Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Impermeabilização: benefício ou mais um custo na construção civil?

por Stefany Tarantini | 22/07/2020
Copiado!

Problemas relacionados à impermeabilização estão entre os maiores índices na construção civil

Por onde trafegamos, observamos construções, principalmente nos grandes centros. Desde pequenas casas a arranha-céus, que logo estarão em uso, algumas infelizmente apresentarão anomalias antes mesmo de serem entregues.

A impermeabilização, pouco lembrada por estar sempre escondida atrás de belos revestimentos, ocupa o terceiro lugar entre os causadores de manifestações patológicas (Secovi). A deficiência ou ausência desse item geram ambientes insalubres, desconfortos para o usuário, desvalorização do imóvel e, em casos mais graves, colocam em risco a integridade da estrutura, levando até ao colapso da edificação.

Mulher preocupada com infiltração causada por ausência de impermeabilização
Infiltrações com mofo – Imagem: shutterstock.com.br

Mas, afinal, o que é a impermeabilização?

Uma estrutura está exposta a diversas ações de fluidos e vapores, são elas: umidade de obra, de absorção, de capilaridade, de infiltração, de condensação e acidental.

A impermeabilização pode ser definida como “o conjunto de operações e técnicas construtivas, composto por uma ou mais camadas, que tem por finalidade proteger as construções contra ação deletéria de fluidos, vapores e da umidade” (NBR 9575 Impermeabilização – Seleção e Projeto, ABNT 2003). Ou seja, impermeabilizar é o ato de impedir a passagem indesejável de fluidos e vapores por uma estrutura, preservando, assim, as condições de integridade da construção. Ela consiste na aplicação de produtos e técnicas específicas que têm como objetivo a proteção a estrutura.

Como selecionar e executar?

No mercado existem diversos tipos de impermeabilizantes, materiais pré-fabricados, moldados in loco, aderidos sob aquecimento, aditivos e com diversas outras características. Porém, as normas brasileiras classificam em 2 tipos de materiais: rígidos e flexíveis.

Os materiais rígidos são aplicados em locais onde a estrutura não está sujeita a movimentação e fissuração. Impermeabilizantes rígidos possuem baixíssima porcentagem de deformação, ou seja, quando sujeitos a movimentação podem romper e perder sua eficácia. Exemplos de materiais: argamassa polimérica, membrana epóxidica, hidrofugante e aditivo por cristalização integral.

Já os materiais flexíveis apresentam características de flexibilidade compatíveis e aplicáveis às partes construtivas sujeitas à movimentação do elemento construtivo, portanto, as movimentações da estrutura são acompanhadas pelo material, mantendo seu desempenho. Exemplos de materiais: membranas (acrílicas, poliuretano), mantas (asfáltica, TPO, PVC) eemulsões (asfáltica, acrílica).

Aplicação de impermeabilização com membrana poliuretano
Impermeabilização com Membrana de Poliuretano – Imagem: shutterstock.com.br
Aplicação de impermeabilização, sistema de manta asfáltica ardosiada aderida com maçarico
Impermeabilização com Manta Asfáltica Ardosiada – Imagem: shutterstock.com.br

Apesar de parecer simples, os sistemas impermeabilizantes devem ser especificados por profissionais capacitados e habilitados com conhecimento na área. É necessário avaliar as condições da estrutura, características da obra, durabilidade desejada, equipe de execução e outros fatores essenciais para se definir o melhor custo benefício de acordo com a necessidade do empreendimento.

Um material especificado incorretamente pode acarretar em danos graves à estrutura e habitabilidade do usuário. Desta forma, entende-se a importância do projeto de impermeabilização que, no decorrer da obra, se torna uma ferramenta em prol da economia, reduzindo custos com materiais desnecessários, retrabalhos, custos de manutenção e garantindo a vida útil da estrutura.

A execução, assim como a especificação do material, exige mão de obra qualificada. Depositar tal responsabilidade em um profissional sem conhecimento e experiência pode extinguir todos os esforços desempenhados para se obter durabilidade no sistema impermeável.

Essencialidade da impermeabilização

O que muitos construtores e responsáveis por obra ainda não percebem é que a impermeabilização não impede somente a passagem de água e sim é fator primordial na vida útil e proteção da estrutura. Os custos com impermeabilização gerados durante o período de obra são significativamente menores do que os gastos em reparos, desconsiderando o desgaste e desconforto do morador em meio às reformas.

Sistemas de impermeabilização bem especificados e executados são eficazes por longos períodos, beneficiando diretamente as características de habitabilidade que afetam o usuário e a estrutura com proteção e durabilidade.

Veja também as 5 Patologias mais comuns da impermeabilização

Referências: Secovi; NBR 9575 – ABNT

Você também já teve experiências ruins por falta de impermeabilização? Compartilhe sua experiência nos comentários!

Copiado!
Engenharia 360

Stefany Mahara Tarantini

Engenheira Civil, Especialista em Tecnologia da Impermeabilização pelo Instituto IDD SP. Projetista de Impermeabilização e dedicada a Inspeções Prediais.

Comentários