Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Robô da NASA, Moxie, produz oxigênio respirável em Marte

por Rafael Panteri | 27/04/2021

A mais recente missão de Perseverance foi converter dióxido de carbono em oxigênio respirável em Marte - abrindo caminho para futuras missões tripuladas. Este é o NASA Moxie!

Desde já, projetos da NASA em Marte estão preparando o terreno para futuras missões tripuladas ao planeta vermelho. Como resultado, testes na superfície, com o Perseverance, e no ar, com Ingenuity, tiveram sucesso nas últimas semanas. A mais recente conquista ocorreu na terça-feira, 20 de Abril, e tem relação com a atmosfera de Marte que é, até o momento, irrespirável! Este é o experimento NASA Moxie. Saiba mais no texto a seguir!

O Experimento NASA Moxie

Composto por 96% de dióxido de carbono, o ar do planeta vermelho é tóxico para o ser humano. Pensando em contornar esse problema, a Agência Espacial Americana – NASA – realizou um feito histórico em sua missão mais recente. Ela conseguiu converter dióxido de carbono da atmosfera de Marte em oxigênio respirável!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A extração foi feita por um dispositivo, preso ao rover Perseverance, batizado de Moxie. Este nome seria a abreviação de “Experimento de Utilização de Recursos de Oxigênio Marciano In-Situ”. Ele faz referência ao instrumento, com tamanho de uma torradeira e cerca de 17 quilos, que foi capaz de produzir o equivalente a cinco gramas de oxigênio – que os cientistas acreditam ser o suficiente para um astronauta respirar por cerca de 10 minutos.

Perseverance e Ingenuity
Localização do Moxie dentro de Perseverance | Imagem extraída d site da NASA

Veja também: Como Perseverance envia imagens de Marte?

Para Trudy Kortes – diretora de demonstrações tecnológicas do Diretório de Missão de Tecnologia Espacial da NASA, O Moxie é o primeiro instrumento do tipo que poderá ajudar missões futuras a “viver dos frutos da terra” de outro planeta!

O funcionamento do Moxie

O equipamento foi projetado para absorver dióxido de carbono – CO2 – e, a partir da eletrólise, separá-lo em oxigênio – O2 – e monóxido de carbono – CO. Esse processo é realizado em elevadas temperaturas – por volta de 800ºC.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Perseverance e Ingenuity
Imagem do Moxie antes de ser instalado em Perseverance | Imagem extraída do site da NASA

Claro que Moxie é apenas um teste e uma demonstração da tecnologia atual! De acordo com a NASA, aumentar a quantidade de oxigênio no planeta vermelho é interessante, pois os foguetes utilizam essa molécula como combustível.  Logo, para retornar à Terra, por exemplo, um veículo espacial precisaria de 25 toneladas de oxigênio, além de 7 toneladas de algum outro combustível, que pode ser o metano.

A princípio, o metano pode ser produzido a partir da água congelada presente no subsolo marciano. O pesquisador do Centro de Astrobiologia de Madri – CAB – e membro da missão da NASA em Marte, Jorge Pla-Gacía, explica que “essa água gelada poderia ser utilizada para beber, irrigar cultivos e fabricar combustível”. Ele ainda acrescentou em entrevistas que “é preciso ter em conta que o custo de levar um quilo de material ao espaço é da ordem de um milhão de euros, de modo que tudo que possamos utilizar in loco é bem-vindo”.

Mais explicações sobre o NASA Moxie neste excelente vídeo produzido por um canal brasileiro, confira:

Enfim, Agência Espacial Americana está considerando, para futuras missões em Marte, enviar um instrumento semelhante ao Moxie, mas de dimensões muito maiores para produzir enormes quantidades de oxigênio.

Ficou animado com essa notícia? Escreva nos comentários!


Fontes: El País, Oxigênio em Marte.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Rafael Panteri

Estudante de Engenharia Elétrica no Instituto Mauá de Tecnologia. Parte da graduação em Shibaura Institute of Technology - Japão.