Engenharia 360

Tipos de argamassa: descubra para que serve cada um

Engenharia 360
por Clara Ribeiro
| 05/03/2021 | Atualizado em 20/12/2022 4 min

Tipos de argamassa: descubra para que serve cada um

por Clara Ribeiro | 05/03/2021 | Atualizado em 20/12/2022
Engenharia 360

A argamassa é fundamental em todas as fases da construção. Porém, deve-se saber que há vários tipos de argamassa – colante, de grauteamento, para rejuntamento, para revestimento e de assentamento. Aliás, cada uma serve para uma determinada etapa.

É importante conhecer sobre e saber diferenciar os tipos de argamassa, onde cada uma é aplicada. Afinal, uma escolha errada pode trazer problemas como retrabalho e aumento no custo da obra. 

A seguir, neste texto, vamos falar mais sobre uso e os principais tipos de argamassa para ampliar seu conhecimento no assunto. Acompanhe!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

O que é argamassa

Uma explicação básica é que a argamassa é uma mistura contemplada com cimento, areia, cal e água. No entanto, em alguns casos ela pode ser produzida com a adição de outros materiais. 

Ela serve como uma espécie de cola, pois no início tende a ser uma massa mais mole e com o passar do tempo vai endurecendo, fornecendo a resistência necessária e a durabilidade para revestimentos e estruturas de uma obra.

Por ela ter essas propriedades, é usada para assentar blocos, tijolos, pisos, azulejos, entre outros. E a qualidade da argamassa depende tanto dos materiais quanto do modo de preparo.

tipos de argamassa
Imagem reproduzida de Blog ABC da Construção

Quais são os tipos de argamassa que existem

Há diversos tipos de argamassa, com variações nos componentes e com uma indicação para cada etapa da obra. Entender sobre cada tipo é ideal para realizar a compra do material correto. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Pode-se citar quatro tipos principais de argamassa:

  • Argamassa colante
  • Argamassa de grauteamento
  • Argamassa para rejuntamento
  • Argamassas para revestimento
  • Argamassa de assentamento

Dentro de cada um desses tipos de argamassa existem modelos específicos para aplicações variadas. Falaremos um pouco sobre os principais a seguir!

Argamassa colante 

A argamassa colante é basicamente composta por Cimento Portland, aditivos químicos e agregados minerais. Misturando-a com água vira uma massa pastosa e aderente.

É indicada para o assentamento de revestimentos cerâmicos, blocos de vidro, porcelanatos, pedras como o granito e o mármore, entre outros. 

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A saber, esses são os principais tipos de argamassa colante: AC-I, AC-II, AC-III, AC-III-E 

AC-I

É utilizada para revestimentos e assentamentos de pisos cerâmicos em ambientes internos. Pode ser usada em áreas secas ou úmidas (cozinhas e banheiros).

AC II

Pode ser usada em ambientes internos e externos. Tem uma boa resistência à variação de temperatura, umidade, entre outros. É usada para assentamento e revestimentos cerâmicos, além de pisos. 

AC III

É uma argamassa de alta resistência, indicada para revestimentos cerâmicos, quando há o risco de acidente por soltura de alguma peça é iminente. Em fachadas, por exemplo, isso é muito comum. É uma opção para assentamento de placas cerâmicas grandes.  

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

AC III-E

É indicada para resistir a altas tensões, ou seja, com maior tempo de cura. 

Argamassa de grauteamento

Também chamada de Graute, esta argamassa é resultante da mistura de cimento, areia, pedrisco e bastante água. Ela é usada para preencher os vazios dos blocos de construção – sobretudo em pontos de concentração de cargas, como em estruturas tipo portantes ou mistas. A ideia é que a união de tudo deixe o sistema das alvenarias mais resistentes em locais específicos, ou ainda para solidarizar as armaduras.

Basicamente existem dois tipos de graute. O primeiro a base de minerais – o mais comum, utilizado e de baixo custo. E o segundo é o graute de base orgânica, com composição orgânica, constituído por resinas epóxi derivadas do petróleo.

Argamassa para rejuntamento 

Esse tipo é indicada para uso interno e externo. E existem dois tipos: 

Rejuntamento do tipo I

É feita a base de cimento Portland, usado para rejuntamento em ambientes externos e internos. Importante frisar que não é apropriada para áreas com tráfego intenso. 

Rejuntamento do tipo II

É feita à base de cimento Portland também e é indicada para rejuntamento em ambientes internos e externos. É adequada para ambientes de tráfego intenso, assim como ambientes com presença abundante de água como piscinas, espelhos d’água, entre outros.

Argamassas para revestimento e assentamento

Esses tipos de argamassa são para a fase de revestimento e acabamento da obra. Elas irão assentar blocos e tijolos na fase de vedação da obra. 

E a argamassa de revestimento terá a função de cobrir, proteger, corrigir defeitos, entre outros. 

Argamassa para reboco

Indicada para o cobrimento da superfície como forma de preparação para receber o acabamento. É conhecida também como massa fina. 

Argamassas impermeabilizantes

Desenvolvida para proteger ambientes da umidade. Pode ser aplicada em tetos e paredes. 

Argamassa decorativa em monocamada

Indicada principalmente para ambientes externos. São feitas para acabamento e revestimento de muros, fachadas, entre outros. 

Argamassa decorativa em camada fina

Argamassa para fins decorativos com a camada fina.

Modo de aplicação da argamassa para pisos 

Agora que você já sabe um pouco mais sobre argamassas, é essencial ressaltar a importância de dar atenção ao modo de aplicação. Não adianta ter um bom material, se a utilização dele é feita incorretamente.

Respeite sempre o modo de preparo em destaque na embalagem do produto, assim como tempo de cura, secagem, etc.

  1. Verificar as condições dos dentes da desempenadeira. Estes deve estar em bom estado de conservação.
  2. Conferir a planeza do piso onde a argamassa será aplicada. A superfície do contrapiso deve estar limpa e sem qualquer tipo de material que possa prejudicar a aplicação da argamassa sobre o piso
  3. Com o lado liso da desempenadeira, aplicar uma camada de argamassa colante sobre toda a área do piso.
  4. Em seguida, passar o lado dentado da desempenadeira a uma inclinação de 60° da base, formando cordoes e sulcos paralelos, conforme a figura.
  5. A argamassa nunca deve ser aplicada pelo processo de pingo pois pode ocasionar na formação de regiões ocas no piso assentado.

Qualquer sugestão ou dúvida, deixe abaixo, na parte dos comentários!


Fontes: Blog ABC da Construção

Engenharia 360

Clara Ribeiro

Jornalista especializada em arquitetura e engenharia. Ávida consumidora de informação; viciada em produzir conteúdo; amante das letras, das artes e da ciência.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo