Engenharia 360

Problema no Voyager 1, enviado ao espaço em 1977, intriga os cientistas

Engenharia 360
por Redação 360
| 16/09/2022 | Atualizado em 17/09/2022 3 min

Problema no Voyager 1, enviado ao espaço em 1977, intriga os cientistas

por Redação 360 | 16/09/2022 | Atualizado em 17/09/2022
Engenharia 360

As sondas Voyager 1 e Voyager 2 foram pioneiras na exploração espacial, sendo parte de um programa norte-americano de 1977, por parte da NASA, voltado à investigação dos planetas Júpiter e Saturno, bem como as suas respectivas luas, fora a órbita de Plutão. Elas foram mais longe do que qualquer humano jamais foi. Tanto que, em 1990, os cientistas já afirmavam que tinham alcançado seus objetivos. Contudo, resolveram aproveitar um pouco mais, lançando a Missão Interestelar Voyager, no momento em que as sondas ultrapassavam a fronteira do Sistema Solar com o espaço interestelar, seguindo caminhos e velocidades diferentes.

Voyager 1
Imagem reproduzida de LaRepublica

Agora, certamente as Voyagers já foram bem além do esperado. Após deixarem a sua marca na história, estão se despedindo e nós. Porém, antes disso, os cientistas estão investigam um suposto enigma referente à Voyager 1. Veja a seguir!

Veja Também: Confira 15 imagens que mostram como a Terra é vista do espaço

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Continue Lendo

Por que as sondas Voyagers estão deixando de funcionar?

Bem, tenha em mente que as sondas, Voyager 1 e Voyager 2, foram projetadas para durarem, acredite se quiser, apenas 4 anos; ou seja, elas já superaram mais de dez vezes as expectativas dos cientistas. Mesmo sofrendo efeitos do tempo, da radiação e mais, continuaram recebendo comandos e transmitindo dados através de sinais de rádio – que demoram, em média, 19 horas para chegar à Terra. Mas, depois de tanto tempo, a energia delas – gerada por plutônio – está acabando. Inclusive, nos últimos anos, a NASA vem desligando seus instrumentos gradualmente, como subsistemas e aquecedores, para economizar o que resta de sua sobrevida, pelo menos no tempo que for possível – na melhor das hipóteses, até 2030.

Voyager 1
Imagem reproduzida de National Geographic

Onde a Voyager está neste momento?

De acordo com as últimas divulgações da NASA sobre as sondas, a Voyager 1 estaria há mais de 20 bilhões de quilômetros da Terra, viajando a uma viagem de 17 km/s. Se você quiser saber exatamente sobre sua posição no espaço hoje, basta fazer uma visita na página na Internet da missão da NASA.

A saber, em 2012, a Voyager 1 se tornou a primeira nave a alcançar o espaço interestelar, que é uma zona caótica fora da “bolha” de influência do Sol, entre as outras estrelas da galáxia.

Que problema misterioso apresentou a Voyager 1?

Como dissemos antes, a sonda Voyager 1, assim como a sua irmã Voyager 2, continua recebendo comandos e transmitindo dados. Mas, recentemente, os cientistas perceberam que as leituras do sistema de articulação e controle de atitude (AACS), que orientam a espaçonave no espaço, mantendo a sua antena voltada para Terra, não combinam com o que a Voyager está realmente fazendo. Ao que parece, as leituras de dados do instrumento parecem aleatórias ou impossíveis.

Voyager 1
Imagem reproduzida de Revista Planeta

Especialistas afirmam que nada que aconteceu até agora indica que a sonda entrará, por isso em “Modo de Segurança”. O sinal da Voyager está ainda bastante forte, o que significa que a antena ainda está apontada para a direção certa. Mas o que justifica esses dados incorretos? E o que está causando esse problema? Ninguém sabe ainda! E mais, nenhum cientista diz poder prever se, a curto prazo, os dados transmitidos serão cessados em decorrência disso.

Vale lembrar que as sondas Voyager estão voando neste instante em uma zona do espaço pouco conhecida por nós, onde nenhuma outra nave nossa voou antes. Um ambiente com alta radiação que pode impor inúmeros desafios ao equipamento montado e monitorado pelos engenheiros da Terra. De acordo com um representante da NASA, em reportagem da CNN, “Se a equipe não determinar a origem do problema, ela pode simplesmente se adaptar a ele. (…) fazendo uma alteração no software ou confiando em um sistema de hardware redundante.”.


Fontes: CNN Brasil, Wikipédia, UOL.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Engenharia 360

Redação 360

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

Comentários



Assine nossa newsletter
e receba
uma curadoria exclusiva de conteúdos:

Continue lendo