Engenharia 360

O que é uma Planta Piloto na Indústria?

Engenharia 360
por Redação 360
| 04/08/2022 | Atualizado a 24 horas 3 min

O que é uma Planta Piloto na Indústria?

por Redação 360 | 04/08/2022 | Atualizado a 24 horas
Engenharia 360

Quem lida com processos industriais já sabe que a planta piloto é um modelo de sistema de processamento físico ou químico. O mesmo é desenvolvido em pequena escala para poderem ser identificadas partes críticas do processo industrial de modo que as instruções corretas possam ser fornecidas à equipe de manufatura. Desse jeito, fica mais fácil, depois, adaptar o projeto, construir e operar o sistema para instalações maiores – escala industrial ou escala de produção.

Plantas pilotos ajudam a identificar se determinados processos idealizados são técnica e economicamente viáveis. Geralmente elas são construídas em laboratórios, em equipamentos de laboratório. Mas tem também aquelas específicas, feitas de metal sobre lajes de concreto exclusivas e que custam milhões de dólares. Saiba mais no artigo a seguir!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

planta piloto para indústria
Imagem reproduzida de SciELO

Principais características de uma planta piloto

Toda planta piloto precisa ser tecnicamente flexível em termos de seus parâmetros de operação ou variáveis de processo; em comparação, uma planta industrial opera sempre nas mesmas condições rigorosamente. Durante a investigação ou estudo do processo, é possível testar valores de temperatura, pressão, e mais, até se chegar aos valores certos para a expansão adequada da capacidade produtiva.

Veja Também: Saiba como funciona o Controle PID na indústria

Objetivo da criação de plantas pilotos

Então, explicando melhor, uma planta piloto serve para podermos testar os materiais em menor escala industrial, entendendo possíveis comportamentos de produtos, novas matérias-primas, ou de diferentes condições operacionais, por exemplo. Imagina o quanto isso é relevante principalmente quanto uma indústria é nova e vai começar uma operação. Mas também vale para médias e pequenas empresas que estão ampliando sua produção.

planta piloto para indústria
Imagem reproduzida de Portal Information Management

Enfim, estes testes são mesmo necessários! Entendemos como fica a estabilidade, as reações químicas, os comportamentos, as propriedades, a correalidade e mais dos sólidos nas diversas etapas. E também fica mais claro por quais equipamentos precisam passar em uma determinada operação industrial. Lembrando que mesmo que tenham sido elaboradas previamente algumas fórmulas, os resultados podem ser insatisfatórios. Eis mais um motivo para a criação das plantas pilotos!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Com as plantas piloto obtêm-se um conjunto mínimo de regras e diretrizes de operação para garantir resultados de qualidade!

Veja Também: Engenharia Metalúrgica: minérios em metais e ligas metálicas para aplicações industriais

planta piloto para indústria
Imagem reproduzida de Stringfixer

Outras vantagens das plantas pilotos:

  • Sua construção é substancialmente menos cara do que de uma planta a plena escala – se um projeto é mesmo ineficaz ou inviável, já se sabe sem grandes comprometimentos de capital ou situações de risco.
  • Alterações de projeto podem ser feitas a preços mais baixos na escala piloto e alterações no processo podem ser trabalhadas antes da planta de grande escala ser construída.
  • Sem muita complexidade, rapidamente se obtém, por essa planta, dados de engenharia que podem ser refinadas e aplicadas a projetos de interesse.

Uma curiosidade: uma planta de demonstração é maior que uma planta piloto, mas menor do que planta comercial.

planta piloto para indústria
Imagem reproduzida de IQ Unicamp

Veja Também: Desenho Industrial: utilizando o 3DEXPERIENCE Connector para gerenciamento de produtos


Fontes: Wikipedia, Hosokawa.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.

Assine nossa newsletter
e receba
uma curadoria exclusiva de conteúdos: