Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Perspectivas e desejos para o futuro da Engenharia | Entrevista 360

por Redação 360 | 17/12/2021

Sabia que a Engenharia é a área profissional que mais cresce no Brasil? Mas quais foram os impactos causados pela pandemia? Qual será a realidade que os vestibulandos, jovens graduados ou até quem está retomando a carreira irá encontrar agora? E qual será a realidade que estudantes e trabalhadores da área vão encontrar em 2022? Vamos descobrir?

Conversamos com os redatores colaboradores do 360 para entender a situação do setor de Engenharia neste momento. Como foi enfrentar este período pandêmico? Como enxergam o futuro pós-pandemia? E quais as novas oportunidades de carreira (home office, IA, digitalização de sistemas e mais). Veja o que eles responderam!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mercado de engenharia
Imagem reproduzida de Diário do Nordeste

Entrevista com os colaboradores

Tivemos 10 pessoas respondendo a este questionário, representando diferentes áreas da Engenharia e afins. A maioria já é formada e também há estudantes no grupo – sendo um bacharel em Arquitetura desde 2008; bacharéis de Engenharia com 3, 5, 6, 7, 9 e 20 anos de experiência; e um estudante de Engenharia do sétimo semestre. E olha que interessante, esses colaboradores afirmam que muitos precisaram ir para o Home Office e que, agora, o mercado de Engenharia está reaquecendo. E você, concorda?

“Qual a área da Engenharia que estuda, pesquisa ou trabalha?”

Os colaboradores responderam que estão envolvidos com as seguintes áreas: civil, mecânica, naval, industrial, projetos de máquinas, elétrica, química, finanças, e indústria de alimentos.

“Você trabalhava ou estudava em um ambiente compartilhado antes da pandemia? Ou em regime de home office?”

A maioria disse que estava no escritório. Também boa parte já havia migrado para o home office. Por fim, havia aqueles que mantinham uma rotina em sala de aula ou em outro local além de laboratório, canteiro de obras ou coworking.

“Quais as medidas que sua escola ou empresa (ou até você mesmo, por conta) tomou diante do agravamento da pandemia, em 2020?”

Teve quem fez isolamento social rigoroso, em regime home office ou aula online, com provas substituídas por trabalhos ou feitas no período da aula, de forma síncrona – pelo menos nos primeiros meses -, saindo apenas para atender às necessidades da sua família. Claro que quem trabalhou em fábrica não teve jeito, precisou continuar – usando seus equipamentos de segurança e fazendo distanciamento social, distanciamento de mesas, horário rotativo de almoço, muito álcool gel, obrigatoriedade de reunião on-line, proibição de descolamento entre as unidades, campanha educativa, etc. Inclusive, algumas indústrias parecem que tiveram que dar férias para os funcionários, fazer jornadas reduzidas ou até folgar os feriados do ano de uma só vez por conta da redução de demanda. Depois de um tempo, com as vacinas, todos voltaram ao “normal” com medidas restritivas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

mercado de engenharia
Imagem reproduzida de World Scholarship Forum

“Qual foi o impacto geral em seu estudo e/ou trabalho dos acontecimentos de 2020 e 2021, incluindo a crise econômica nacional?”

Foi um período de desafios e adaptações, que exigiu ainda mais flexibilidade, esforço e concentração! O clima ficou tenso – tanto do prisma do funcionário, quanto do empregador! Alguns lembraram do aumento de impostos. Com os preços subindo demais, impediu reajustes de encargos diante das empresas. Houve escassez de serviços, queda de demanda. Engenheiros precisaram recorrer à “bicos” para manter seus salários – até mesmo porque muitas empresas optaram, na crise, por fazer o desligamento dos mesmos. E quem ficou em casa “folgando”, o que fez? Aproveitou as ofertas de cursos on-line – o que, para alguns, resultou em promoção nas empresas.

“Qual foi a sua reação diante das limitações ou dificuldades deste período? Por exemplo, busca por atualização, por networking e desenvolvimento de espírito empreendedor?”

  • Sentimento de frustração e insegurança;
  • Aposta na sua força de vontade e criatividade;
  • Vontade de agir contra a maré e abrir novas frentes de trabalho – como abertura de empresa, prestação de serviços, atendimentos como coach, etc;
  • Necessidade de desenvolver capacidade de comunicação e contatos com colegas;
  • Necessidade de ir atrás de novos clientes – margem de segurança;
  • Aprofundamento nos estudos – como de idiomas – e busca por experiências novas de trabalho;
  • Reanálise do seu próprio currículo;
  • Reanálise da situação de vida pessoal, saúde e atividades extracurriculares; e
  • Vontade de aprender mais sobre investimentos no mercado financeiro.
Imagem reproduzida de Rondoniagora

“Após a vacinação, sentiu alguma diferença no mercado?”

A resposta da maioria é ‘sim’! De que há, apesar das incertezas, um leve sentimento de esperança! Mercado reaquecendo e mais confiante com reabertura de vagas nas empresas e a reabertura das salas de aula – ainda que em modelo híbrido, uma parte on-line e outra presencial. Parece que algumas atividades estão retornando com mais força, com o surgimento de novas oportunidades de negócio principalmente no terceiro setor. Em contrapartida, a crise inflacionária deve continuar prejudicando vários nichos de mercado. De fato, o gráfico ainda não está como era antes da pandemia.

“Como você enxerga que será 2022 ou a Engenharia pós-pandemia?”

“Com medo!”, “Com diferenças!” e “Muito trabalho!”. Certamente, olhos mais abertos para o Home Office. A Engenharia será cada vez mais digital; e a inteligência artificial vai impactar cada vez mais a profissão! Após a crise e demissões, cada vez mais o conhecimento passou a ser um commodity, ou seja, as empresas devem dar muito mais valor ao profissional que resolve problemas. Os profissionais precisarão desenvolver cada vez mais habilidades digitais, capacidade de aprender e aprimorar sua flexibilidade e comunicação, entre outros aspectos. Talvez setores focados em tecnologia sejam os mais beneficiados. Até porque muitas ferramentas, antes em ritmo lento, hoje estão normais para o público e quem está sabendo utilizar está se destacando.

Teremos, então, um futuro voltado para as inovações e investimentos em responsabilidade social e governança corporativa! E, sem casos de novas variantes, teremos um pico de negócios seguido de estabilidade acima da anterior, no que diz respeito a transações comerciais e prestações de serviços.

Inclusive, um dos colaboradores do 360 chegou a lembrar da revolução que já começou no Brasil depois do leilão de 5G. Parece que haverá um avanço, pois agora a tecnologia vai ser finalmente implementada. Novas operadoras devem começar a chegar em diferentes regiões do país. A Amazon, por exemplo, quer entrar no mercado de provedores de internet, chegando em locais remotos através de internet via satélite. Ademais, o mercado de telecom e TI promete muito! Porém, devido à pandemia e a economia que enfraqueceu, diminuiu muito a quantidade de usuários – é a primeira vez em muito tempo que o número de usuários que cancelaram ultrapassa os novos.

mercado de engenharia
Imagem reproduzida de Engrenar Jr.

“Gostaria de compartilhar uma mensagem final ou mesmo uma dica para os seguidores/leitores do Engenharia 360?”

“Continuemos – com força, foco e fé – as nossas lutas e lutas coletivas, pois a vida não para!”

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

“Capacitem-se. Não só na área técnica (isso é o básico). O profissional que irá se destacar, em qualquer área, é aquele mais preparado tecnicamente e emocionalmente. Não falta trabalho para engenheiros bem capacitados. Muito pelo contrário: são as famosas ‘moscas-brancas’, difíceis de encontrar e bem valorizadas quando encontradas.”

“A pandemia foi um tempo de crise, mas também de muitas oportunidades. É interessante procurar cursos de atualização que cresceram sua oferta nesse período. Após o período de demissões, hoje as empresas estão voltando a contratar novos profissionais, onde, na minha visão, serão cada vez mais valorizados pela sua capacidade de resolução de problemas do que só pelo currículo acadêmico.”

“Se vacinem e cuidem de suas saúdes. Foquem nos estudos e sigam canais de confiança para se informarem, como o Engenharia 360.”

“Estudem muito! Não só conteúdos de engenharia, mas estudem economia, finanças, gestão, comunicação, etc. Conheçam novas culturas. Quanto maior seu repertório, maiores serão suas chances de sucesso.”

“Já era difícil antes da pandemia lidar com a ansiedade e excesso de informações. Hoje, então, o mundo digital está muito maior e ,claro, vai aumentar. Temos que aprender a filtrar o conhecimento e notícias para não nos perdermos. Tenha um objetivo traçado e tente, ao máximo, ‘seguir o roteiro’.”

“Enfrente e em frente.”

Live especial Engenharia 360

Nós continuamos a nossa conversa também em uma live especial no Instagram do Engenharia 360! Confira o vídeo a seguir!


Fizeram parte da construção desta produção de conteúdo os seguintes colaboradores do 360: Cristiano Oliveira da Silva, Daniel dos Santos Silva, Rafael Panteri Nakahara, Diego Rafael Santos, Luan Carlos Rodrigues, Ana Claudia Santos, Eduarda Oliveira dos Santos, Jéssica Pereira Dias, Daiane Junia da Silva, Simone Tagliani.

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.