Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Exoesqueleto controlado pelo cérebro permitiu que homem tetraplégico andasse em laboratório

Engenharia 360

2 min

POR Kamila Jessie 05/11/2019

A ideia de um exoesqueleto completo e controlado pelo cérebro pode fazer a gente pensar no Tony Stark, mas, na verdade, está mais próxima de objetivos médicos. Esse tipo de abordagem é vinculada à prostética e tem papel fundamental no auxílio a pessoas com dificuldades motoras. Recentemente, houve um grande avanço nessa área, com um exoesqueleto com interface cérebro-máquina wireless testado em um paciente tetraplégico.

Produto de pesquisa em laboratório:

Instrumento de um estudo sobre viabilidade de uma técnica semi-invasiva de prostética para melhorar a qualidade de vida de pacientes tetraplégicos, foi elaborado um exoesqueleto com interface cérebro-máquina sem fio. O teste do exoesqueleto foi realizado dentro da segurança de um laboratório. O paciente a testá-lo foi capaz de controlar os braços e as mãos do traje, usando dois sensores em seu cérebro. No caso, o usuário foi um homem de Lyon chamado Thibault, que caiu a 12 metros de uma varanda há quatro anos, deixando-o paralisado dos ombros para baixo.

exoesqueleto
Imagem: Clinatech/AFP/Getty

A interface:

O paciente recebeu dois implantes, por meio de uma cirurgia, cada um contendo 64 eletrodos, nas partes do cérebro que controlam o movimento. O software traduziu as ondas cerebrais lidas por esses implantes em instruções de movimento. O desenvolvimento do exoesqueleto, realizado pela Clinatec e pela Universidade de Grenoble foi descrito em um artigo científico disponibilizado aqui.

Thibault treinou por meses, usando seus sinais cerebrais para controlar um avatar de videogame, a fim de aprimorar as habilidades necessárias para operar o exoesqueleto, que era sustentado por um arnês montado no teto. Ele foi capaz de andar devagar no “traje” e depois parar, como quisesse.

exoesqueleto controlado pelo cérebro
Imagem: Clinatech/AFP/Getty

Aspirações:

A esperança é que um dia uma tecnologia semelhante possa eventualmente deixar as pessoas em cadeiras de rodas movê-las usando suas mentes. É um avanço impressionante, mas o dispositivo é um protótipo e está distante de estar disponível ao público, dado que ainda não forneceu algo como caminhada autônoma.

De acordo com os pesquisadores responsáveis pela elaboração do traje, ainda é necessário encontrar uma maneira de equilibrar o traje com segurança antes que ele possa ser usado fora do laboratório. Enquanto isso, a gente vai acompanhando os avanços da engenharia na medicina.

Fonte: The Lancet. BBC.

exoesqueleto
interface cérebro-computador
interface cérebro-máquina
interface homem-máquina

Kamila Jessie

Doutoranda em Hidráulica e Saneamento na USP, formada em Engenheira Ambiental e Sanitária, sonhadora em tempo integral, amante de ciências e inventividades.

mais
Engenharia 360 Engenharia 360

VEJA TAMBÉM

6 Resultados
CEO e COO: entenda a diferença entre esses grandes cargos
MUSA: robô auxilia cirurgia de ultra-precisão em pacientes humanos
Pesquisadores do MIT desenvolvem sistema de dessalinização da água com eficiência de até 385%
Golden Gate Bridge: conheça o cartão postal de San Francisco
Enquanto Musk admite que duvidava do Cybertruck, Nikola Motors lança sua picape elétrica
Conheça os fatores que influenciam na produção de energia eólica
Podcast 360
Ouça ou baixe podcasts
exclusivos da engenharia
Ver Todos

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ