Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Morre Antônio de Queiroz Galvão, empresário pioneiro da construção civil brasileira

por Matheus Martins | 20/01/2020
Copiado!

O empresário Antônio de Queiroz Galvão, um dos fundadores do grupo Queiroz Galvão, faleceu na madrugada do último dia 19 (domingo), em Recife (PE), vítima de um AVC, aos 96 anos.

A morte de um ícone

Antônio de Queiroz Galvão nasceu em Timbaúba, na zona da Mata de Pernambuco, mas se mudou para Recife ainda na infância. Em 1953, junto ao irmão Mário, fundou a construtora Queiroz Galvão.

Seus irmãos mais novos, Dário e João, posteriormente se tornaram sócios da empresa. Agora, apenas João continua vivo. Antônio atualmente não ocupava cargo na empresa.

Antônio de Queiroz Galvão. Imagem de perfil.
Antônio de Queiroz Galvão. Fonte: correio24horas.com.br

O grupo fundado pelos irmãos Queiroz Galvão cresceu e se tornou um dos maiores do Brasil, especialmente para o setor de infraestrutura. No início a empresa atuava na construção de estradas e pequenas obras de saneamento. Atualmente, o Grupo Queiroz Galvão tem se estabelecido na América do Sul, Caribe e África.

Quem foi Antônio de Queiroz Galvão?

Antônio formou-se em engenharia civil em 1946 pela Escola de Engenharia de Pernambuco da Universidade Federal de Pernambuco. Após formar-se, trabalhou como diretor de Obras da Prefeitura do Recife por 7 anos. Ainda em 1952, fundou junto ao colega Nilton Gurcino a Construtora Freitas e Galvão, que acabou não decolando pela desistência de Nilton. Então, com o irmão Mário, fundou o Grupo Queiroz Galvão, que é hoje um gigante mundial.

Antônio Querioz Galvão está para a construção civil brasileira, analogamente, assim como está Norberto Odebrecht (fundador do Grupo Odebrecht) e Sebastião Ferraz de Camargo (fundador da Camargo Correia). Estes empresários, em meados do século passado, foram jovens pioneiros que levaram o nome do Brasil para a pasta de grandes obras de engenharia.

O Grupo Queiroz Galvão

O grupo iniciou suas obras em 1954 com a obra de abastecimento de água de Limoeiro. Após esse período, mudou o foco de atuação da empresa para pavimentação e obras complementares, como drenagens, perfazendo o caminho para a construção de rodovias, como a BR-101 Norte e Sul.

Logomarca do grupo queiroz galvão
Imagem: construtoraqueirozgalvao.com.br

Já nos anos 60, realizaram obras de estradas para o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) de São Paulo e logo depois no Rio de Janeiro, também para o DER. Em 1963, a sede do grupo foi transferida para o Rio de Janeiro, e os irmãos João e Dário entraram para o grupo. Pouco depois, iniciaram trabalhos no DER do estado do Paraná.

Obra na Rodovia dos Tamoios no estado de São Paulo
Obra na Rodovia dos Tamoios no estado de São Paulo. Fonte: construtoraqueirozgalvao.com.br

Na década seguinte, atuaram nas obras das barragens de Tapacurá e Goitá, que beneficiaram Recife, protegendo a cidade das enchentes. Ao final dos anos 1970, passaram a atuar na construção de edifícios residenciais em Pernambuco.

Nos anos 1980 o grupo expandiu sua área de atuação, inciando a exploração de petróleo e gás e criando um banco, o BGN (Banco Galvão de Negócios). Já nos anos 90, ingressaram no mercado de concessões nas áreas de saneamento, rodovias e energia. A partir de 2006, Antônio iniciou o seu processo sucessório.

Foto da entrega da Medalha de Mérito José Mariano a Maurício José Queiroz Galvão, representando o Grupo Queiroz Galvão
Entrega da Medalha de Mérito José Mariano a Maurício José Queiroz Galvão, representando o Grupo Queiroz Galvão. Fonte: recife.pe.leg.br

Em 2013, no dia do Engenheiro, o Grupo Queiroz Galvão, então com 60 anos de mercado, foi homenageado com a Medalha do Mérito José Mariano ao seu fundador, Antônio, que na ocasião esteve representado por seu filho.

O Grupo Queiroz Galvão acabou também sofrendo recentemente com as investigações da Lava jato, o que fez com que a empresa diminuísse seus negócios.

Uma grande perda para o Brasil e o Pernambuco

Entre as notas de pesar, o prefeito de Recife, Geraldo Julio disse: “Ele foi Diretor de Obras da Prefeitura do Recife e tem sua história de vida ligada ao desenvolvimento de Pernambuco e do Brasil, sendo responsável por criar a construtora responsável por algumas das principais obras estruturadoras que colocaram nosso estado no caminho do crescimento e pela geração de milhares de empregos”.

Ainda, o governador do estado, Paulo Câmara, lamentou: “ Filho da zona da Mata Norte, deixa um legado importante na área da construção civil do nosso estado e do país. Neste momento, quero me solidarizar com seus familiares e amigos”.

Fonte: Uol, G1, Abril.

Copiado!
Engenharia 360

Matheus Alves Martins

Mestrando em Ciência dos Materiais, Engenheiro Civil, MBA em Gestão de Projetos e Auditor Líder ISO 9001:2015. Um sul-mato-grossense entusiasta da gestão, da qualidade e da inovação na indústria da construção. Fã de tecnologias e eterno estudante de engenharia.

Comentários