Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Nem helicóptero, nem avião: esse drone gigante promete ajudar a resgatar soldados e funcionar como ambulância voadora

por Leticia Fernandes | 21/02/2017
Copiado!

O drone pesa 1,5 tonelada e tem capacidade para até 500 kg (Foto: New Atlas)


Nos últimos anos, os drones se tornaram uma febre entre os aficionados por tecnologia, seja para lazer ou como ferramenta de trabalho. Esses pequenos robôs voadores comandados por controle remoto também são utilizados por empresas de vigilância e segurança, com uma pequena câmera acoplada para filmar ou fotografar as áreas vigiadas.
Como não poderia deixar de ocorrer, exércitos também lançam mão do esquipamento em algumas missões. Soldados norte-americanos, por exemplo, controlam o modelo Switchblade em missões no Afeganistão, acompanhando o posicionamento dos drones por meio de vídeos ao vivo e realizando ataques.

Com modelos cada vez menores e mais leves, surpreende que uma das novidades seja justamente um drone israelense que pesa 1,5 tonelada. Trata-se do Cormorant, da Urban Aeronautics. Resultado de 15 anos de pesquisa, o equipamento foi criado para transportar passageiros, tendo capacidade para até 500 kg.

As vantagens do Cormorant sobre os helicópteros são voar entre prédios e abaixo das linhas de energia (Foto: eXtravaganzi)

Ambulância voadora

Previsto para ser lançado nos próximos três anos, o Cormorant pode alcançar 185 km/h. Ao custo de US$ 14 milhões, a ferramente possui rotores internos no lugar de hélices de helicóptero e foi projetado para auxiliar o exército israelense na retirada de pessoas de locais inseguros, como em casos de evacuação de equipes médicas em campos de batalha, sendo apelidado de ambulância voadora.
Por poder ser pilotado de modo remoto, o drone israelense adentra ambientes hostis de maneira robótica, permitindo que forças militares tenham acesso seguro a eles. Além disso, seus inventores afirmam que o veículo autônomo é mais seguro do que um helicóptero, já que, ao contrário desses meios de transporte, voa entre os edifícios e abaixo das linhas de energia, sem correr o risco de bater a hélice.
Confira abaixo um voo teste do Cormorant, realizado em novembro do ano passado:


Veja também: Como o uso de drones pode revolucionar a construção civil 


Fontes: Canaltech, Revista Galileu, TechTudo e The Times of Israel.

Copiado!

Comentários