Portal Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Com números alarmantes, esse texto alerta para a função social do engenheiro quando o assunto é saneamento básico

Engenharia 360

15/08/2017

POR Lucas Lima Costa 15/08/2017

  • Eng Sanitária
  • Engenharia Ambiental
  • saneamento básico

O crescimento exponencial tecnológico atingido nas últimas décadas é sem dúvidas o maior legado das grandes pesquisas e investimentos na ciência. No entanto, é lamentável que este crescimento tenha se dado de forma não conforme, se compararmos as várias regiões do nosso país, criando zonas habitadas que não sustentam o mínimo de dignidade para a condição da vida humana.

Um relatório do Programa das Nações Unidas pelo Meio Ambiente – PNUMA (2013), com o nome de Sick Water? The Central role of wastewater management in sustainable development (“Água doentia? O papel central da gestão de águas residuais no desenvolvimento sustentável”, em tradução livre), levanta dados bastantes duros com relação a falta de saneamento. Os dados indicam que “em todo mundo, mais da metade dos leitos dos hospitais estão ocupados por pessoas que sofrem de doenças relacionadas à água contaminada e que, são constatadas mais mortes de pessoas devido ao consumo de águas poluídas do que por mortes violentas, incluindo guerras”. (STEINER; TIBAIJUKA, 2013, p. 5, tradução nossa).


Veja também: Como foi a consolidação do saneamento básico no Brasil


+Números alarmantes

O Instituto Trata Brasil analisou a média do tratamento de esgoto nas 100 (cem) maiores cidades brasileiras e descobriu que apenas 50,26% destes são tratados, tendo a região Norte o pior índice (16,42%) e o Centro-Oeste a maior porcentagem de tratamento de esgoto de todo país (50,22%), o que ainda está longe de ser o ideal, pois não atinge nem metade da população desta região.

Em todo o país, mais de 100 milhões de brasileiros não têm acesso à coleta de esgoto, o que faz do Brasil amargar a 112ª posição num ranking entre 200 países, ficando atrás, surpreendentemente, de nações como Arábia Saudita, Egito e até mesmo a Síria, atualmente assolada por uma guerra civil.

Fonte: O Globo

Somente no ano de 2013, as capitais brasileiras lançaram na natureza 1,2 bilhão de m³ de esgoto, o equivalente ao volume de 480 mil piscinas olímpicas, o que – se fosse tratado – seria suficiente para abastecer uma cidade de 200 mil habitantes durante 30 dias, com consumo de 200 litros/habitante/dia.

+A política pública

Em pleno século 21, as políticas públicas implantadas no Brasil ainda insistem no descaso para uma realidade tão vergonhosa. Em “O saneamento Básico, a vacina que o Brasil ainda não desenvolveu”, o Instituto Trata Brasil relaciona a falta de saneamento básico à crise hídrica vivida pela região Sudeste, considerando o lançamento dos esgotos nos leitos dos rios, tornando as águas insalubres para a utilização humana, agravando a escassez por um recurso natural básico.

Desta forma, a necessidade por água força as autoridades a buscar fornecedores cada vez mais distantes do ponto de utilização e onerando os custos para tal manobra, esquecendo que o esgoto que jogamos fora é apenas água que pode ser tratada.

Fonte: Amplifique-se

+O papel do engenheiro

É diante deste contexto de má utilização ou não reutilização dos recursos naturais que deve se enquadrar também o engenheiro, sobretudo na tentativa de diminuir cada vez mais a lacuna que separa a realidade do ensino tecnológico e a realidade do povo brasileiro, como afirma o Prof. Dr. João Cirilo:

“Para que isso seja possível, é preciso mudar a filosofia da maioria dos cursos, que na maioria dos casos, está direcionada para atender projetos específicos para atendimento de grupos isolados.”

+Bom exemplo

Uma solução neste sentido e extremamente eficaz está sendo adotada no estado da Bahia, dentro da Universidade Católica do Salvador. Trata-se da implantação do Escritório Público de Engenharia Civil (EPUCSAL), voltado para capacitação dos alunos na concepção e viabilização de projetos de interesse social, levando o estudante de engenharia a entender a realidade das comunidades de baixa renda de Salvador e provocando-o a buscar mudanças naquele meio.

Os alunos serão orientados para que seus projetos resultem na melhoria da qualidade de vida, elevando o nível de segurança, ciência e regularidade das habitações populares e equipamentos urbanos, de modo a ampliar a autoestima de seus usuários.

Portanto, o engenheiro tem por obrigação utilizar os conhecimentos adquiridos dentro da universidade para criar soluções funcionais e economicamente viáveis que se enquadrem à realidade dos brasileiros, atingindo principalmente aqueles que estão em regiões periurbanas, às margens do poder público. O olhar diferenciado dos profissionais da área é essencial para diminuir cada vez mais a lacuna que separa as tecnologias à realidade da nossa sociedade.

Eng Sanitária
Engenharia Ambiental
saneamento básico

Lucas Lima Costa

mais
Engenharia 360

VEJA TAMBÉM

20 Resultados
6 motivos para você conhecer o SOLIDWORKS World 2019
6 coisas que estudantes de engenharia podem fazer para aproveitar as férias
Lista de aplicativos para engenharia de Dezembro! Confira!
Telescópio com espelho de 39 metros de diâmetro está em construção no Chile
10 árvores de Natal feitas (certamente) por engenheiros(as)
7 filmes (não natalinos) para ver na Netflix no final de ano
7 coisas que engenheiros/estudantes de engenharia passam no Natal em família
O projeto de Pontes em Concreto
HP50G x TI NSpire - Quais as principais diferenças dessas duas calculadoras para engenharia?
BDE Explica: O que é cota de arrasamento?
Bioengenharia: conheça o rim artificial que promete substituir a hemodiálise
Startup fundada por brasileiro cria nanosatélite que promete soluções para a agricultura
Terminei a faculdade, e agora?
BDE Review: Scanner Portátil EPSON ES-300W para engenheiros
Como a Samsung DeX e o Galaxy S9 mudaram completamente o dia a dia de um engenheiro
Brasil perde R$56 bilhões por ano por falta de investimento em saneamento
Testamos o novo Motorola One. Confira nossa opinião!
Aplicativos para Engenharia: Confira nossa lista de Novembro!
Testamos a nova e incrível Xiaomi Mi Band 3, a pulseira inteligente chinesa
Descubra como usar a HP para o cálculo de vigas com o VigaG
Podcast 360
Ouça ou baixe podcasts
exclusivos da engenharia
Ver Todos

RECOMENDAMOS PARA VOCÊ

20 Resultados
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Titulo do Post
Escolha a engenharia do seu interesse