Engenharia 360

Bio Arquitetura: entenda o seu conceito e como ele tem influenciado o planejamento de espaços urbanos

Engenharia 360
por Simone Tagliani
| 18/05/2021 | Atualizado em 28/01/2023 6 min

Espaços urbanos bem planejados, inspirados na natureza, oferecem melhor qualidade para os seus usuários, fora que impactam menos o meio ambiente. Saiba+!

Bio Arquitetura: entenda o seu conceito e como ele tem influenciado o planejamento de espaços urbanos

por Simone Tagliani | 18/05/2021 | Atualizado em 28/01/2023

Espaços urbanos bem planejados, inspirados na natureza, oferecem melhor qualidade para os seus usuários, fora que impactam menos o meio ambiente. Saiba+!

Engenharia 360

Cidades são como organismos vivos; e, no dia a dia, nós nos relacionamos com estes espaços urbanos de modos e intensidades diferentes!

Gerenciar os seus sistemas e o que faz tudo isso funcionar não é tarefa fácil! Existem diversos problemas a serem superados! Contudo, podemos nos inspirar até na própria natureza divina para encontrar ideias de como construir cidades melhores e mais sustentáveis!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Este conceito está justamente ligado ao que propõe a Bio Arquitetura ou Bio Urbanismo – pensando numa alteração nos padrões atuais de consumo e avaliação do ciclo de vida dos insumos e recursos utilizados na cadeia da Construção Civil. A ideia é deixar um cenário mais promissor para as futuras gerações!

arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Mobuss Construção

Qual o significado do conceito de Biofilia?

Infelizmente, o Brasil vive hoje um dos períodos de maior crise. Os problemas causados pela política têm impactado não só a natureza, mas as relações entre pessoas e o resgate dos valores essenciais para tornar o país melhor. Boa parte da população vive em grandes centros urbanos. Contudo, esses espaços urbanos apresentam graves problemas de construção e manutenção – que tem impactado seriamente na saúde física e mental das pessoas.

Em todo mundo, há um consenso de que nunca se teve tanto a necessidade de um maior contato com a natureza – e o respeito maior para com ela. A Biofilia trata justamente dessa ideia de ‘como precisamos e podemos interagir e nos relacionar com a natureza’. Claro que percebemos que esta realidade está longe de ser alcançada, visto que há uma dicotomia tradicional entre meio urbano e o meio rural!

arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Namu

Como devem ser os novos espaços urbanos?

Tudo que estamos vivenciando no presente momento só é mais um lembrete de que existe uma necessidade urgente de mudança de paradigma com relação à forma como planejamos e construímos as nossas cidades e lidamos com a natureza. Para saber como devem ser as nossas ações daqui para adiante, teríamos que responder às seguintes questões: 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Qual o potencial das nossas paisagens naturais e construídas? E como tirar o melhor proveito disso?
  • O que precisaríamos fazer para criar espaços urbanos mais adaptáveis, resistentes e eficientes?
  • Como os projetos de Arquitetura e Urbanismo podem tornar as cidades mais habitáveis, oferecendo melhor qualidade de vida para os seus habitantes?
  • Como usufruir melhor da economia verde?
  • O que fazer para transformar os planos diretores existentes em planos diretores verdes?
  • E como os sistemas gestores podem garantir melhor os direitos oferecidos pelos governos e pela natureza, promovendo um ambiente mais igualitário e sustentável?
arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Arquitetura 101

A Biofilia na Arquitetura

Atualmente, o termo Biofilia tem sido bastante utilizado na defesa de estratégias de Projetos de Arquitetura que propõe a reconexão das pessoas com o ambiente natural através de um Design Biofílico. Contudo, a primeira vez que alguém realmente ouviu falar disso foi com o ecólogo americano Edward O. Wilson, em seu livro publicado no ano de 1984.

A saber, ‘Bio’ significa ‘vida’ e ‘Philia’ significa ‘amor ou satisfação’; já a junção significaria ‘amor pela vida’!

Já o analista alemão Erich Fromm descreve a Biofilia como “alimentação citológica de atração por tudo àquilo que é vivo e vital”. Pensando ainda na obra de Edward, poderíamos dizer que a Arquitetura Biofílica estaria voltada às pessoas que sentem essa falta de ligação emocional genética com a natureza – algo que sempre esteve presente em quase toda a história humana e que agora, na contemporaneidade, se perdeu.

Hoje, grande parte das pessoas vivem nas cidades, em um território limitado, com poucas áreas arborizadas e alta densidade de população. Em contrapartida, os pesquisadores têm estudado mais a natureza para entender todo o seu potencial. E os planejadores urbanos têm incentivado que os políticos aceitem a criação de mais áreas de praças, parques e outros tipos de cinturões em verdes, para melhorar a condição das cidades e do planeta, combatendo o Aquecimento Global com a redução das ilhas de calor urbanas

arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Arquitetura e Construção

A Biomimétrica

A Biomimétrica é um processo integrado com a biotecnologia e que é utilizado na Arquitetura e no Design Urbano para o desenvolvimento de elementos e sistemas para construções civis com base naquilo que é encontrado no mundo natural. Pode-se dizer que é uma espécie de imitação da ciência da vida! Por exemplo, as casas construídas por cupins, as estruturas montadas por lagartas, as redes tecidas por aranhas, e mais. Sim, toda essa genialidade pode servir de inspiração para os projetos humanos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Archdaily
arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Archdaily

Veja Também: Sustentável, casa espiral com telhado verde propõe total interação com a natureza

A Biofilia no Urbanismo

Precisamos destacar que a Biofilia é entendida pela Arquitetura não apenas como uma ferramenta, mais uma enorme fonte de conhecimento e de inspiração, abrindo caminho para um novo campo também no Urbanismo, o Bio Urbanismo.

Agora passamos a olhar de novo para o passado e entender o que é crucial para manter a qualidade de vida nas cidades – ou seja, como tornar o habitat humano mais habitável?!

Não era necessário dizer para os nossos antepassados que era preciso ter árvores e flores em seu jardim. Eles sabiam que isso era importante para que a biodiversidade local fosse alimentada. Naquele tempo, as cidades também tinham mais terrenos desocupados e as construções em geral eram feitas de materiais e em sistemas menos impactantes para a natureza. Mas hoje os urbanistas tentam entender como o que fazer para conscientizar as pessoas de que não podemos sobreviver simplesmente estando em meio a paredões de concreto e de como explorar a interseção entre as cidades e o mundo natural ao redor.

arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Arquiteto Leandro Amaral

É claro que o Bio Urbanismo não pode ser pensado de modo isolado. Ele precisa estar alinhado ou ser um complemento da Arquitetura Verde, pensando desde o início para diminuir o impacto ambiental do mundo construído. Deve analisar as experiências pessoais, sociais e culturais das pessoas nos espaços urbanos em que elas vivem. Seus projetos ajudam a reforçar o contato perpétuo de todos com a natureza, propondo mais inclusão de espaços verdes integrados a soluções de design inteligente – que promovam o convívio social de pessoas em torno desta natureza. E, neste caso, cada construção é única, respeita e ajuda o meio ambiente!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Archdaily

Veja Também: Linha Verde: projeto irá transformar ponte em passarela produtora de alimentos em Paris

Conclusão 

Nos últimos anos, nós, aqui no Brasil, temos vivido uma realidade muito triste – uma violência sem precedentes, muita poluição e degradação do meio ambiente, e um enorme desrespeito entre os cidadãos! Precisamos urgentemente retomar o vínculo com certos valores perdidos! E devemos nos unir na luta para salvar o único habitat que temos, a Terra!

Pois a Biofilia é um caminho para as cidades coexistirem com a natureza em perfeita harmonia! 

arquitetura e urbanismo
Imagem extraída de Archtrends Portobello

Digamos que, portanto, a nova Arquitetura ou Arquitetura do Futuro precisa revolucionar a maneira como construímos os espaços urbanos, preservando e recuperando a natureza; mesclando melhoras as suas tecnologias com ecologia; investindo em planejamentos e projetos integrados; criando mais modelos de edifícios combinando arte e natureza. Mas é claro que isso só será possível através de uma educação ambiental melhor aplicada em todo o país! 

Comece você este movimento! Em sua casa, crie alguns símbolos do ambiente natural para educar as suas crianças! E coloque nas suas redes sociais mensagens curtas lembrando a sociedade da importância de se estar mais em contato com o meio ambiente, da ciência dos seus problemas e participação nas ações para a sua melhoria e preservação!

“Preservar o meio ambiente não é uma questão de “gostar ou não de natureza”, mas sim de sobrevivência e busca de equilíbrio com o planeta. Se não salvarmos espécies e ambientes, talvez não possamos salvar nós mesmos. Dependemos mais da natureza do que podemos imaginar.” – citação em reportagem de eCycle.

Compartilhe esse texto com pessoas que possam realmente ficar tocadas por esta mensagem!

Veja Também: Engenharia Verde: um modelo que também inspira muitas outras áreas do mercado


Fontes: ArchDaily, ArchDaily 2, Sustentarqui, Ecycle, Marcelo Vassalo.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; técnica em Publicidade; pós-graduada em Artes Visuais, Jornalismo Digital e Marketing Digital; estudante de Gestão de Projetos; e proprietária da empresa Visual Ideias.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo