Engenharia 360

O que são chapas expandidas?

Engenharia 360
por Simone Tagliani
| 11/05/2022 | Atualizado em 12/05/2022 4 min

O que são chapas expandidas?

por Simone Tagliani | 11/05/2022 | Atualizado em 12/05/2022
Engenharia 360

Alguma vez você já ouviu falar em chapas expandidas? Pois bem, elas são bastante utilizadas na construção civil, mas pouca gente fora desse setor do mercado conhece o material. E queremos esclarecer algumas questões importantes neste texto. A primeira delas é como funciona o processo de produção dessas chapas. Depois, falar sobre as características únicas desse produto industrial. Por fim, com estas informações expostas, você certamente poderá refletir sobre o porquê de tantos construtores acreditam que a utilização dessas chapas traria versatilidade e confiança para os seus projetos, sendo uma opção de excelente custo-benefício. Confira!

chapas expandidas
Imagem reproduzida de BEPEX
chapas expandidas
Imagem reproduzida de CERCAR TELAS

As aplicações das chapas expandidas na construção civil

Pode-se dizer que as chapas expandidas são uma escolha de primeira linha para projetos estruturais de Engenharia Civil e Arquitetura – aliás, talvez um dos melhores disponíveis atualmente no mercado. Elas têm diversas serventias e, assim, podem ser utilizadas em diferentes áreas construídas, com os mais variados objetivos. Por exemplo:

  • pisos de setores industriais;
  • cobertura de escadas, rampas e passarelas;
  • base para mezaninos;
  • base de mesas e bancadas de serviços;
  • revestimento de forros;
  • alternativa para grades;
  • contenção de áreas;
  • divisórias de ambientes;
  • parapeitos;
  • e estruturas de jardins verticais.

Já em outras engenharias, as chapas expandidas costumam ser utilizadas como bases de máquinas, revestimento de piso de ônibus, proteção de equipamentos, contêineres, câmaras frigoríficas, e além. Inclusive, os setores que mais vão se beneficiar desse tipo de material são o de transporte, marítimo, estaleiro, energético e na indústria sucroalcooleira.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Continue Lendo

Claro que, de todo modo, o objetivo de uso das chapas expandidas deve influenciar na escolha do material que vai confecciona-las, para que possam ter uma destinação ideal!

chapas expandidas
Imagem reproduzida de Açoplano
chapas expandidas
Imagem reproduzida de Cosiaço
chapas expandidas
Imagem reproduzida de Cosiaço

As formas de fabricação das chapas expandidas

As chapas expandidas podem ser feitas de aço inoxidável, carbono ou até mesmo alumínio; e elas precisam passar por uma série de processos industriais para adquirirem a característica de design do ‘tipo tela inteiriça’. E justamente o termo “expandidas” vem do fato de que, em muitos casos, as peças geradas acabam apresentando dimensões maiores do que as peças metálicas originais. Mas se você pensava que isso se tratava de uma solução atual de fabricação, está enganado, pois a primeira vez que algo assim foi realizado foi em 1880, no Reino Unido – claro que, agora, são utilizados métodos mais modernos e eficientes.

Tudo funciona assim, as chapas de metal são cortadas e estrategicamente “esticadas” por uma prensa dobradeira para o padrão pré-determinado em projeto, formando uma “tela de metal”, com uma área mais “aberta” em um padrão de malha de losangos, que deve fazer relação com a aplicação final da peça. E a máquina utilizada para esse processo assim o faz conforme vai sendo “alimentada”. Se isso acontecer de forma contínua, o padrão resultante de abertura também será uniforme! Já o que for sair dela pode ter o formato de novas chapas ou bobinas.

chapas expandidas
Imagem reproduzida de shirlei prezotto
chapas expandidas
Imagem reproduzida de Metaltec

Cada tipo de corte realizado na fabricação de chapas expandidas deve seguir o que os especialistas chamam de “linguagem”. As mesmas estão explicadas pela ABNT como:

  • Padrão EXP, indicado para aplicações mais leves, como filtragem, telas de proteção e divisórias; e
  • Padrão GME, para aplicações pesadas em diversos setores industriais e da construção civil, como pisos industriais, degraus e passarelas.
chapas expandidas
Imagem reproduzida de Souza Aços

As principais vantagens das chapas expandidas

Para não te sobrecarregar com informações, o Engenharia 360 resolveu montar, em forma de lista, a explicação sobre as principais vantagens das chapas metálicas:

  • oferecem versatilidade – já que podem receber cortes específicos para diferentes necessidades;
  • oferecem boa segurança – por serem antiderrapantes;
  • são de fácil manutenção e higienização;
  • são consideradas um ótimo custo-benefício – até porque dá para fazer um cálculo preciso da área de material necessário e, na fabricação, não deve haver perdas, mesmo quando a chapa exceder, de maneira ampla, o seu tamanho inicial;
  • apresentam alta durabilidade e resistência à umidade – por isso, uma boa alternativa para projetos de banheiros e áreas de serviços também;
  • apresentam leveza – o que torna o manuseio e instalação mais fáceis;
  • e muitas das peças também são galvanizadas a fogo – o que aumenta ainda mais sua resistência.
chapas expandidas
Imagem reproduzida de ArchiExpo
chapas expandidas
Imagem reproduzida de Açoplano

Mas, atenção: lembre-se de optar sempre pelo modelo de chapa expandida adequada à demanda!

As chapas expandidas podem ser a solução que você buscava para o seu projeto de Engenharia ou Arquitetura! Elas são excelentes por seu quesito estético – permitindo a passagem de luz e de ar -, mas também pela qualidade de vida nos ambientes. Se isso tudo se encaixa com as necessidades e melhor escolha para a sua obra, aposte nesta ideia!

Veja Também: Descubra o que é NBR 9050 e a que se destina esta norma na Engenharia e Arquitetura


Fontes: INBEC, ACO Plano.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; técnica em Publicidade; pós-graduada em Artes Visuais e Jornalismo Digital; estudante de Marketing; e proprietária da empresa Visual Ideias.

Comentários



Assine nossa newsletter
e receba
uma curadoria exclusiva de conteúdos:

Continue lendo