Engenharia 360

Internet das Coisas (IoT): o que é e quais as suas aplicações na prática?

Engenharia 360
por Simone Tagliani
| 02/06/2021 | Atualizado em 16/01/2023 4 min

Internet das Coisas (IoT): o que é e quais as suas aplicações na prática?

por Simone Tagliani | 02/06/2021 | Atualizado em 16/01/2023
Engenharia 360

A IoT ou Internet of Things – a Internet das Coisas – é uma consequência do avanço em várias áreas de serviços, dispositivos, sistemas e comunicação; e seu nome faz justamente referência com a conexão de tudo isso. Hoje, vivemos uma realidade em que sabemos de computadores controlando objetos e objetos controlados por computadores e que são usados para prover diversos serviços diferentes. Ou seja, é uma tecnologia que estará presente em nosso futuro, claro, mas que já está sendo usada em diversas áreas – inclusive ajudando a tornar o mundo melhor. Saiba mais no texto a seguir!

comunicação
Imagem extraída de The Week UK

Qual o significado de IoT?

É difícil, atualmente, pensar em uma vida sem conexão com a Internet. E a Internet das Coisas visa usar esta enorme rede de dispositivos conectados a favor de deixar a vida de todos mais fácil, seja através de elementos simples, como smartphones, somados a sistemas de automação de tarefas, gadgets, e mais. Resumindo, a ideia é usar objetos físicos do dia-a-dia, conectados à Internet, para reunir e transmitir dados.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Veja Também: CHIP: Amazon, Apple e Google se unem a favor de casas inteligentes

Como surgiu a Internet das Coisas?

O conceito de Internet das Coisas surgiu em 1999, dentro do Laboratório de Auto-ID do Instituto de Tecnologia de Massachusetts. O pesquisador de tecnologia Kevin Ashton estudava a identificação por radiofrequência em rede e tecnologias de sensores quando concebeu um sistema de sensores omnipresentes que ajudaria a conectar o mundo físico à Internet. Isto acabou se desdobrando também em um sistema global de registro de bens usando um sistema de numeração único, o código eletrônico de produtos. As tais “etiquetas inteligentes” identificariam objetos que poderiam ser, então, controlados por outros equipamentos, e não por seres humanos!

Quais as possíveis utilizações da IoT nas atividades humanas?

Agora já se sabe que a Internet das Coisas pode ser usada em diversas áreas das atividades humanas. E isto está cada vez mais simples e menos raro para indivíduos, instituições, empresas e cidades inteiras! Por exemplo, em ações de tratamentos médicos. Mas, neste texto, iremos focar nas alternativas que impactam engenharias e arquitetura.

Residências

Dentro de casa, muitas coisas podem ser exemplo de Internet das coisas. Para começar, TVs smart e videogames! Também as novas geladeiras – que podem dar informações sobre estoque e vencimento de alimentos -, fogões – com sistema corta gás -, ar condicionados – com ajuste de temperatura -, aspiradores robôs, lâmpadas – que emitem com ajustes de intensidade e emissão de luzes em tons específicos -, e até berços para bebês – com monitoramento detectando alterações nos sinais vitais da criança.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Veja Também: Saiba mais sobre a Internet das Coisas (IoT) na Construção Civil

comunicação
Imagem extraída de Blog EZTEC

Hospedagens

A Internet das Coisas funciona muito bem para empresas hoteleiras. Um exemplo é a Atrio Hotel Management, administradora de hotéis que acaba de criar a Xtay, uma plataforma informatizada que conecta investidores e hóspedes. Seu aplicativo coordena a demanda de locações distribuídas entre investidores participantes que desejam colocar imóveis para a locação. Para os seus clientes, fica o benefício de comparar preços, localizações, espaços e mais; além de fazer check-in e check-out digitais e com total privacidade. Para os proprietários, custo baixo de operação, soluções inteligentes para projetos e execuções de decoração, e mais.

Aliás, os sistemas de gestão de serviços com equipamentos e softwares também são utilizados pelos hotéis em fechaduras inteligentes, reconhecimento facial, criação de notas fiscais, e mais. Fora isso, tem as etiquetas e os chips minúsculos para coleta e armazenagem de dados via sinais de rádio – ajudando em coisas como “chipar” funcionários e até toalhas.

comunicação
Imagem extraída de Veja

Urbanismo

Neste caso, a Internet das Coisas é essencial para o conceito de Cidades Inteligentes – que levam em conta sustentabilidade, eficiência e qualidade de vida. Ela ajudaria, por exemplo, no controle de tráfego com semáforos programados e sistemas que avisam os motoristas das vagas para estacionar; sistemas de reaproveitamento de água para a irrigação em jardins e fontes públicas controlados digitalmente; sistema de iluminação pública, que tem postes dotados de sensores de presença; ciclovias inteligentes; e mais.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Veja Também: As cidades inteligentes podem ser a solução para os atuais problemas urbanos?

comunicação
Imagem extraída de Caos Planejado

Agricultura

Na agricultura, empresas como a Agrosmart usam drones que realizam imagens aéreas e análises meteorológicas para ajudar os produtores a identificar os melhores locais para plantar as novas safras – por meio de dados de radiação solar, direção do vento, pressão barométrica e o pH das espécies. Já outras empresas oferecem tratores automatizados que usam dados de satélite para controlar desperdícios e até fazer o trabalho de funcionários no período da noite.

comunicação
Imagem extraída de Conhecimento Científico

Fontes: Wikipédia, Tecnoblog, Época Negócios, Revista Hotel News.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; técnica em Publicidade; pós-graduada em Artes Visuais, Jornalismo Digital e Marketing Digital; estudante de Gestão de Projetos; e proprietária da empresa Visual Ideias.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo