Engenharia 360

Enchentes no Brasil: quais as possíveis soluções propostas pela Engenharia?

Engenharia 360
por Simone Tagliani
| 05/12/2022 | Atualizado em 27/01/2023 4 min

Enchentes no Brasil: quais as possíveis soluções propostas pela Engenharia?

por Simone Tagliani | 05/12/2022 | Atualizado em 27/01/2023
Engenharia 360

O período final do ano é a fase de maior volume de chuvas no Brasil. Sim, é bom que chova, para repor a água nos rios. Contudo, muitas metrópoles do nosso país sofrem neste tempo de precipitações com grandes enchentes. Esta é uma das questões que mais atormenta engenheiros e gestores públicos! Afinal, como fazer o manejo desse risco? Como “administrar” as enchentes para minimizar as perdas causadas por elas? E mais, como minimizar custos de implantação ou manutenção de obras hidráulicas?

Lembrando que, em se tratando de prevenção de inundações, o projeto não pode ser simplificado, mas também não precisa ser caro, só muito bem pensado. De fato, resolver problemas de enchentes nas grandes cidades é um grande enorme. Muitos dirão que é culpa da falta de recursos. Porém, a verdade é que o maior dilema é acertar no planejamento!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Qual a engenharia que queremos exercer: a boa ou a má?

A boa engenharia é fundamental em todas as etapas de solução das inundações nas grandes cidades. Aliás, vale destacar que muitas vezes é a falta dessa engenharia o maior problema do urbanismo brasileiro, e não o aumento do volume de chuvas que cai em diversas regiões do país. Até porque, mesmo quando detectado igual padrão de precipitação, as situações nas grandes cidades parecem mais críticas. Esta é a prova!

Falta, então, a aplicação de técnicas adequadas. Como a construção de canais com vazão suficiente para o escoamento da água, entre outras soluções para reduzir sua velocidade quando houver uma precipitação de maior volume, liberando-a mais devagar para não causar inundações. Infelizmente, sem isso, pode acontece o alargamento de áreas urbanas, por conta do represamento das águas neste ponto e o aumento da velocidade de escoamento, transferindo o problema de um lugar a outro sucessivamente, sem fim.

Claro que esta não é a única opção. De acordo com o engenheiro civil Mário Cicarelli, professor aposentado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), as alternativas poderiam ser classificadas em dois tipos:

  • Estruturais: a exemplo das microdrenagens (bocas de lobo), galerias, canalizações, barragens, diques e desvios de cursos d’água. 
enchentes e inundações
Imagem reproduzida de Projeto Saber Viver
  • Não estruturais: como restrições legais a ocupações de áreas com risco de inundação e técnicas compensatórias, como bloquetes de pavimentação, e mais.
enchentes e inundações
Imagem reproduzida de secretaria de estado de Governo do Distrito Federal

Agora, tudo isso pode resolver inundações recorrentes. Mas e grandes enchentes? Veja a seguir!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O que deve ser feito para evitar grandes enchentes?

A necessidade desses investimentos em alternativas estruturais se torna evidente quando os problemas surgem. Para evitar grandes enchentes, pode ser necessário investir em obras maiores. Por exemplo, canais, galerias e dispositivos maiores – sem contar mais manutenção dos mesmos. Vamos acompanhar, juntos, uma lista de ideias sugeridas pela engenharia:

  • Planejamento de bairros e loteamentos planejados, de organização ordenada.
  • Desapropriações para recuperação de áreas.
  • Criação de planos para destinação da água e sedimento que vêm dos morros.
  • Construções de escadas hidráulicas.
enchentes e inundações
Imagem reproduzida de 3D Warehouse – SketchUp
enchentes e inundações
Imagem reproduzida de AMP – Engenharia Civil e Ambiental_clipdrop-enhance
  • Construção de reservatórios, praças inundáveis (water Squares), caixas de retenção e piscinões (que dependem de espaço) e reservatórios subterrâneos (que dependem de mais dinheiro).
enchentes e inundações
Imagem reproduzida de AquaFluxus
  • Drenagem urbana, como parte do saneamento básico – ao lado do fornecimento de água, da coleta de esgotos e do recolhimento de lixo. Isso inclui macrodrenagem, com base no mapeamento dos cursos d’água.
  • Criação de plano de combate – com auxílio de profissionais de geografia, topografia, hidrologia, meteorologia, entre outros – aos desassoreamento dos rios, em consequência de impactos ambientais.
  • Despermeabilização de áreas ou criação de áreas verdes, para absorver as águas e evitar que os estragos aconteçam em pontos mais baixos, causando transtornos nas vias públicas, proliferação de doenças de veiculação hídrica, perdas em comércios, residências e, inclusive, em alguns casos, perdas humanas.
enchentes e inundações
Imagem reproduzida de G1 – Globo
  • Incentivo à construção de telhados verdes e jardins verticais, que até podem ser transformados em hortas, além do uso de pavimentos permeáveis e sistemas de aproveitamento de água de chuva.
enchentes e inundações
Imagem reproduzida de Território Secreto
  • E conscientização de medidas complementares, como não ocupação de encostas, descarte adequado de lixo, preservação dos rios, conservação de matas ciliares, etc.

Sim, ao ter boa educação ambiental e boa gestão pública, as obras de engenharia passam a ser um fator pequeno. Sem a conscientização desses problemas, nós não conseguimos avançar!

Veja Também:


Fontes: Diário do comércio, Halo Notoriedade Empresarial, Cimento Itambé, Engenheiro Panilheiro.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; técnica em Publicidade; pós-graduada em Artes Visuais, Jornalismo Digital e Marketing Digital; estudante de Gestão de Projetos; e proprietária da empresa Visual Ideias.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo