP27 Egito: o possível plano para a restauração da Amazônia

por Redação 360 | 17/11/2022 | Atualizado em 29/11/2022
Engenharia 360

Nesta semana, durante a realização da COP27, pesquisadores da Universidade de Lancaster, no Reino Unido, apresentaram um modelo de roteiro para a restauração em larga escala da Amazônia. Seria a criação de um corredor verde a partir da Colômbia, passando pelo Peru e pela Bolívia e chegando até o Maranhão. Resumindo, mudar o processo de destruição para restauração dessa região. Por que, sim, parar o desmatamento não é suficiente para o combate da crise climática em nosso planeta – não mais!

cop27
Área a desmatada na Amazônia | Imagem reproduzida de Canal Rural

Como pôr em prática este plano ambicioso?

Olha, não seria fácil, com certeza? Talvez, no mínimo, bilhões de dólares para pôr em prática este plano ambicioso, até porque a Amazônia já perdeu 17% de sua floresta e se aproxima do chamado ponto de não retorno, a partir do qual não consegue se regenerar e transforma-se em uma savana. E de onde poderia vir este dinheiro? Bem, de investimentos públicos e privados. Mas valeria a pena, porque isso é essencial para o equilíbrio climático do nosso planeta. Então, não deveria ser algo interpretado como uma despesa, mas um custo-benefício incalculável!

“Existe uma grande oportunidade de restauração em escala em terras públicas recém-desmatadas e nas terras ainda não destinadas.”, “Em algumas dessas áreas não é preciso plantar nada, apenas deixar a floresta se refazer naturalmente.” – Jos Barlow, um dos autores e pesquisador da Universidade de Lancaster

A saber, de acordo com os cientistas, nas áreas protegidas da Amazônia, há mais 0,8 milhão de hectares que poderiam ser regenerados sem a necessidade de gastos excessivos no plantio de árvores.

cop27
Climatologista, Carlos Nobre | Imagem reproduzida de O Globo

O cumprimento desta restauração estaria dividido em sete metas:

  1. Evitar o desmatamento ilegal, o que é prometido pelo nosso governo para 2030 – infelizmente, nos últimos anos nada foi feito nesse sentido.
  2. Evitar a degradação florestal, permitindo que milhões de hectares se recuperem e recuperem seus estoques de carbono, a biodiversidade e os serviços prestados pelo ecossistema.
  3. Resolver a questão fundiária.
  4. Restauração em terras privadas, com exigência do cumprimento da lei e plantio de áreas de reserva legal em propriedades com passivo ambiental.
  5. Criação de mais mecanismos e incentivos para a prática de projetos ambientais.
  6. Adequação das políticas – inclusive é o que está recomendado no texto apresentado em painel no pavilhão do Consórcio dos Governadores da Amazônia Legal, na COP27.
  7. Inibição das especulações de terras, o principal vetor do desmatamento da Amazônia.

Veja Também:

Confira, a seguir, o discurso completo do presidente eleito no Brasil, Lula, na COP27:


Fontes: O Globo.

Engenharia 360

Redação 360

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo