Engenharia 360

Ponte Tacoma Narrows: Aeroelasticidade ou Ressonância?

Imagem padrão usuário
por Iuri Zambotto
| 09/02/2015 | Atualizado em 04/02/2022 2 min

Ponte Tacoma Narrows: Aeroelasticidade ou Ressonância?

por Iuri Zambotto | 09/02/2015 | Atualizado em 04/02/2022
Engenharia 360

As duas possibilidades foram estudadas, mas ainda não se chegou a uma resposta correta, entenda o caso. A ponte de Tacoma Narrows, inaugurada em primeiro de julho de 1940, sobre o Estreito de Tacoma, no estado de Washington (EUA). Ela não foi tão utilizada quanto deveria ter sido pois em apenas 4 meses de uso a ponte desabou. Mas, como isso?

As duas prováveis respostas nós, engenheiros ou futuros, deveríamos ter estudado esses dois tópicos nas matérias de física: Ressonância e Aeroelástico.

A primeira hipótese usada por cientistas e engenheiros foi a de ressonância, é a tendência de um sistema oscilar em amplitude máxima em certas frequências. Nestas, até mesmo com forças pequenas, porém periódicas, podem produzir vibrações de grande amplitude, podendo assim abalar estruturas. Falando-se em uma forma menos formal, é a repetição de movimentos de mesma intensidade em uma estrutura.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Continue Lendo

tacoma-narrows-bridge-collapse

Segundo o ITA, a aeroelasticidade é a ciência que estuda as consequências de interação de forças de inércia, elásticas e aerodinâmicas, agindo simultaneamente na estrutura de um corpo. No caso da ponte, o que ocorreu foi um Flutter, que é a auto-excitação de dois ou mais modos de vibração de um sistema, devidamente alterada e realimentada pelo escoamento de um fluido. Pode vir a causar oscilações de amplitude que crescem exponencialmente levando a estrutura a uma falha dinâmica.

Entenda o que aconteceu com a ponte:

Logo que foi inaugurada, a ponte começou a sofrer com os ventos da região onde ela estava situada, e assim balançava, foi assim até o dia 7 de novembro de 1940, onde a ponte sofreu com ventos de aproximadamente 70 km/h e acabou entrando em colapso e desabando.

O que vocês, caros estudantes de engenharia pensam sobre esse caso? Qual das hipóteses é mais viável?

Veja Também: Engenharia Civil à favor do meio ambiente: exemplo de ponte para restauração florestal

Comentários



Assine nossa newsletter
e receba
uma curadoria exclusiva de conteúdos:

Continue lendo