Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Polímero que armazena gás natural pode combater o aquecimento global

por Larissa Fereguetti | 19/08/2019

Embora muitos não acreditem, o aquecimento global é um problema gigantesco. Felizmente, muitos cientistas lutam contra ele. Um exemplo é de um grupo de pesquisadores que trabalha em um projeto relacionado à criação de um polímero que armazena gás natural pode combater o aquecimento global.

O gás natural é considerado “mais limpo” devido ao fato
de que sua queima tem pouquíssima emissão de dióxido de enxofre e menos
emissões de óxido de nitrogênio e material particulado. Além disso, ele libera
quase 30% menos dióxido de carbono do que o petróleo e 43% menos que o carvão.
Ele é muito explorado nos Estados Unidos, no Mar Mediterrâneo e em outras
partes do mundo. Porém, para ser facilmente usado, o gás natural precisa de um
armazenamento adequado.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

gás natural polímero
Imagem: fool.com

Sabe-se que gases adsorvidos coletam gás condensado de
uma superfície. Esses gases leves têm uma pressão de vapor muito alta à
temperatura ambiente e seu armazenamento requer sistemas de alta pressão,
sistemas adsorventes (substância sólida que absorve outra substância) ou uma
redução extrema da temperatura. Os pesquisadores usam um processo chamado gás
natural adsorvido, no qual o gás natural é adsorvido a uma pressão
relativamente baixa (100 a 900 psi) e à temperatura ambiente, resolvendo ambos
os problemas de alta e baixa temperatura.

Os pesquisadores trabalham com o desenvolvimento de
novos materiais para captura e separação de gases desde 2008. Nos últimos anos,
o foco da pesquisa foi encontrar materiais porosos que armazenem o gás natural.
A ideia seria pressurizar o gás natural no sorvente para que ele se expandisse.
Durante o consumo (dessorção), o polímero inchado liberaria o gás até esvaziar
completamente.

Os resultados mostraram que o uso do material é viável
e, para melhorar, sua produção é barata, tornando-o uma alternativa viável.
Agora, a equipe trabalha em uma escala real para testar a eficiência do
processo.

gás natural polímero
Imagem: oasisenergy.com

Vale ressaltar que um dos pesquisadores considera que o
impacto mais importante é, certamente, sobre o meio ambiente. A redução das
emissões será significativa e contribuirá para a redução do aquecimento global.
Ainda, eles esperam, um dia, ver veículos rodando com gás natural e equipados
com os materiais desenvolvidos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Referências: Science Daily

Comentários

Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.