Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Curso de Engenharia em Darthmouth forma mais mulheres do que homens

por Lucie Ferreira | 23/08/2016
Copiado!

mulheres-na-engenharia_01_blog-da-engenharia
Duas das engenheiras formadas em 2016 pela Universidade de Darthmouth (foto: Universidade de Darthmouth)
 
Uma das mais famosas instituições de ensino norte-americanas, a Universidade de Darthmouth, em Hanover, no estado de New Hampshire, registrou pela primeira vez, em sua história e no país, um número maior de mulheres se formando em Engenharia do que homens: 54% dos graduados em junho de 2016 são do sexo feminino.
Nos Estados Unidos, a média de engenheiras diplomadas na área de Engenharia costuma ser de apenas 19%. Por isso, a Universidade de Darthmouth celebrou a mudança relativamente rápida, já que em 2006, apenas 25% dos estudantes eram do gênero feminino. Em 2015, a quantidade de alunas alcançou 37%.
Para o diretor-executivo da Sociedade Americana para Educação em Engenharia (American Society for Engineering Education – ASEE), Norman Fortenberry, a Universidade de Darthmouth pensou criativamente sobre o conteúdo, o contexto e a oferta de educação em engenharia, o que a levou a alcançar um marco histórico. “Outras faculdades de engenharia devem agora igualar essa conquista”, sugere.
 

mulheres-na-engenharia_02_blog-da-engenharia

Quanto mais professoras foram contratadas para lecionar Engenharia em Darthmouth, mais alunas passaram a integrar os cursos (Foto: Alamy)

+ Representatividade em prática

Para os reitores de Darthmouth, a partir do momento em que a universidade passou a contratar mais professoras para lecionar Engenharia, mais alunas passaram a integrar cursos geralmente dominados por homens, por exemplo engenharia elétrica e mecânica. Acredita-se que as estudantes são incentivadas a partir do momento em que mais professoras integram o corpo docente dos cursos, servindo de modelo para as alunas.
Segundo a universidade, estudantes de todas as áreas são encorajados a fazer cursos que enfatizam tecnologia e ciências aplicadas, sendo que a maioria opta por engenharia, especialmente com prática em projetos. O resultado é a grande quantidade de novas invenções e start-ups criadas por alunos de ambos os gêneros.
 
Alguns dos projetos que Darthmouth destaca, e que foram liderados pelas formandas de 2016, são a criação de um novo equipamento para tratar hidrocefalia; o desenvolvimento de uma cadeira de escritório na qual o usuário pode se exercitar enquanto trabalha e a invenção de um dispositivo que filtra e transporta água, indicado para locais áridos como a África Sub-saariana. 
E você, acredita que a contratação de mais professoras para lecionar em cursos de Engenharia incentivaria para que mais alunas se interessassem por essa área nas universidades brasileiras?
Fontes: Exame.comThayer School of Engineering at Dartmouth.

Copiado!

Comentários