Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

China anuncia início da construção da sua estação espacial

por Larissa Fereguetti | 05/04/2019
Copiado!

É impossível negar que a China tem planos grandiosos. Neste ano, o país pousou uma espaçonave no lado mais afastado da Lua e também anunciou o início da sua estação espacial, que deve ficar pronta até 2022.

+Tiangong: a estação espacial chinesa

A nova estação espacial, chamada Tiangong, terá um módulo central e outros dois módulos para experimentos. O peso será de 66 toneladas e ela poderá abrigar até três pessoas. É nesse espaço que a China pretende realizar experimentos como os que já são feitos na Estação Espacial Internacional (ISS).

estação espacial
Imagem: newscientist.com

Os planos são de que o núcleo da estação espacial (Tianhe) tenha cinco portas de ancoragem, um braço robótico e locais internos para realização de experimento. Em um dos módulos (Wentian) também deve haver espaço para pesquisa e um braço robótico e, no outro (Mengtian), deve haver uma porta de encaixe para interagir com naves visitantes, módulos de suporte e veículos de reparo.

Os astronautas já estão em recrutamento e treinamento. A boa notícia é que a China concordou em abrir espaço para que pesquisadores de outros países possam realizar seus trabalhos a bordo da estação.

+ China e a conquista espacial

Ao ter sua própria estação espacial, a China aumenta sua capacidade de inovação científica e tecnológica. O local também servirá como suporte para missões espaciais que o país possa vir a lançar. Espera-se que ela fique em órbita por, pelo menos, dez anos.

O programa espacial tripulado da China foi lançado formalmente em 1992, muitos anos depois que os Estados Unidos e a União Soviética já tinham explorado o espaço durante a Guerra Fria. Desde então, o país está investindo cada vez mais na área.

estação espacial
Imagem: brecorder.com

Embora a estação espacial chinesa seja consideravelmente menor que a ISS, ela servirá para os propósitos de pesquisa e ainda terá um custo menor, o que é uma vantagem. No entanto, isso também pode limitar as pesquisas realizadas ali.

Tudo indica que a China não vai parar por aí. Com uma verba de 8 bilhões de dólares par o programa espacial, o país também quer construir uma estação de energia solar na órbita da Terra. Com isso, a China só perde para os Estados Unidos no quesito dominação do espaço. Ousado, mas nos sabemos que, quando se trata dos engenheiros chineses, tudo é possível.

Referências: China Power; Bloomberg.

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Comentários