Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenheiros fazem transistores e dispositivos eletrônicos flexíveis

por Larissa Fereguetti | 20/09/2019

Recentemente, nós mostramos como alguns engenheiros fizeram uma “impressão eletrônica” em diferentes superfícies, incluindo as flexíveis. Segundo essa onda dos eletrônicos flexíveis, um outro grupo de engenheiros criou transistores e outros dispositivos eletrônicos flexíveis.

A vantagem desses eletrônicos flexíveis é que eles podem ser usados em diferentes locais, inclusive na pele e em implantes cirúrgicos que monitoram alguma condição física. Segundo os pesquisadores, ele permitem a livre circulação sem comprometimento de suas funções.

eletrônicos flexíveis
Imagem: pubs.acs.org

Eles foram chamados de TBTs (thread-based transistors). Eles podem ser modelados em circuitos lógicos simples e substituem o último componente rígido restante de muitos dispositivos flexíveis atuais. Ainda, permitem a criação de dispositivos multiplexados e flexíveis quando combinados com sensores baseados em encadeamento.

O campo da eletrônica flexível está ganhando espaço rapidamente. Os dispositivos possuem metais e semicondutores em estruturas flexíveis ou polímeros condutores. Tais eletrônicos permite a aplicação de dispositivos que se adaptam de acordo com o tecido biológico no qual estão incorporados (alguns exemplos são pele, coração e tecido cerebral).

A diferença é que os eletrônicos flexíveis desenvolvidos nessa pesquisa possuem algumas vantagens em relação aos baseados em polímeros e outros materiais flexíveis. Uma delas é a flexibilidade, que é melhor, além do fato de que podem incluir dispositivos extremamente finos, macios e flexíveis o suficiente para uma melhor integração aos tecidos biológicos.

Anteriormente, os engenheiros desenvolveram um conjunto de sensores de temperatura, glicose e outros e aparelhos que podem coletar amostras ou distribuir medicamentos para o tecido circundante. Os transistores desenvolvidos permitem criar circuitos lógicos que controlam o comportamento e a resposta desses componentes.

eletrônicos flexíveis
Imagem: phys.org

Para testar, os pesquisadores criaram um circuito integrado simples de pequena escala chamado multiplexador e conectaram a um conjunto de sensores capazes de detectar íons de sódio e amônio (biomarcadores importantes para avaliar a saúde cardiovascular, hepática e renal). Os experimentos em laboratório mostraram que o dispositivo é capaz de monitorar alterações nas concentrações de sódio e amônio em vários locais. Isso pode ser o começo de uma nova era de biomarcadores e de outros eletrônicos implantáveis.

Referências: Phys.org.

Comentários

Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.