Engenharia 360

O painel do carro do futuro ganha mais um concorrente, o AGL

Imagem padrão usuário
por Colaboradores 360
| 06/08/2014 | Atualizado em 25/08/2022 2 min

O painel do carro do futuro ganha mais um concorrente, o AGL

por Colaboradores 360 | 06/08/2014 | Atualizado em 25/08/2022
Engenharia 360
Hoje em dia o painel dos carros não faz muita coisa, algo que a Microsoft, o Google e a Apple querem mudar em um futuro próximo. E agora, existe mais uma alternativa de código aberto no mercado: Automotive Grade Linux (AGL).

Jaguar, Land Rover, Toyota e Nissan apoiam o projeto.

Automotive Grade Linux (AGL) é um projeto colaborativo de código aberto, com o objetivo de desenvolver software baseado em Linux para os carros conectados. Além da Linux Foundation, grandes companhias da indústria automobilística, como a Jaguar, Land Rover, Toyota  e Nissan apoiam o projeto.

carro | AGL
Imagem reproduzida de TotalCross

O AGL foi desenvolvido a partir do Tizen, e os aplicativos serão feitos com tecnologias já comuns na web: HTML5 e JavaScript.

“Usar o AGL significa aplicar os benefícios industriais da estabilidade e força de uma distribuição Linux em comum, Tizen IVI ao seu núcleo, enquanto traz suas próprias aplicações e funcionalidades ao mercado rapidamente”, disse Rudolf Strief, diretor de soluções embarcadas da The Linux Foundation. “Colaboração com a comunidade AGL ajuda a indústria a evitar a fragmentação que causa perda de tempo e recursos que podem ser melhor utilizados, inovando na segurança e confiabilidade para os motoristas”.

AGL é gratuito para download e qualquer um pode participar da comunidade de código aberto.

Veja mais em //automotive.linuxfoundation.org.

Com informações The Linux Foundation.

Veja Também: O futuro do plástico na indústria automobilística


+ Texto por Douglas Moura. Estudante de Engenharia Civil, saxofonista amador e programador auto-didata, acredita que pode mudar o mundo um passo de cada vez. Ama jazz, software livre e ciências exatas.


Quer ter seu texto publicado aqui? Nos envie por e-mail para [email protected] e se o conteúdo for aprovado nós publicamos!

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo