Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenharia 360

Como ocorrem as Auroras Boreais e as Auroras Austrais?

Engenharia 360
por Rafael Panteri
| 24/06/2020 2 min

Como ocorrem as Auroras Boreais e as Auroras Austrais?

por Rafael Panteri | 24/06/2020
Copiado!

O fenômeno da auroras boreais e austrais envolve o campo magnético terrestre

Auroras são luzes coloridas que aparecem no céu, à noite, nas regiões polares do planeta. Chamada de Aurora Boreal quando acontece no Polo Norte e de Aurora Austral no Sul, esse fenômeno é conhecido por sua beleza e variedade de cores.

aurora

Para entender como uma Aurora ocorre é necessário primeiro compreender o campo magnético terrestre. A teoria mais aceita por pesquisadores afirma que a grande quantidade de ferro líquido no núcleo do planeta gera uma corrente elétrica ao se movimentar. Essa corrente elétrica, por sua vez, dá origem ao campo magnético. Em outras palavras, a Terra se comporta como um grande imã devido ao seu núcleo.

Assim como todo imã, no nosso planeta há um polo sul e um polo norte magnéticos inseparáveis. E são nesses lugares que ocorrem as Auroras.

Além do campo magnético, o Sol é o outro grande responsável pelas Auroras. A estrela localizada no centro do nosso sistema planetário é formada basicamente por plasma – um dos quatro estados fundamentais da matéria junto com o sólido, líquido e gasoso.

Nesse estado, a matéria se comporta como um gás ionizado, ou seja, seus átomos apresentam elétrons sobresselentes ou em falta se comparados ao estado natural.

A partir de explosões na superfície do Sol, muitos desses elétrons a partículas carregadas são expelidos em direção a Terra. A emissão, conhecida como ventos solares, interage com nosso campo magnético, que funciona como um escudo para o planeta.

Receber diretamente esses ventos solares poderia destruir a atmosfera terrestre, como supostamente aconteceu com Marte – o núcleo marciano se solidificou e o planeta foi perdendo seu campo magnético e, consequentemente, sua atmosfera.

Como os polos magnéticos coincidem com os polos geográficos da Terra, muitos desses elétrons são canalizados diretamente para lá, encontrando o ar. Com a chegada desses ventos solares, há a transferência de energia para os átomos da nossa atmosfera, que se tornam instáveis. Ao voltarem para o estado natural, esses átomos liberam a energia em forma de luz. E é esse evento luminoso que chamamos de Aurora.

Fontes: Galileu; SoGeografia

E você, já presenciou ou teve vontade de presenciar uma Aurora? Conta para a gente!

Copiado!
Engenharia 360

Rafael Panteri

Estudante de Engenharia Elétrica no Instituto Mauá de Tecnologia. Correspondente do Engenharia360 no Japão. Intercâmbio na Shibaura Institute of Technology.

Comentários