Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Descubra qual é o futuro da Arquitetura e Urbanismo Mundial

por Simone Tagliani | 01/02/2021
Copiado!

A arquitetura não pode mais continuar sendo desenvolvida do mesmo jeito, é preciso mudar a postura, desenvolver projetos mais amigos da natureza e que ajudem na preservação da vida das próximas gerações!

Precisamos falar seriamente sobre a atual situação da arquitetura mundial. Em 2020, a Pandemia do coronavírus transformou completamente a visão que nós tínhamos sobre muitas situações da vida. Para várias pessoas, a transformação foi completa. Elas mudaram os seus conceitos e passaram a valorizar um tipo de consumismo diferente, muito mais consciente com as questões ambientais, engajado na sustentabilidade e com responsabilidade social.

E o que tudo isso significa? Significa que a arquitetura não poderá ser mais a mesma, focando nas mesmas questões de sempre e  colocando em primeiro lugar o status. E certamente alguns assuntos constantemente ignorados não mais poderão ficar de fora da pauta dos projetos! O mundo precisa de mais mudanças positivas e a arquitetura tem tudo a ver com isto!

mãos segurando o globo mundial, indicando sustentabilidade

Qual o papel da arquitetura nas mudanças mundiais?

Muitas pessoas não conseguem vislumbrar a importância do trabalho do arquiteto e urbanista. Porém, o que todo mundo sabe é que seres humanos precisam de abrigos para sobreviver. Com o tempo, a maioria dos povos abandonou as cavernas e passou então a erguer edifícios e grandes cidades.

No início, o impacto disso sobre a natureza não era tão expressivo. Mas hoje notamos o quanto isso tem comprometido o ambiente. Inclusive, podemos dizer que a arquitetura também fomenta o desmatamento, a poluição e muito mais coisas ruins. Isto porque, infelizmente, muitos projetistas e clientes não consideram a questão ambiental nos seus projetos. E o reflexo disso todos nós podemos ver!

Veja Também: Devastação na Amazônia poderá desencadear a próxima pandemia

desmatamento amazônia e pandemia

Agora, não quer dizer que arquitetura é inimiga mundial! Pelo contrário, a resposta para a solução de grande parte dos problemas mundiais está justamente nos estudos de arquitetônico e urbanismo. Só que muitos governos, como o brasileiro, não investem o suficiente em planejamento arquitetônico, ou mesmo em educação arquitetônica.

Isto faz com que a população, de um modo geral, desconheça as soluções que poderiam inibir os impactos ambientais. E isso se entende até mesmo para o mundo acadêmico! Pois, se velhas técnicas, menos eficientes e mais degradadoras da natureza, continuam sendo ensinadas em sala de aula,  não podemos exigir que os novos profissionais formados façam diferente. Afinal, o bom conhecimento não lhes foi compartilhado!

estudantes de arquitetura em sala erguendo as mãos
(imagem de Pixabay)

Porém, o papel de todo profissional é ir em busca de respostas. Ao redor do mundo, pesquisadores já desenvolveram diversas técnicas revolucionárias – muitas ecológicas e sustentáveis. E qualquer uma delas pode servir de exemplo positivo para que criemos soluções para os problemas do nosso país – obviamente que sempre adaptando à nossa realidade.

Mas o ponto principal é que devemos educar a sociedade para que ela pense diferente, começando por consumir produtos e serviços mais duradouros e de menor impacto contra a natureza, garantindo a sobrevivência das próximas gerações.

Também é obrigação dos arquitetos pensarem nos problemas que vêm surgindo nos últimos anos, desde a questão do conforto ambiental ao caos urbano. Por exemplo:

  • Estimulando mais o uso de energia limpa e de sistemas que façam o reaproveitamento da água;
  • Propondo desenhos de vias públicas que priorizem o pedestre; 
  • Planejando ambientes abertos e fechados com acessibilidade total;
  • Construindo mais áreas verdes que possam resgatar a biodiversidade das cidades e acabar com os bolsões de ar quente;
  • E também espaços compartilhados e privados que possam ser facilmente protegidos e higienizados, pensando sobretudo nas novas questões de segurança pública.

Tudo isto só para começar! A lista com certeza é mais extensa do que isto, mas é o mínimo que se precisa começar a fazer para mudar a realidade no qual nos encontramos!

Placas solares
Placas solares (imagem Pixabay)

Quais os tópicos da arquitetura que precisam ser revisados já?

Talvez fosse um exagero dizer que é preciso uma revisão completa na conduta dos arquitetos, ou pode ser a triste verdade. Muitos, com a justificativa de que precisam trabalhar por dinheiro, se vendem para ideias  que nada combinam com o seu discurso. E, de fato, ‘ecologia, sustentabilidade e responsabilidade social’ não se sustentam apenas no discurso! É preciso ações práticas!

Tem profissionais que afirmam que o maior inimigo da arquitetura são os clientes. Mas talvez seja obrigação da arquitetura educar estes clientes. Fazê-los enxergar a importância de uma boa arquitetura e de investir em um planejamento bem feito, mostrando a eles que realmente só com um bom planejamento arquitetônico é que obtiveram os resultados que esperam.

Veja Também: O que deve acontecer com o urbanismo das grandes cidades pós Covid-19?

cidade de sao paulo avenida 23 de maio representando arquitetura e urbanismo

Um dos principais assuntos que precisam ser revisto na arquitetura mundial é a utilização de elementos de concreto, grande fonte de emissão de CO2. Outra questão é a utilização de matéria-prima proveniente de áreas florestais protegidas, incentivando a grilagem e o desmatamento. Também a utilização de produtos prejudiciais à saúde humana. E o descarte indevido de materiais, os quais poderiam ser mais bem reaproveitados.

produção de cimento
resíduos sólidos jogados em estrada

E quem pensa que estas coisas não tem nada a ver com os problemas que temos vividos hoje em dia, está enganado. Tudo que o ser humano faz está interligado a isso! E certamente não podemos esperar resultados diferentes se continuamos fazendo as coisas do mesmo modo!

Qual a proposta de conduta para os arquitetos em 2021?

Certamente, todos os profissionais trabalham porque precisam de dinheiro. E às vezes, precisam assumir uma postura que não desejam pensando na sobrevivência. Porém, sempre que possível, devemos pensar em como podemos fazer a diferença, ajudando o mundo a se tornar melhor com o nosso trabalho! Assim, se todo dia todas as pessoas fizerem o seu melhor – de forma honesta, séria e respeitosa -, não tem como as coisas darem errado!

Veja Também: Como empresas e profissionais podem enfrentar a crise trazida pela pandemia?

homem e mulher engenheiros olhando para o horizonte
Imagem: blog.ucl.br

Se for possível, o arquiteto deve manter este pensamento e não aceitar propostas de clientes que vão de encontro ao seus princípios, mesmo que lhe seja oferecido muito dinheiro em troca. Além do mais, se atuasse de forma ruim, ele estaria também manchando a sua imagem, denegrido uma profissão e arrastando consigo outros profissionais – que teriam as suas atividades e salários seriamente comprometidos.

Existe uma outra questão também, que é fazer coerência com aquilo que já foi desenvolvido e seguir o padrão da sua profissão. Enquanto acadêmico, o arquiteto aprende sobre vários estilos artísticos e de que forma eles podem ser melhor representados, e isto deve ser mantido! Novamente, é obrigação do arquiteto educar a sociedade sobre o que é boa arquitetura. E, por fim, compartilhar o máximo de informações com os seus colegas!

 Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo
Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (imagem de Wikimedia)

2020 nos ensinou que não há mais espaço no mundo para a ignorância humana! Precisamos mudar a nossa conduta, debater sobre certas questões, agir diferente, e pensar mais no coletivo e menos no individual!


Fontes: ArchDaily.

O que você acha que podemos esperar da arquitetura e urbanismo no futuro? Comente!

Copiado!
Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquiteta & Urbanismo e Letras; especialista em Artes Visuais; estudante de Jornalismo Digital e proprietária da empresa Visual Ideias - Redação, Edição e Produção de Conteúdos.

Comentários