Engenharia 360

Impressão 3D de órgãos pode acabar com fila de transplantes

Engenharia 360
por Clara Ribeiro
| 13/05/2021 | Atualizado em 28/01/2023 2 min

Pesquisadores da Universidade de Buffalo criaram uma técnica de impressão 3D que auxilia na produção de órgãos artificiais com extrema velocidade. Saiba+!

Impressão 3D de órgãos pode acabar com fila de transplantes

por Clara Ribeiro | 13/05/2021 | Atualizado em 28/01/2023

Pesquisadores da Universidade de Buffalo criaram uma técnica de impressão 3D que auxilia na produção de órgãos artificiais com extrema velocidade. Saiba+!

Engenharia 360

Pesquisadores da Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, criaram uma técnica de impressão 3D que auxilia na produção de órgãos artificiais com extrema velocidade.

Os cientistas que desenvolveram o projeto afirmam que a nova tecnologia pode ser de 10 a 50 vezes mais rápida do que o padrão atual presente na indústria. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Em filmagens divulgadas pela instituição de ensino, é possível visualizar uma mão sendo criada em apenas 19 minutos – diferente das cerca de seis horas com o uso de métodos tradicionais. 

De acordo com o professor de engenharia industrial e de sistemas, Chi Zhou, a qualidade da impressão permite que o futuro da nova tecnologia produza órgãos artificiais.

tecnologia
Imagem extraída de
Olhar Digital

Como funciona a impressão 3D de órgãos?

Para o professor Chi Zhou “o método permite a impressão rápida de modelos de hidrogel na escala de centímetros. Reduz significativamente a deformação de peças e lesões celulares causadas pela exposição prolongada aos estresses ambientais que você comumente vê em métodos convencionais de impressão 3D”.

Além disso, a criação de órgãos artificiais depende da estereolitografia, método que utiliza-se de lasers que endurecem a resina líquida e substâncias gelatinosas, conhecidas como hidrogéis. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A saber, a utilização de hidrogéis acontece de forma rotineira na vida de milhões de pessoas. Afinal, eles são utilizados na produção de lentes de contato e fraldas descartáveis, por exemplo. 

Todavia, a tecnologia desenvolvida pelos cientistas da Universidade de Buffalo demonstra significativamente os benefícios desse material na biomedicina

tecnologia
Imagem extraída de Transferencia Tec – Tecnológico de Monterrey

Quais os possíveis impactos?

A impressão 3D de órgãos pode trazer impactos positivos e negativos. Caso a nova tecnologia e a pesquisas dos cientistas se concretizarem, mais vidas poderão ser salvas, dia após dia. 

Trata-se de uma luz no fim do túnel, muitas vezes inimaginável para a maioria dos pacientes que aguardam na extensa fila por uma doação de órgãos.  

Todavia, a novidade tende a virar a ambição de várias empresas do ramo. Elas podem visar apenas a questão financeira para angariar lucros com essa tecnologia. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ademais, a versatilidade e rapidez da impressão 3D de órgãos desenvolvida nos Estados Unidos, impressiona o mundo todo. 

A possibilidade de, em um futuro próximo, criar órgãos a partir do zero para salvar vidas, demonstra os enormes avanços tecnológicos, assim como diversas questões éticas a serem enfrentadas. 

E então, gostou de conhecer acerca da impressão 3D de órgãos? Qual a sua opinião sobre essa tecnologia? Conte para a gente!


Fonte: Razões para Acreditar.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Engenharia 360

Clara Ribeiro

Jornalista especializada em arquitetura e engenharia. Ávida consumidora de informação; viciada em produzir conteúdo; amante das letras, das artes e da ciência.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo