Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Tecnologia usa ar e luz solar para produzir combustível neutro em carbono

por Larissa Fereguetti | 28/06/2019
Copiado!

Não é de hoje a ciência busca um combustível proveniente de fontes renováveis e não poluente. Apesar de vários combustíveis do tipo estarem em fase de pesquisa e testes, é difícil conseguir um realmente viável em larga escala e que consiga competir com os fósseis. A mais recente novidade nas pesquisas é do combustível neutro em carbono feito a partir de ar e luz solar.

A pesquisa é fruto do Instituto Federal de Tecnologia de Zurique, na Suíça. A “refinaria solar em miniatura” fica no telhado do prédio do Laboratório de Máquinas do Instituto. O combustível desenvolvido é neutro em carbono porque ele libera praticamente a mesma quantidade de carbono durante a sua queima que o que consome para ser produzido.

combustível neutro em carbono
Imagem: edgy.app

Como é produzido o combustível neutro em carbono?

Em um primeiro momento ocorre a extração de gás carbônico e água do ar. Esses dois componentes são separados de forma termoquímica (usando energia solar). Nessa parte do processo, a radiação solar concentrada pode gerar temperaturas de 1500 graus Celsius dentro do reator solar. Dentro dele há uma estrutura de cerâmica que permite a reação em duas etapas, para dividir a água e o gás carbônico.

combustível neutro em carbono
Imagem: phys.org

Por último, há a liquefação em hidrocarbonetos. A mistura de hidrogênio e monóxido de carbono pode ser processada para gerar combustíveis líquidos (pelo metanol ou pela síntese de Fischer-Tropsch, um processo químico para a produção de hidrocarbonetos). Confira os detalhes no vídeo abaixo:

É possível produzir o combustível mesmo com o tempo não tão favorável. A quantidade chega a ser de até um decilitro por dia e o próximo passo é fazer isso em larga escala. Um quilômetro quadrado poderia produzir 20 mil litros por dia.

Além de dimensionar para aplicação industrial, os pesquisadores querem torná-la economicamente competitiva. Uma usina do tamanho da Suíça ou com um terço do Deserto de Mojave (na Califórnia), por exemplo, poderia ser suficiente para suprir as necessidades de combustível da aviação atual. De modo geral, a pesquisa representa um grande avanço para um mundo mais sustentável.

Referências: Science Daily; Phys.org.

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Comentários