Engenharia 360

Mudanças climáticas: cientistas descobrem que o 'brilho' da Terra está diminuindo e mais

Engenharia 360
por Redação 360
| 14/11/2022 | Atualizado em 19/11/2022 4 min

Mudanças climáticas: cientistas descobrem que o 'brilho' da Terra está diminuindo e mais

por Redação 360 | 14/11/2022 | Atualizado em 19/11/2022
Engenharia 360

O Sol é fonte de luz primária, um corpo luminoso; já a Lua é fonte secundária. Então, a nossa Lua não brilha, nem os planetas ao nosso redor, nem a Terra. Mas esses corpos refletem a luz dessa estrela central do Sistema Solar. Só que esse nível de reflexão vai depender, do mesmo modo como observamos em peças feitas de diferentes materiais – por exemplo, placas de madeira e placas de metal refletem diferente. Acontece que essa capacidade de reflexão ou o “brilho” da Terra está diminuindo. E os cientistas garantem que isso tem muito a ver com as mudanças climáticas.

Por que o ‘brilho’ da Terra está diminuindo?

Infelizmente, muitos dos impactos das mudanças climáticas são devastadores e cada vez mais evidentes para a ciência. Já sabemos das grandes inundações, ventos fortes e… agora, parece que também o planeta mais escuro. Isso foi constatado em pesquisa do Big Bear Solar Observatory, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, com base em medições da luz solar refletida da Terra para a parte escura da Lua à noite. Isso confirmou que a cobertura de nuvens baixas está diminuindo devido ao aquecimento da temperatura do oceano, consequentemente a refletividade da Terra.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mudanças climáticas
Imagem reproduzida de HypeScience

Outros “sintomas” das mudanças climáticas

1. Degelo em permafrosts

Permafrost é um terreno comum em regiões com montanhas altas e nas latitudes mais altas da Terra, completamente congelado (a – 0 ° C ou mais frio), neste estado por pelo menos 2 anos seguidos. Desse jeito são zonas da província russa Sibéria. E, recentemente, cientistas locais registraram temperaturas mais quentes do solo, que vêm provocando explosão espontânea de bolsões subterrâneos de gás. Este é um dos sinais das mudanças radicais que nosso planeta tem passado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mudanças climáticas
Imagem reproduzida de Outras Palavras

2. Animais mudando de sexo

Os animais também sofrem, claro, com as mudanças climáticas. Seu organismo se esforça para se adaptar às alterações de temperatura, oferta de alimentos e mais – embora tudo isso esteja acontecendo mais rápido do que a natureza poderia adequadamente se preparar, como foi ao longo dos séculos. E os cientistas já repararam que, por isso, diversas criaturas, como répteis dragões barbudos, da Austrália, estariam mudando o sexo quando são incubados a uma certa temperatura, tornando os machos cada vez mais raros à medida que o mundo aquece, possivelmente os levando à extinção.

Já nos oceanos e em outros biomas no mundo, os problemas identificados foram outros, porém ainda bastante graves. Com os níveis crescentes de dióxido de carbono do gás de efeito estufa, os peixes estariam perdendo o olfato; e sendo menos sensíveis ao ambiente, não conseguiriam encontrar alimento. Sem contar, em diversas partes do mundo, filhotes de aves eclodindo dos ovos antes do tempo. Por fim, as mudanças recorrentes da cadeia alimentar atingem de pequenas larvas a grandes mamíferos.

mudanças climáticas
Imagem reproduzida de O Globo

3. Alimentos em falta

O clima, em meio a estas mudanças climáticas, está também dificultando o cultivo de alimentos por todo o mundo. Alimentos básicos como trigo, milho e café já estão sendo afetados. E especialmente nos últimos anos, houve uma notável escassez em todos os países, elevando os preços nos supermercados. Chegou ao ponto da empresa Huy Fong Foods publiar uma nota esclarecendo aos seus clientes sobre a dificuldade de produção das suas garrafas de molho de pimenta – em comparação, é como o “molho especial” do McDonalds.

mudanças climáticas
Imagem reproduzida de Konbini Produtos Orientais

4. Escassez de água

Para finalizar, as mudanças climáticas estão até mesmo dificultando os esforços para reduzir as emissões de carbono. Recentemente, o Grupo EDF, que também atua no Brasil, precisou reduzir a produção de usinas nucleares na França, porque não havia água fria suficiente nos rios franceses. Isso também foi sentido no nosso país entre 2020 e 2021, com a diminuição do volume de chuvas, situação agravada pelo desmatamento desenfreado das florestas.

mudanças climáticas
Imagem reproduzida de Valor Econômico

As mudanças climáticas são tema chave da COP27, que ocorre neste ano, no Egito. A afirmação dos cientistas é de que precisamos diminuir drasticamente os impactos que causamos na natureza. Se o mundo continuar, nessa velocidade, aquecendo, provavelmente iremos testemunhar logo outras consequências inesperadas e surpreendentes.

Veja Também: COP27 Egito: mais uma vez o mundo se reúne para discutir sobre a preservação ambiental


Fontes: G1.

Engenharia 360

Redação 360

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo