Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Conheça alguns belos exemplos de jardins suspensos na Arquitetura e Engenharia mundial

por Simone Tagliani | 03/02/2021

Estratégicas mais ecológicas e sustentáveis em projetos, como os jardins suspensos, podem ajudar a combater mudanças climáticas

Pode-se dizer que é impossível ouvirmos falar sobre ‘jardim suspenso’ sem lembrarmo-nos da antiga história sobre a Babilônia. Esta era a cidade central da Mesopotâmia – hoje Iraque e Kuwait -, berço da atual civilização ocidental. Seu auge foi no Período do Bronze, há mais de três mil anos a.C. E de acordo com relatos passados de geração em geração, o Rei Nabucodonosor II – governante entre 604 a.C. a 562 a.C. – teria mandado construir um grande monumento com jardins em estilo oriental. Porém, nunca houve qualquer registro oficial sobre os fatos, nem mesmo vestígios arqueológicos disso. Será que trata-se apenas de puro misticismo?!

O grande Jardim Suspenso da Babilônia

Sabe-se que toda a fama dos Jardins Suspensos da Babilônia começou após a análise de textos de autores como Beroso, de 290 a.C., que se preocupou em relatar alguns processos de arquitetura que eram desenvolvidos na época, comentando sobre uma grande construção de ordem do rei. E o que eles disseram fez o mundo crer que os jardins, de fato, existiram. Uma ideia que se concretizou tanto na mente das pessoas que vários artistas, posteriormente, interpretaram isto em suas obras – como é o caso da pintura de Maarten van Heemskerck. E, por fiz, fez com que tais jardins entrassem para a lista das Sete Maravilhas do Mundo Antigo.

Ilustração representando os Jardins Suspensos da Babilônia, por Maarten van Heemskerck
Ilustração representando os Jardins Suspensos da Babilônia, por Maarten van Heemskerck (imagem de Wikipedia)

“Neste palácio ele ergueu calçadas muito altas, sustentadas por pilares de pedra; e plantou o que foi chamado de paraíso suspenso, e encheu-o com todos os tipos de árvores, o que lhe rendeu a perspectiva exata de um país montanhoso. Ele fez isso para satisfazer sua rainha, pois ela havia sido criada em Media, e gostava de locais montanhosos.”

Flávio Josefo, cerca de 37-100 d.C.

Influência na atualidade

Depois de séculos, os jardins suspensos ainda fazem parte da Arquitetura e Engenharia Mundial. Agora, existem muito mais versões deles, com diferentes propósitos e funções. E eles não fazem parte apenas de projetos de grandes palácios, mas podem ser vistos aplicados a outros tipos de construções, incluindo fachadas de residências e edifícios empresariais, interiores decorados, estruturas de equipamentos urbanos, e mais. E é exatamente sobre este assunto que nós, do Engenharia 360, iremos abordar no texto de hoje!

IRB e jardim Burle Marx
IRB e jardim Burle Marx (imagem de às na manga)

Os novos jardins suspensos da Babilônia

Mesmo que nunca tenham existido, os Jardins da Babilônia inspiraram diversos projetos de Arquitetura e Engenharia ao longo da história, e isto desde os tempos palacianos até os dias de hoje. Recentemente, algumas obras nesta linha têm chamado bastante atenção!

Exemplos de projetos

Gardens By The Way e Anel Periférico México

Jardins suspensos The Gardens
The Gardens (imagem de gardensbythebay)

Para começar, o grande Parque Gardens By The Way, em Marina Bay, Singapura. Neste local, há dezoito grandes estruturas em forma de árvore artificial que abrigam centenas de espécies de plantas, funcionando como um grande viveiro. E não podemos deixar de falar das estruturas de pilares do Anel Periférico, na Cidade do México, com milhares de colunas em elevado revestidas de verde, com mais de 30 km de extensão, que ajudam a filtrar o ar e a amenizar as altas temperaturas na região.

“Essa proposta soava como algo que faria bem à cidade, mudando tanto o cenário quanto dando um benefício com o qual todos estamos comprometidos hoje, que é a luta contra as mudanças climáticas.”

político Miguel Ángel Mancera, em reportagem de Jornal La Prensa.

Jardins suspensos de Via Verde, México
Via Verde, México (imagem de Sustenta Aqui)

Terraços de Fé Ba’hai

Agora, mais num “formato” digamos semelhante ao que se teorizou serem os Jardins Babilônicos, podemos citar outros quatro projetos. Primeiro os Terraços de Fé Ba’hai, no Santuário do Báb, em Israel; eles foram construídos nos anos 80, com a supervisão do arquiteto Fariborz Sahba; é quase um quilômetro de jardim gramado com vista para a cidade e o mar.

Jardins Suspensos Ba'hai
Jardins Suspensos Ba’hai (imagem de Tudo por Email)

ACROS

Já do segundo exemplo em diante, vemos projetos um pouco mais atuais, ou seja, construídos após os anos 2000 e 2010. Como o projeto ACROS, por exemplo, que fica no centro financeiro de Fukuoka, no Japão; um edifício comercial, projetado pelo arquiteto Emilio Ambasz, com 15 terraços escalonados com 35 mil plantas.

ACROS Fukuoka
ACROS Fukuoka (imagem de Kenta Mabuchi)

Veja Também: Torre futurista de base aberta na baía de Shenzhen promete revolucionar o futuro da arquitetura

Terraço Oásis

O Terraço Oásis é um projeto de Serie Architects, em Singapura; uma versão moderna de jardim suspenso com milhares de metros quadrados de áreas verdes ligadas a terraços vizinhos.

Jardins suspensos Oasis Terraces Singapore
Oasis Terraces Singapore (imagem de in Design Live)

Complexo em Shanghai

Por fim, temos um complexo comercial e hoteleiro em Shanghai, às margens do Rio Suzhou, projetado por Tomas Heatherwick, com uma fachada com várias pequenas plataformas repletas de árvores. Este é mais um empreendimento que foi apelidado de “Jardim Suspenso da Babilônia”!

Thomas Heatherwick Suzhou Shanghai
Thomas Heatherwick Suzhou Shanghai (imagem de Fotografia Noah Sheldon em Wallpaper)

O conceito moderno de terraço jardim

Durante os anos de 1920, em pleno período moderno da Arquitetura Mundial, o renomado artista Le Corbusier desenvolveu um conceito diferente para edifícios, com cobertura destinada à convivência e lazer. Para ele, este terraço realmente poderia conter um jardim repleto de vegetações, ou ser constituído de espaços abertos e elementos construídos, como um solário.

Obras no Rio de Janeiro

Este tipo de terraço, proposto por Le Corbusier, passou a fazer parte dos “cinco pontos da nova Arquitetura”. E também pôde ser visto, anos depois, em projetos de Arquitetura Moderna Brasileira, como do Edifício do Ministério da Educação e da Saúde – atual Palácio Gustavo Capanema; e no prédio do Instituto de Resseguros do Brasil, com terraço jardim criado pela ArtRio. Ambos os projetos estão localizados no Rio de Janeiro; possuem áreas de paisagens desenhadas por Burle Marx; e são belos exemplos de jardins suspensos!

Palácio Gustavo Capanema
Palácio Gustavo Capanema (imagem de Archdaily)

Mais exemplos de jardins suspensos

Há outros modelos diferentes de jardins suspensos além dos terraços, com outras formas de suspensão de jardins. Muitos deles podem ser feitos de diferentes modos e com outras estruturas arquiteturas ou mesmo com vasos acima do solo. Ideias assim podem ser facilmente adaptadas a propostas de interiores e até fazerem parte da decoração da sua casa!

Você pode criar em sua residência, por exemplo, uma estrutura de fachada com paredes adornadas com plantas e folhagens – com toda uma preparação rigorosa para irrigação, substrato e drenagem da água, claro. Ou cobrir um muro inteiro do pátio com vasos fixados a grades de ferro ou ripados de madeira, colocar vasos pendentes em aspecto de pêndulo em cordas ou correntes no teto da varanda e vasos sobre prateleiras ou nichos numa sacada. Ficará lindo!

Veja Também: Sustentável, casa espiral com telhado verde propõe total interação com a natureza

Vantagens dos jardins suspensos

  • Maior retenção da água da chuva, diminuindo a possibilidade de enchente nas cidades;
  • Embelezamento das construções;
  • Melhora da qualidade do ar e aumento da biodiversidade local;
  • Melhora do isolamento acústico das edificações;
  • E também a melhora do isolamento térmico, o que leva a melhor eficiência energética, reduzindo os níveis de consumo de luz elétrica – inclusive diminuindo a necessidade de refrigeração nos ambientes.
Scy Garden, Milão
Scy Garden, Milão (imagem de Thoni Litsz)

A ideia de apresentar tudo isto neste texto é provar que é possível, sim, unir Arquitetura, Engenharia e natureza em um lindo projeto!

Talvez esta seja a melhor alternativa de fazer as construções “conversarem” melhor com o meio ambiente. Fora que, além disso, ainda deve promover a sustentabilidade.

Se já sabíamos disso no Período do Bronze e no Período Moderno, por que não continuamos a empregar esta ideia com tanta regularidade nos planejamentos atuais? De fato, não há argumentos contra isto, não é mesmo? Então, que tal mudarmos a nossa realidade assumindo uma nova postura diante dos projetos de Arquitetura e Engenharia, criando mais e mais jardins verdes pelas cidades?! Pense nisto!


Fontes: ArchDaily, Wikipedia, Tudo por Email, Blog de Decoração, Diário de Pernambuco, Mega Curioso.

Já pensou em fazer um jardim suspenso em sua residência? Comente!

Comentários

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; especialista em Artes Visuais; estudante de Jornalismo Digital e proprietária da empresa Visual Ideias - Redação, Edição e Produção de Conteúdos.