Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

17 melhores imagens científicas de 2019 pela Nature

por Kamila Jessie | 19/12/2019
Copiado!

Tem aquela história de que “uma imagem vale mais do que mil palavras”, então a gente trouxe uma narrativa científica inteira, com base na seleção da de imagens que resumem a ciência de 2019 para a Nature, referência mundial. Então vamos dar uma pausa nas fotos de baby Yoda e conferir!

1. A foto do buraco negro

imagem buraco negro
Imagem: ETH Collaboration

Claro que a gente precisa começar pela foto do buraco negro. A colaboração do Event Horizon Telescope revelou esta primeira imagem direta de um buraco negro e seu horizonte de eventos em abril. A equipe usou oito observatórios de rádio para capturar o anel de luz ao redor do vazio, que está no centro da galáxia Messier 87. E se você não leu sobre Katherine Bouman, a engenheira por trás dessa maravilha, é melhor correr aqui.

2. Vai no fluxo

imagens 2019
Imagem: Benoit Charlot; CNRS; IES Univ. Montpellier; Labex NUMEV

Pesquisadores franceses esculpiram um labirinto de câmaras microfluídicas em uma pastilha de silício para imitar o fluxo sanguíneo nas redes circulatórias. O biofísico Benoît Charlot, da Universidade de Montpellier, França, capturou esta imagem usando um microscópio eletrônico de varredura.

3. Círculo celular

imagens 2019
Imagem: Carly Ziegler, Alex Shalek, Shaina Carroll (MIT) and Leslie Kean, Victor Tkachev and Lucrezia Colonna (Dana-Farber Cancer Institute); Wellcome Photography Prize 2019

Cada pequeno ponto neste círculo representa uma das cerca de 100.000 células de macacos rhesus. Células com características semelhantes se agrupam, e cada cor representa diferentes tecidos, como timo e linfonodos (azul) e medula óssea (vermelho). Esse tipo de diferenciação celular em imagens é importante em diversas aplicações biomédicas e da biologia e pode ser assistido por técnicas de reconhecimento de padrões e inteligência artificial.

4. Trompetes minúsculos

imagens 2019 nature
Imagem: Dr. Igor Siwanowicz

Os stentors são um grupo de protozoários de água doce unicelulares. Esta imagem ganhou o segundo prêmio no concurso Nikon Small World Photomicrography 2019 e foi capturada com um aumento de 40 vezes pelo pesquisador Igor Siwanowicz no Janelia Research Campus do Howard Hughes Medical Institute, em Ashburn, Virgínia. Além de ser uma imagem linda, identificar microrganismos em água é do interesse da engenharia ambiental, na concepção e operação e monitoramento de sistemas de tratamento e do meio ambiente. Os protozoários da foto são inofensivos, mas há situações em que outros organismos podem liberar toxinas contaminantes ou constituírem patógenos.

5. Quebrando o gelo

Imagem: Florian Ledoux

Esta vista aérea do gelo marinho no leste da Groenlândia foi capturada pelo fotógrafo Florian Ledoux usando um drone. Baixos níveis de cobertura de neve no inverno, ondas de calor na primavera e um verão ensolarado contribuíram para o derretimento significativo da camada de gelo da Groenlândia em 2019.

6. Reunião espacial

Imagem: Christina Koch, NASA

A astronauta Christina Koch tirou esta foto da espaçonave Soyuz carregando sua colega da NASA Jessica Meir quando ela se aproximava da Estação Espacial Internacional (ISS). Em 18 de outubro, a dupla realizou a primeira caminhada espacial feminina da história para reparar uma unidade de bateria defeituosa na ISS.

7. Tortuguita

Imagem: Teresa Zgoda & Teresa Kugler

Esta visualização fluorescente de um embrião de tartaruga foi a vencedora do concurso de fotomicrografia Nikon Small World 2019. Os microscopistas Teresa Zgoda e Teresa Kugler costuraram e empilharam centenas de imagens de estereomicroscópio do embrião de aproximadamente 2,5 centímetros de comprimento. Sciart.

8. Boas vibrações

Imagem: NASA

Esta imagem de cores falsas mostra ondas de choque provenientes de aeronaves supersônicas US T-38 Talon e foi capturada pela equipe da NASA usando uma técnica experimental de um avião acima. Ele mostra as rápidas mudanças na pressão do ar que levam as pessoas a ouvirem estrondos sônicos. Os dados ajudarão profissionais da engenharia aeronáutica a projetar aviões supersônicos mais silenciosos.

9. Coragem

Imagem: Brent Stirton / Getty

A imagem mostra Petronella Chigumbura, membro do Akashinga, ou “corajosas”, uma unidade feminina contra a caça furtiva. Elas patrulham a área de vida selvagem de Phundundu, no Zimbábue, no vale do Zambeze, onde a caça furtiva de elefantes é comum.

10. Nemo?

Imagem: Morgan Bennett-Smith

Nemo, é você? Nessa pausa para a fofura, um peixe explora uma anêmona do mar branqueada no Mar Vermelho, na costa da Arábia Saudita. Como os corais, as anêmonas formam relações simbióticas com as algas que são interrompidas quando os oceanos esquentam demais, fazendo com que a anêmona expulse as algas e se torne incolor.

11. Drop it

Imagem: Stuart J. Williams

Não dá para negar que muita bebida por aí é arte. Essa microestrutura semelhante a uma teia é feita de gorduras deixadas para trás depois que os pesquisadores evaporaram uma gota de 1 microlitro de uísque de bourbon diluído. As gorduras se dissolvem em bebidas alcóolicas com mais força, mas tornam o drink turvo quando água é adicionada. E por mais que soe como conversa de bar, é espantoso saber quanta pesquisa existe acerca de secagem de gotas.

12. Meninas, está focado?

Imagem: Ralf Schneider

A foto da foca sonolenta foi exibida no concurso anual de fotografia sobre vida selvagem do Museu de História Natural de Londres. Por mais que a gente dê mais uma escapada do mundo da engenharia aqui, vale lembrar que esse distanciamento não é tão grande, na medida em que a crise climática nos coloca a postos para proteger a vida selvagem e a nossa qualidade de vida também.

13. Caçadores de mel

imagens 2019
Imagem: Kevin Frayer / Getty

Essa imagem de “caçadores” de mel selvagem pendurados precariamente na beira de um penhasco, cercados por abelhas e fumaça, sem dúvida, chama atenção. Os fotografados, que vivem no sul da China e pertencem ao grupo étnico Lisu. Novamente, por mais que pareça distante do contexto da engenharia ou até mesmo do cenário científico, é fundamental abordar práticas tradicionais, que podem se relacionar à engenharia contextual. No caso específico da colheita do mel, sabemos que há uma ameaça pela queda das populações de abelhas, motivada pelo uso intenso de pesticidas e pelas mudanças climáticas.

14. Ferida

Imagens da Nature 2019
Imagem: Sumatran Orangutan Conservation via ZUMA

Este raio-X mostra um orangotango de Sumatra (Pongo abelii) com um braço fraturado e é uma evidência da aplicabilidade de equipamentos para diagnósticos, inclusive veterinários. Trabalhadores de biologia da conservação resgataram o animal de um vilarejo na Indonésia, onde teria sido mantido ilegalmente como animal de estimação. Os orangotangos de Sumatra estão criticamente ameaçados, principalmente pela expansão das plantações de óleo de palma.

15. Árvore em chamas

Imagem: Philip Pacheco / AFP / Getty

Esta fotografia de longa exposição traça o chuveiro de brasas de uma árvore devastada durante incêndios que assolaram a Califórnia em outubro. Preferimos não nos meter na seleção da Nature ou colocar fogo no parquinho, mas fica aqui o apelo para os incêndios da Amazônia também.

16. Prisão de baleias

Imagem: TAR-TASS News Agency / Alamy

Olhou direitinho? Essa foto contém baleias beluga (Delphinapterus leucas) e assassinas, descobertas por drones na Rússia em 2018, foram destinadas a serem vendidas para aquários de entretenimento na China, onde sua expectativa de vida provavelmente seria reduzida. As imagens levaram a um pedido internacional para a liberação dos animais e chamaram a atenção dos mais altos níveis do governo russo. Em novembro de 2019, a foto surtiu efeito e o último dos animais foi libertado de volta para o mar.

17. Fenômenos de transportes

Imagem: Navesh Chitrakar / Reuters

Esta imagem de um sapo em uma folha de lótus no Nepal, exemplifica o “efeito lótus”. Ele se refere às propriedades autolimpantes das folhas de lótus, repelentes à água. Partículas de sujeira – ou, neste caso, um sapo inteiro – são capturadas por gotículas, que se acumulam como resultado da nanoestrutura da superfície. Os cientistas descreveram o efeito do lótus pela primeira vez na década de 1970, e desde então tem sido usado em muitas aplicações. Fica aí uma foto que ilustra que, mais uma vez, imitar a natureza é uma das melhores estratégias de progresso e engenhosidade.

Fonte: Nature.

Copiado!
Engenharia 360

Kamila Jessie

Engenheira ambiental e sanitarista, MSc. e atualmente doutoranda em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo. http://orcid.org/0000-0002-6881-4217

Comentários