Engenharia 360

Revolucionária, célula solar menor que painéis solares deve mudar o mercado renovável

Engenharia 360
por Redação 360
| 06/10/2022 | Atualizado em 10/10/2022 2 min

Revolucionária, célula solar menor que painéis solares deve mudar o mercado renovável

por Redação 360 | 06/10/2022 | Atualizado em 10/10/2022
Engenharia 360

A ciência está trabalhando muito mais nos últimos tempos para encontrar respostas eficazes para solucionar a crise energética global. Já temos em desenvolvimento novas propostas para energia nuclear, energia eólica, energia ondomotriz e também, é claro, energia por células solares. Por exemplo, recentemente, foi apresentado ao mercado renovável a ideia de placas capazes de captar muito mais luz. Elas teriam 10 mil vezes menos espessura que os painéis solares convencionais. Veja a seguir!

Novo material para painéis solares

Uma célula solar convencional é feita à base de silício. Alguns pesquisadores já fizeram propostas de substituição do material por chumbo em soldas e até medicamentos de venda livre para estômago, pode acreditar. Não muito noticiamos a incrível notícia ainda de equipe brasileira que propôs usar a casca e líquido da castanha de caju.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Agora a nova proposta dos cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, é usar o sulfeto de bismuto de sódio, não tóxico e em abundância na terra para uso comercial. O mesmo poderia ser cultivado na forma de nanocristais. Depois, eles seriam espalhados em uma solução para realizar filmes de 30 nanômetros de espessura.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Principais vantagens encontradas no bismuto de sódio:

  • Ser forte e nítido na absorção de energia solar.
  • Absorver a luz com mais força do que as tecnologias convencionais de células solares.
  • Poder ser impresso por meio de uma tinta.
  • Potencial para produzir célula solar mais leve, que poderia ser mais facilmente transportada ou utilizada em aplicações aeroespaciais.
  • E durabilidade a longo prazo, algo essencial para células solares.
energia de painéis solares
Imagem reproduzida de Portal Energia

Por que absorve mais energia solar?

Durante investigação em laboratório, os cientistas perceberam que o novo modelo de placa solar se manteve estável no ar ambiente durante todo o tempo do estudo, que durou quase um ano, sem precisar de encapsulamento, o que se assemelha a outros novos materiais fotovoltaicos, como as perovskitas de haleto de chumbo. Os fatores que determinam isso são a desordem cristalina e o papel do sódio.

O interessante é que o comportamento dos íons, nesse caso, resulta em uma estrutura cristalina que se parece demais com o que acontece com o cloreto de sódio, ou sal de cozinha. A diferença entre eles estaria na capacidade de distribuição pelo material. A não-homogeneidade seria um efeito importante na intensidade de absorção! Se você estiver se perguntando ainda sobre o sódio, não, ele não contribuiria bem para os estados eletrônicos do semicondutor.

Veja Também: Quais são as 5 maiores usinas solares do Brasil? Conheça agora!


Fontes: Click Petróleo e Gás.

Engenharia 360

Redação 360

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo