Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CPM x PERT na Programação de Projetos

por Jéssica Dias | 03/12/2014
Copiado!

Quando uma empresa ou organização possui projetos a serem realizados há muitos fatores a serem considerados, como custos, materiais, recursos humanos e tempo. Muitos projetos, especialmente os mais complexos, sofrem muitos atrasos e consequentemente têm custos adicionais e perdas, além da diminuição da credibilidade por não entregar o produto final na data prometida. É evidente então a necessidade de se planejar e programar bem o projeto.

project-scheduling-blog-da-engenharia

Fonte: getosmosis.com



A programação de projetos é a maneira de transformar o plano de ação em um “calendário”, uma tabela onde se pode ver o que deve ser feito ao longo do tempo de forma a terminar dentro do prazo.  Junto com o planejamento e o custo, a programação é uma das bases para o gerenciamento dos projetos: ela mostra quando uma tarefa deve começar e terminar e identifica quais são as tarefas que, se sofrerem atraso, atrasarão a todo o projeto.

Programação é a base para o controle e monitoramento do projeto

Existem duas ferramentas amplamente utilizadas para resolver ou pelo menos amenizar estes problemas, são elas CPM e PERT.

cpm-blog-da-engenharia

Gráfico CPM exemplo. Fonte: pcoder.net

Critical Path Method (Método do caminho crítico) 

CPM é uma técnica utilizada em projetos que possuem atividades previsíveis e onde as tarefas têm durações determinísticas, ou seja, sabe-se sua duração com (quase) certeza. Ela permite identificar quais tarefas devem ser completadas para que o projeto termine no prazo e também quais tarefas podem ser atrasadas caso haja a necessidade de realocar recursos, por exemplo. Além disso, o CPM oferece uma estimativa do custo e tempo necessário para completar cada projeto.

Program Evaluation and Review Technique (Avaliação do programa e técnica de revisão)

No PERT as atividades possuem duração probabilística e esta ferramenta é usada em projetos cujas tarefas são imprevisíveis ou não se sabe ao certo o quanto vão demorar, como por exemplo, em projetos de pesquisa e desenvolvimento.  Para calcular o tempo esperado de cada atividade são usadas 3 estimativas: a mais provável, a pessimista e a otimista. A partir destes dados as estimativas são feitas e a programação vai sendo traçada.
Assim, em projetos que permitem um período maior para ser finalizado e que é difícil ser estimado, o PERT é mais adequado, enquanto em projetos convencionais com atividades e tarefas previsíveis utiliza-se o CPM.

pert_chart-blog-da-engenharia

Gráfico PERT exemplo. Fonte: cs.unc.ed


 
Referências: mindtools.com , differencebetween.net , ehow

Copiado!
Engenharia 360

Jéssica Dias

Engenheira de Produção formada pela UENF com mais de dois anos de experiência em cadeia de suprimentos (supply chain), passando por funções nas áreas de logística, processos e planejamento de materiais. Apaixonada por tecnologia, leitura, ensinar o que sei e ajudar a outras pessoas a serem melhores em suas carreiras.

Comentários