Engenharia 360

Tragédia em Petrópolis: histórica enchente e os repetidos erros de planejamento urbano

Engenharia 360
por Simone Tagliani
| 16/02/2022 | Atualizado em 16/01/2023 4 min

Tragédia em Petrópolis: histórica enchente e os repetidos erros de planejamento urbano

por Simone Tagliani | 16/02/2022 | Atualizado em 16/01/2023
Engenharia 360

ATUALIZAÇÃO: Dia 21 de março de 2022, Petrópolis sofreu com fortes chuvas e existe a previsão para mais dias de chuva ainda nesta semana. Então, todos os eventos narrados a seguir podem lamentavelmente se repetir!


“Aqui trabalho melhor que no Rio apesar dos dois passeios que faço todos os dias.” – D. Pedro II, se referindo à Petrópolis.

Infelizmente, no último dia 15 de fevereiro de 2022, o Brasil assistiu, através das mídias, os relatos de pessoas que enfrentavam uma grave enchente na cidade histórica de Petrópolis, na Região Serrana do estado do Rio de Janeiro. O antigo local de refúgio da Família Imperial Brasileira amanheceu, no dia seguinte, apresentando um verdadeiro cenário de guerra, com morros despencados, carros pendurados em postes, muito entulho e sujeira. Triste demais ver o desespero de uma população que perdeu amigos e familiares, além dos muitos que ficaram sem os seus patrimônios. Certamente, o trabalho de reconstrução levará meses, embora algumas coisas jamais serão recuperadas.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

enchentes - Petrópolis
Foto aérea de local de deslizamento em Petrópolis, registro feito em 16 de fevereiro de 2022 – Imagem reproduzida de UOL

Situação no Centro Histórico de Petrópolis

Por exemplo – claro que muito menos importante diante das perdas de vidas humanas -, pontos turísticos da cidade foram gravemente afetados, como a propriedade da Casa da Princesa Isabel, que teve até um muro tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico completamente afetado. Toda a área do Centro Histórico virou um grande lamaçal a céu aberto. Diversos casarões antigos tiveram seus subsolos inundados e por pouco a altura da água não atingiu os andares principais. A correria foi grande para salvar arquivos da memória da nossa nação!

Relatos desde os tempos do Imperador

Mas está enganado quem pensa que esse problema das enchentes em Petrópolis é novo. A única diferença da situação atual para os tempos do Imperador Dom Pedro II são as proporções do estrago. Desde a época dele, as pessoas já reclamavam das ações do poder público no enfrentamento desses desastres ambientais. Inclusive, parte da receita do monarca ia para o reflorestamento de áreas da cidade, visando evitar possíveis desmoronamentos. Só que na noite de ontem, ele, representado por sua estátua na esquina do Museu Imperial, na praça que leva justamente o seu nome, olhava com olhar triste e contemplativo para a destruição ao redor e até em direção ao Morro da Oficina, onde se encontravam a maior parte das vítimas.

“Ontem de noite houve grande enchente. Subiu três palmos acima da parte da Rua do Imperador do lado da Renânia; acordou o Câmara (sic), e um homem caiu no canal, devendo a vida a saber nadar e aos socorros que lhe prestaram. Conversei hoje com o engenheiro do distrito; pouco se fez do ano passado para cá. Os estragos que fez a enchente levaram 2 meses a reparar, segundo me disse o engenheiro. Falei-lhe sobre a vantagem de introduzir na colônia a cultura da amoreira e criação do bicho-da-seda.” – trecho de diário de viagens de Dom Pedro II, datado de 5 de janeiro de 1862.

enchentes - Petrópolis
Imagem reproduzida de O Globo
enchentes - Petrópolis
Imagem reproduzida de Sou Petrópolis
enchentes - Petrópolis
Imagem reproduzida de A Tribuna RJ

Perspectivas para o futuro do Brasil

Portanto, há pelo menos mais de 150 anos Petrópolis sente a fúria das águas. Alguns alegam que as coisas pioraram ainda mais com as recentes alterações de planejamento urbano ou pela ocupação irregular de solo urbano. O fato é que cenas como essas, com carros e corpos flutuando, ninguém mais deseja assistir. Vivemos de promessas constantes de um futuro melhor para o país desde os tempos do Imperador. E, de lá para cá, as recomendações de nosso especialistas parece que nunca foram respeitadas e postas em prática.

Está na hora de todos nós nos unirmos para agir e pensar melhor as nossas cidades e áreas verdes do Brasil, para que tragédias como estas não voltem a se repetir. Ignorar e deixar de atuar nesses problemas é a economia mais burra que fazemos e que devemos evitar, já!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO


Fontes: História do Brasil em Instagram, Yahoo, Sou Petrópolis, O Globo.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; técnica em Publicidade; pós-graduada em Artes Visuais, Jornalismo Digital e Marketing Digital; estudante de Gestão de Projetos; e proprietária da empresa Visual Ideias.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo