Engenharia 360

Rios flutuantes: o que são e qual a sua importância?

Engenharia 360
por Redação 360
| 12/08/2022 | Atualizado em 27/01/2023 3 min

Rios flutuantes: o que são e qual a sua importância?

por Redação 360 | 12/08/2022 | Atualizado em 27/01/2023
Engenharia 360

Olha que incrível, aposto que você não sabia disso: uma árvore com uma copa de 20 metros de diâmetro transpira mais de mil litros de água por dia. Só essa informação já justifica sobre porque precisamos de mais áreas verdes nas cidades, além de áreas de matas e florestas protegidas – por isso o desmatamento é um problema tão grave. A Amazônia, por exemplo consegue, por hora, liberar cerca de 200 mil m³/s de partículas de água no ar, formando os rios flutuantes.

rios flutuantes
Imagem reproduzida de Instituto Soka Amazônia

Veja Também: O que são as agroflorestas e quais benefícios socioambientais elas promovem?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Como se formam os rios flutuantes aqui no Brasil?

Então, aquilo que a floresta recebe de água em forma de chuva, ela libera, depois, em forma de massas enormes de vapor de água. Aqui, no Brasil, toda a história começa no Oceano Atlântico. A umidade do litoral chega às florestas. A umidade liberada das árvores formam algo como uma bomba d’água, que viaja lentamente com as correntes de ventos até entrar em conflito a gigantesca barreira da Cordilheira dos Andes – com 4 mil metros de altura -, e volta para o nosso território em forma de chuva. Eis os rios flutuantes ou rios voadores; é um ciclo perfeito! Bom, perfeito até que o ser humano resolveu interferir nisso. Entendeu a questão?

rios flutuantes
Imagem reproduzida de Notícias dos Blogs – Canal Rural

Qual a importância dos rios flutuantes para a biodiversidade do país?

Equilíbrio! É isso que os rios flutuantes proporcionam para a natureza e também, anota aí, para a economia do nosso país. Não adianta desmatar tudo para virar pasto, pois, no pasto, nada cresce se não houver chuva, umidade, e nem mesmo o gado sobreviverá. Deveria ser tão fácil de entender isso, mas muita gente continua insistindo em não acreditar. Sim, precisamos dos rios flutuantes para manter todos os serviços ecossistêmicos fundamentais para a sobrevivência da nossa sociedade. Ou seja, não é pouca coisa, não!

Se queremos o bem-estar da nossa sociedade – incluindo o nosso próprio bem-estar – e o crescimento da economia do Brasil, precisamos defender as zonas verdes e úmidas do nosso território e do mundo! É básico!

As chuvas oriundas dos rios flutuantes ou rios voadores “alimentam” as usinas hidrelétricas; mantêm a agricultura e as lavouras; e diversos tipos de serviços industriais. Pois se não temos esses rios no ar, também perdemos os rios em terra, as represas secam e perdemos as condições básicas para vida!


Quando alguém cita que não devemos desmatar, pois o estrago patrimonial é maior, é verdade! Precisamos muito mais dos rios flutuantes, pois só com eles é possível se ter a manutenção, conservação e proteção das florestas!

SEM FLORESTA O AGRO NÃO É NADA!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


Fontes: Mata Nativa, UFRRJ, Água Sustentável.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Engenharia 360

Redação 360

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo