Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Modelos BIM: saiba TUDO sobre a Tecnologia de Nuvem de pontos

por BIM na Prática | 22/10/2021

A nuvem de pontos para modelos BIM é um grande potencial para o setor, ainda pouco explorado no Brasil. Descubra mais como fazer e o processo de captura.

A demanda por levantamentos de empreendimentos existentes irá aumentar cada vez mais, abrindo grandes oportunidades para levantamentos de nuvem de pontos em BIM

Ampliações ou reformas sempre carregam uma carga de complexidade, que seriam os levantamentos das condições existentes. Além de ser demorado, o levantamento, até então convencional – com trena e anotações em uma folha – possui uma baixa precisão.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Embora ainda atrasada, a construção civil tem trazido tecnologias que vêm facilitando muito o trabalho; e para levantamento de empreendimentos existentes não é diferente. 

Equipamentos de escaneamento por laser (laser scanners) fazem um apanhado de dados a partir de pontos estratégicos e montam um “modelo” com milhares de pontos que podem ser lidos em softwares específicos. E que, a partir dessa Nuvem de Pontos, geram uma visualização 3D com alta precisão.

Existem vários tipos de equipamentos capazes de fazer esse levantamento. Desde os mais caros até equipamentos que provavelmente estão à sua vista nesse momento.

Sim, os smartphones com tecnologia LIDAR (Light Detection And Ranging) conseguem fazer esses levantamentos de forma muito prática!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Além dos scanners a laser e smartphones, drones tem sido muito usados para esse fim, incluindo levantamento topográfico.

captura de nuvem de pontos
Exemplo de captura de Nuvem de Pontos com Drones (Fonte: Autodesk)

Como funciona?

Os equipamentos fazem um escaneamento unido à localização geográfica. Com isso conseguem, a partir das “imagens” de vários pontos, gerar uma “nuvem de pontos” que, por serem densos, acabam criando um “modelo 3D”

Alguns equipamentos criam esses pontos coloridos, quase que uma imagem com uma ótima definição do local.

Já foi possível acompanhar casos em que foi identificada, na nuvem de pontos, uma infiltração na parede. Aliás, em levantamentos que, como trabalho no setor, eu mesmo já tive o prazer de acompanhar.

Qual é a precisão?

A precisão dos levantamentos depende muito do equipamento utilizado. Obviamente que, quanto mais preciso você tiver de ser, maior deverá ser o seu investimento!

Inclusive, a precisão é diretamente proporcional à quantidade de pontos que o equipamento consegue capturar em um determinado volume!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Há equipamentos com precisão milimétrica e alcance de mais de 300 m. E normalmente esses equipamentos são scanners a laser.

Já o levantamento com Fotogrametria, utilizando drones ou smartphones, tem uma precisão menor, podendo chegar a centímetros de precisão. Mas não os julguem, pois a precisão com a trena também é baixa.

O que fazer após o levantamento?

O levantamento da nuvem de pontos facilita o trabalho, mas ainda não faz milagre. Após o levantamento você precisa fazer um tratamento desses pontos para que não fiquem tão pesados, e importar em um software de modelagem para criar um modelo a partir da nuvem (não, a nuvem não é um modelo, infelizmente).

Esses pontos se tornam referência dentro do software e você pode facilmente modelar sobre eles. Como mencionado, não é um milagre. Mas por experiência própria do autor, é importante destacar que é muito mais fácil e mais rápido que uma modelagem do zero.

Veja no vídeo a seguir como fica um modelo com precisão de aproximadamente 2 mm:

Conclusão

A nuvem de pontos é um grande aliado dos levantamentos e facilita muito a modelagem. A visualização em “3D” torna acessível para qualquer modelador executar o trabalho, eliminando a necessidade de interpretar o que o profissional de campo tentou representar nas anotações. 

E se quiser acompanhar mais sobre tendências de modelagem e até levantamentos de nuvem de pontos futuras, acompanhe nossa página no Instagram: @bim.napratica.

Inclusive, deixamos algumas sugestões de softwares BIM gratuitos para visualizar possíveis modelos vindos de nuvem de pontos ou modelagens do zero. Confira no final deste blog post!

Os equipamentos ainda não possuem preços muito acessíveis. Porém, se você trabalha com levantamentos e tem uma alta demanda, pode ter certeza que o retorno sobre o investimento é interessante.

Comentários

Engenharia 360

Paulo Maragno | BIM na Prática

Ajudamos estudantes e profissionais a aprenderem as habilidades necessárias para o novo mercado da construção, por meio de cursos de BIM e soft skills em parceria com a Trilho.