Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Startup produz blocos com lixo reciclado recolhido nos oceanos

por Simone Tagliani | 23/11/2016

O plástico torna nossa rotina mais prática e confortável, mas, depois de usado, é um problema. Esse material leva muitos anos para se decompor. E se não há sistemas adequados de coleta seletiva e tratamento de lixo, todos seus resíduos acabam seguindo para os oceanos e prejudicando, consequentemente, a vida marinha.

Milhões de toneladas de lixo estão espelhadas pelas águas de rios e mares. A China é o país que ocupa o primeiro lugar em produção. Além da contaminação das águas, plásticos e outros materiais, descartados incorretamente, se fragmentam e são ingeridos por animais, como peixes e aves. Isso prejudica severamente o meio ambiente. Nesse sentido, diversos pesquisadores trabalham buscando soluções a respeito da reciclagem e gestão de resíduos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

bloco_lixo_oceanos_01-blog-da-engenharia

O ideal seria os governos buscarem alternativas para a redução na produção de plásticos. (imagem extraída de ByFusion em Facebook)

+ Bloco eco-friendly

Recentemente, a startup americana ByFusion, através do engenheiro Peter Lewis, apresentou uma criação bem inovadora. Trata-se de um ‘tijolo ecológico’ feito de plástico. O REPLAST, como é chamado, representa um avanço para construções sustentáveis. Isso porque o seu emprego é um meio de reaproveitamento ou redirecionamento de detritos.

A ideia da empresa é tornar essa solução em grande escala. O plástico reutilizado de forma permanente, através do bloco, não seguiria para os oceanos, diminuindo os riscos para a natureza.  A tecnologia para a fabricação do REPLAST pode ser uma promessa em muitos países, mas está em desenvolvimento. Logo, portanto, será possível construir casas e edifícios com esse produto.

bloco_lixo_oceanos_02-blog-da-engenharia

O número de plásticos poluentes jogados nos oceanos prejudica severamente a vida marinha. (imagem extraída de ByFusion em Facebook)

No vídeo abaixo, pode-se ver um pouco da triste realidade enfrentada pelo planeta, diante da poluição das águas por detritos jogados nos oceanos.

+ Processo de fabricação

Peter Lewis idealizou uma plataforma modular que comprime restos de plásticos. Parece algo difícil, mas, na verdade, é relativamente fácil. Os resíduos não precisam nem mesmo ser separados. A máquina é portátil. Ela pode ser levada a qualquer lugar do mundo sem maiores dificuldades, já que teve dimensões projetadas para isso.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Há boas possibilidades para sua utilização. Lixo recolhido dos mares passaria pelo compressor e seria transformado em tijolos. A ByFusion pretende compartilhar os detalhes do processo de fabricação do produto com outras empresas. A ideia é replicar a técnica, distribuindo as peças para a construção de habitações de baixa renda.

bloco_lixo_oceanos_05-blog-da-engenharia

A compressora, criada pela ByFusion pode fabricar tijolos de vários tamanhos, formatos e cores. (imagens extraídas de ByFusion)

bloco_lixo_oceanos_03-blog-da-engenharia

Os blocos REPLAST podem ver a ter diferentes cores, devido a natureza dos detritos. (imagem extraída de ByFusion)

+ Benefícios

O emprego do bloco de plástico desenvolvido pela ByFusion nas construções civis pode ajudar a melhorar  o desempenho ambiental dos empreendimentos. O REPLAST não tem a mesma resistência do concreto convencional, mas ainda possui muitos benefícios. São peças leves, duráveis, resistentes às intempéries, que dispensam cimento, argamassa de assentamento, emboço e reboco. Além disso, emitem menos dióxido de carbono na atmosfera.

Certamente, é pouco provável que substitua a maior parte das técnicas existentes. Até porque paredes com tijolos de plástico não suportam pesos extremos. Ainda assim, possuem elevado isolamento termo acústico e resistem às situações de terremotos. Por não necessitarem de nenhum material para encaixe, como colas ou adesivos e qualquer tipo de acabamento final, sua montagem é bastante fácil. O tempo de construção e o custo final da obra são menores. E a aparência final das paredes pode ser bem bonita.

bloco_lixo_oceanos_04-blog-da-engenharia

Atualmente, o REPLAST só é usado para construção de muros e barreiras de estradas. (imagens extraídas de ByFusion)

Conheça mais detalhes sobre esses blocos feitos de plástico recolhido dos oceanos, assistindo o vídeo abaixo.


Fontes: YahooInhabitatBy FusionR7, G1.

Comentários

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; especialista em Artes Visuais; estudante de Jornalismo Digital e proprietária da empresa Visual Ideias - Redação, Edição e Produção de Conteúdos.