Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Testamos o Polo Beats 200 TSI da Volkswagen

por Eduardo Mikail | 17/10/2019
Copiado!

No decorrer de um ano, o VW Polo provou que consegue se manter entre os campeões de vendas. Até janeiro de 2019 os números chegavam a 70 mil de unidades adquiridas pelos brasileiros, que resolveram dar um voto de confiança ao novo hatch da Volkswagen.

Polo-beats-engenharia-360

Com o design baseado na versão Highline topo de linha do modelo, não apresenta muitas diferenças visualmente falando. A mudança se dá no sistema de áudio Beats que é oferecido como opcional e pode agradar os amantes de um som potente.

E como nós não podemos deixar uma novidade dessas passar despercebida, resolvemos testar a máquina. Afinal, não é todo dia que vemos um compacto com som premium de série.

Então vamos lá aos detalhes principais.

O que muda na estrutura

A nova geração apresenta a plataforma modular MQB, que é relativamente mais leve e rígida e deixou o veículo ainda maior. Ele agora tem 4,057 de comprimento, 1,751 mm de largura e 1,468 mm de altura e ainda 2,565 mm de entre eixos.

Polo-beats-engenharia-360

Apesar de ter crescido em tamanho, é bem mais leve que a versão anterior do Polo. São espantosos 44 kg a menos do o modelo antigo e, além disso, em contrapartida, 50% mais no que se refere à rigidez.

O fato de ter 18,5% de aço de conformação a quente também é uma vantagem e tanto. Afinal, tal característica ajuda a reduzir muito o peso da composição total do carro, e traz benefícios sobretudo quando usada em peças de segurança.

Design é praticamente o mesmo

À primeira vista você não vai notar as poucas diferenças entre o novo Polo e o europeu. As principais mudanças aconteceram nos faróis, que agora são de dupla parábola com repetidores de direção integrados.

O que chama atenção também são os faróis de neblina que contam com LEDs diurnos.

Polo-beats-engenharia-360

Em relação às rodas de liga leve, o inovador surge na versão Highline, que pode ser tanto aro 16 polegadas quanto 17 polegadas se o objetivo é garantir um visual sport. Em contrapartida, o novo Polo não possui teto solar elétrico.

Beats Audio como opcional, vale a pena?

Entre os opcionais, o novo Polo oferece o sistema Beats Audio. Essa é uma solução que acompanha a moda já lançada nos carros de luxo, mas que agora surge com força total nos hatchs populares.

Enquanto outras montadoras usam sistemas de som como JBL e B&O Play, a Volkwagen escolheu o Beats Audio para compor seu modelo queridinho do momento. Lembrando que ele já esteve presente em modelos da concorrente Fiat.

Para adquirir o complemento você precisa desembolsar R$ 2.970 a mais na versão final do Confortline, que tem preço inicial de R$ 73.450.  Já na versão Highline é um adicional de R$ 2.360 ao valor de partida.

A pergunta que fica, porém, é: será que vale a pena esse investimento?

Polo-beats-engenharia-360

Bom, quem busca no Polo Beats 200 TSI uma potência de som inabalável pode se decepcionar. Pois apesar de apresentar uma boa qualidade sonora, o pacote opcional não se diferencia muito da versão de saída.

Ao ouvir músicas de variados estilos e em diversas alturas dá para perceber a clareza na dissipação dos graves e agudos. Isso é ótimo. Contudo, pelo valor pedido pelo sistema de som adicional deveria oferecer uma eficiência muito maior.

Um fator que pode justificar esse resultado mediano é o subwoofer pequeno e que fica escondido no encosto do banco de trás. Ele fica praticamente no revestimento do porta-malas.

Em detalhes, o pacote possui som com 300W, amplificador de oito canais, quatro alto-falantes, dois tweeters, e ainda o subwoofer escondido que citamos anteriormente.

Além do sistema de som, o pacote Beats também conta com outros elementos. Com esse adicional, o carro ganha emblemas nas laterais, bem como na soleira. Há ainda capas vermelhas para os retrovisores e painel.

Hatch completo com o kit “High Tech”

Se o objetivo é ter um hatch com o visual esportivo e que seja completo, em termos de tecnologia, pelo menos, você pode acrescentar ao pacote Beats o kit “High Tech”.

Polo-beats-engenharia-360

Esse opcional pode valer a pena caso você busque mais objetividade e não ligue para desembolsar mais R$ 4.230. Por esse valor o Polo é equipado com painel digital, tela central com o famoso Discovery Media e sistema de navegação. Itens úteis para o dia a dia.

O kit também oferece sensor de estacionamento e câmera de ré, antena, retrovisor anti-ofuscante, faróis automáticos que possuem ainda LED diurno, detector de fadiga, bem como sensores de chuva e de luz.

Interior sóbrio, funcional e sem muitas mudanças

O Polo 2019 não mostra um interior diferenciado como esperávamos. Porém, o conforto é um ponto que chama atenção.

Já nas portas você consegue ver um mix de tecidos e texturas. A presença de plástico duro em toda a sua dimensão não parece incomodar. Nessa região há suporte para celular.

Com teto claro, conseguimos notar uma boa ampliação de espaço. Quem se sentar no banco de trás consegue se acomodar com muito conforto. Em contrapartida, não há alças para mãos.

Visualmente, ele é até bem parecido com o modelo europeu, com exceção da sobriedade de seu painel, que não tem tons vibrantes.

Polo-beats-engenharia-360

Vale saber que em cada versão há uma opção de cores do setor central para escolher. Quanto ao material da instrumentação e da multimídia, é em um preto brilhante, dando um toque mais chamativo.

Uma curiosidade é que o volante é tal qual o do Golf. E enquanto o TSI tem paddle shifs, o Highline tem o cluster Active Info Display, com tela de 10,25 polegadas.

Nas versões TSI, o ar-condicionado pode ser automático na parte frontal, assim como o difusor de ar traseiro, que é algo que só visto no modelo brasileiro.

Além de tudo isso, há 300 litros livres de espaço no porta-malas. E quando o banco for rebatido, essa medida é aumentada para excelentes 1.071 litros.

Por fim, o motor do Polo 2019

Não podíamos terminar sem falar sobre o motor 1.0 MPI do Polo Beats 200 TSI. Ele entrega 75 cv/84 cv a 6.250/6.350 rpm e 9,7/10,4 kgfm a 3.000 rpm. Ou seja, 2 cavalos a mais que os outros modelos.

Em relação à velocidade, essa versão vai de 0 a 100 km/h em cerca de 13 segundos, sendo que sua máxima fica entre 166/170 km/h. Essa eficiência se dá tanto com gasolina quanto etanol.

Polo-beats-engenharia-360

Já o motor 1.6 16V MSI, o modelo entrega 110/117 cv a 5.750 rpm e 15,8/16,5 kgfm a 4.000 rpm.  Nos dois combustíveis ele vai de 0 a 100 km/h em 9,9/9,6 segundos, atingindo máximas de 189/193 km/h.

Enquanto isso, a versão 1.0 TSI possui 116/128 cv a 5.500 e 20,4 kgfm entre 2.000 e 3.500 rpm. São 3 cv a mais que o Golf. Ele vai de 0 a 100 km/h em 9,6/10,1 segundos, com ápices de 187/192 km/h.

Concluindo… dá para dizer que o Polo Beats 200 TSI é uma boa opção para quem procura um carro esportivo ágil e potente, confortável e com utilitários que garantem uma experiência diferenciada.

Apesar do pacote Beats não impressionar tanto, pode oferecer um toque especial para quem não é tão exigente quanto ao sistema de som e quer apenas dar um up na reprodução de músicas.

Copiado!
Engenharia 360

Eduardo Mikail

Engenheiro Civil, empresário e empreendedor digital. É fundador do Engenharia 360 e sócio-fundador da Bronks content., produtora de conteúdo e projetos digitais. Formado em Engenharia Civil e Administração com especialização em Marketing pela ESPM, já trabalhou em uma das maiores construtoras do país e hoje está à frente da Mikail Arquitetura e Engenharia. Interessado por tecnologia, iGadgets e nas horas vagas curte viagens, música e fotografia. Segue lá no Instagram @eduardomikail

Comentários