Engenharia 360

Bye-bye Torre da Cápsula Nakagin de Tóquio, a morte de um ícone

Engenharia 360
por Simone Tagliani
| 03/05/2022 4 min

Bye-bye Torre da Cápsula Nakagin de Tóquio, a morte de um ícone

por Simone Tagliani | 03/05/2022
Engenharia 360

Durante meio século, a Torre da Cápsula Nakagin de Tóquio, do autor Kisho Kurokawa, foi um modelo de utopia da Arquitetura e Engenharia Civil. Este sempre foi um prédio bastante famoso, inclusive entre os estudantes das faculdades. E não podemos negar que ele era mesmo bem charmoso. Aliás, reparou no “era”? É que tal construção está sendo demolida desde abril, após meses de diversas tentativas para a sua preservação. Mais informações sobre o caso no artigo a seguir!

Veja Também:

Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de Jornal de Notícias
Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de Ostrev News

A história desse ícone japonês

Você deve saber que os japoneses têm essa tradição de habitar espaços muito pequenos e fechados. E como um tipo de símbolo da cultura pós-guerra, foi assim que surgiu essa Nakagin. A criação da Torre da Cápsula, nos anos 70, representa justamente o despojamento do Movimento Moderno, a apreciação dos materiais crus, o desprendimento de decorações inúteis e de arquétipos, além do “realismo em prol do sentir”.

Do lado de fora, a estrutura de 140 “caixotes” eram distribuídos em um pilar central. Parecia mais um monstrinho pronto para ganhar vida – e que até alguns achavam bem feio -, mas que um dia foi a visão do que era o futuro da vida urbana. E do lado de dentro, ambientes de 10 metros quadrados repletos de soluções high-tech, com uso de materiais industriais de alta tecnologia e elementos complexos e robustos.

Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de Pinterest
Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de Aleks Gontarz
Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de ResearchGate

Os últimos anos

Acontece que a irreverente Torre da Cápsula, que sempre foi cheia de significado e admirada como um projeto irresistível, uma arquitetura adaptável e dinâmica mantida de pé por cinquenta anos, caiu quase em total desuso, tendo-se tornado insegura. Bem, na verdade, o plano original já não estava mesmo sendo cumprido, já que os “caixotes” deveriam ser substituídos do núcleo a cada vinte e cinco anos. E, passado os anos, nenhum reparo foi efetuado. Assim, em 2007, a associação de moradores votou pela venda da torre a um promotor que pretendia demoli-la.

Essa história deu uma reviravolta em 2020, com a pandemia e a falência da empresa que comprou a Torre da Cápsula. Em 2021, a propriedade passou pelo grupo Capsule Tower Building (CTB). E antes do início da demolição, agora em 2022, muitas foram as petições e campanhas para tentar proteger este marco da Arquitetura e da Engenharia. Algo que estimulava os movimentos de permanência era o potencial turístico do prédio, assim explorado desde 2018, quando as cápsulas foram alugadas como acomodações temporárias. Autoridades locais até consideraram solicitar o estatuto de proteção à UNESCO. Outros reuniram dinheiro para renovar a torre e remover o amianto. Contudo, nenhuma abordagem foi bem-sucedida.

Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de ArchDaily Brasil
Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de Jornal de Notícias

O que acontecerá com as cápsulas

Infelizmente, para o azar da Torre da Cápsula, o Japão não tem legislação para preservar esse tipo de patrimônio arquitetônico. Agora, esse modelo moderno se perdeu. Bom, pelo menos em parte. Isso porque a equipe que coordenou a demolição vai separar algumas cápsulas inteiras para que sejam convertidas em acomodações ou instalações de museus em diversas partes do mundo. E, inclusive, nesse momento, campanhas de financiamento coletivo estão reunindo dinheiro para os reparos dessas cápsulas que já estão sendo doadas.

Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de Domus
Torre da Cápsula
Imagem reproduzida de National Geographic

Fontes: Sapo, ArchDaily, Isto é Dinheiro.

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; técnica em Publicidade; pós-graduada em Artes Visuais e Jornalismo Digital; estudante de Marketing; e proprietária da empresa Visual Ideias.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo