Engenharia 360

Explorando a Engenharia da Arca de Noé: Entre Mitos e Realidade

Engenharia 360
por Simone Tagliani
| 28/08/2023 | Atualizado em 04/09/2023 5 min
Imagem reproduzida de Conhecendo a Bíblia

Explorando a Engenharia da Arca de Noé: Entre Mitos e Realidade

por Simone Tagliani | 28/08/2023 | Atualizado em 04/09/2023
Imagem reproduzida de Conhecendo a Bíblia
Engenharia 360

No final de agosto de 2023, a Revista Casa e Jardim apresentou uma matéria curiosa falando de uma brasileira que visitou um réplica gigantesca da Arca de Noé nos EUA, construída em tamanho real. A estrutura em madeira, com 3 andares, tem áreas representando histórias descritas na Bíblia. No último andar, cenários da Disney, com casais de animais no segundo e alojamentos no terceiro. E vale destacar que o parque também oferece diversas atrações ao redor da Arca.

Arca de Noé
Imagem reproduzida de Engenharia da Arca de Noé via Casa e Jardim
Arca de Noé
Imagem reproduzida de Engenharia da Arca de Noé via Casa e Jardim

Dito isso, o Engenharia 360 pensou em trazer um resumo completo de como era a Engenharia da verdadeira Arca de Noé. Confira tudo no texto a seguir!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Será que a Arca de Noé existiu mesmo?

As histórias de dilúvio e sobrevivência em diferentes culturas têm origens mitológicas que remontam a tempos antigos. Muitas culturas têm relatos de grandes cheias que dizimaram a humanidade, com variações nas narrativas e personagens. Na Bíblia hebraica, a história mais conhecida é a do dilúvio de Noé, onde Deus envia um dilúvio global para purificar o mundo, enquanto Noé constrói uma arca para sobreviver com sua família e animais. Essa história tem paralelos em outras culturas, como a Epopeia de Gilgamesh da Mesopotâmia.

Veja Também:

Série Grandes Matemáticos: quem foi Gauss?

Será mesmo que existem mais estrelas no céu do que grãos de areia na Terra?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Narrativas

E de tudo o que vive, de toda a carne, dois de cada espécie, farás entrar na arca, para os conservar vivos contigo; macho e fêmea serão. - Gênesis 6:19.

A saber, a localização da Arca de Noé de acordo com a Bíblia hebraica é frequentemente associada às "montanhas de Ararat", abrangendo áreas da Armênia, Turquia e Irã, em vez de se referir a um ponto específico no Monte Ararat.

A narrativa se repete, com nuances, no Alcorão, onde a arca é referida como "Safina Nuh", que significa "Barco de Noé" em árabe. E o relato do dilúvio encontrado na narrativa do Gênesis tem semelhanças com inúmeros outros mitos de inundação presentes em diversas culturas. Um dos exemplos mais antigos é o mito de inundação sumério, preservado no Épico de Ziusudra.

Arca de Noé
Imagem de Edward Hicks via Wikipédia - https://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Noahs_Ark.jpg

Veja Também:

Ciência x fé: por que o Vaticano possui um observatório astronômico?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Busca arqueológica

As buscas pela Arca de Noé têm sido feitas desde pelo menos a época de Eusébio (c. 275-339 d.C.) até os dias atuais. E isso se persistiu ao longo dos anos devido ao seu apelo religioso e à ideia de validar as histórias bíblicas através de evidências concretas.

No entanto, as perspectivas de encontrar evidências arqueológicas concretas da Arca de Noé são baixas, devido à falta de fundamentação histórica precisa e ao fato de que, mesmo que restos de uma embarcação fossem encontrados, não poderiam ser ligados de maneira conclusiva aos eventos descritos na Bíblia. Contudo, qualquer descoberta seria positivo para a compreensão do mundo antigo, revelando informações sobre culturas, sociedades, tecnologias e interações históricas.

O fato é que não existem evidências concretas, ao passo que há muitas interpretações dos textos bíblicos. Além disso, os eventos descritos na Bíblia podem ter ocorrido há milhares de anos, o que dificulta ainda mais a identificação de locais específicos. Em resumo, evidências geológicas sugerem a possibilidade de uma grande cheia na região margeavam o Mediterrâneo e o Mar Negro há cerca de 7.500 anos, mas os cientistas ainda debatem sua extensão e relação com as histórias de dilúvio.

Quais as características da Arca de Noé conforme a Bíblia?

De acordo com pesquisadores, as informações bíblicas sobre a arca de Noé são realistas e compatíveis com a Engenharia Naval Moderna. Em resumo, a arca foi projetada de forma apropriada para enfrentar as condições do Dilúvio e garantir a segurança dos que estavam a bordo.

A intenção era mesmo de qua a Arca de Noé fosse segura e confortável para passageiros e animais, com flutuabilidade uniforme devido ao formato de uma comprida caixa à prova d'água e distribuição equilibrada de peso. A resistência da arca ao movimento das ondas e sua capacidade de suportar pressões foram, certamente, resultado das proporções escolhidas. Ademais, a distribuição uniforme da flutuabilidade e do peso ao longo da arca - algo como a soma de cerca de 2,15 milhões de ovelhas - também contribuiu para sua estabilidade.

Arca de Noé
Imagem reproduzida de Conhecendo a Bíblia

Vale destacar que o projeto da embarcação incluiu compartimentos interiores, uma porta lateral e um telhado inclinado. Sua proporção de comprimento para largura era de 6 para 1, e a proporção de comprimento para altura era de 10 para 1 - aliás, proporções são semelhantes às de muitos navios modernos. Segundo o Gênesis, a construção da arca seguiu as instruções dadas por Deus a Noé: a arca deveria ter 300 côvados de comprimento, 50 côvados de largura e 30 côvados de altura - aproximadamente 156 metros de comprimento, 26 metros de largura e 16 metros de altura.

Arca de Noé
Imagem reproduzida de E a Bíblia Tinha Razão...

A informação que se tem é de que a Arca de Noé tinha apenas uma única porta, que teria sido fechada de fora para dentro por Deus. Durante o Dilúvio, fatores climáticos, como chuva intensa e ventos fortes, poderiam ter afetado a embarcação. No entanto, ela sobreviveu, como assim consta nos relatos. Noé, sua família, suprimentos, plantas e animais teriam permanecido em seu interior por cerca de 370 dias.

Como teria ocorrido a construção da Arca de Noé?

De acordo com Gênesis 8,14-16, Noé e sua equipe teriam conseguido construir a Arca em 360 dias. O tempo foi menor do que se imagina já que não foi preciso fabricar elementos como quilha, proa, velas, remos ou lemes, uma vez que sua finalidade era apenas flutuar, não navegar.

De acordo com a Bíblia, Noé teria usado para a Arca madeira resinosa, como cipreste ou acácia, que é bastante conhecida por ter sido o material usado na Arca da Aliança, segundo a descrição que encontramos no livro do Êxodo. Não se especifica como as madeiras foram fixadas, mas pinos de madeira, conhecidos como cavilhas, eram comuns na construção de embarcações de madeira daquela época. E em Gênesis, 6, 14, é comentado sobre a impermeabilização, de dentro para fora, talvez por alcatrão.

Arca de Noé
Imagem reproduzida de Conhecendo a Bíblia

Recentemente, pesquisadores tentam recriar essa Arca de acordo com instruções de tabuleta babilônica de 4 mil anos para uma arca circular. A réplica foi construída em Kerala, Índia, usando materiais tradicionais e levou 4 meses. No entanto, vazamentos ocorreram quando lançada à água. Veja o vídeo a saber para saber mais sobre a experiência do Dr. Irving Finkel, arqueólogo responsável pelo departamento dedicado ao Oriente Médio do Museu Britânico.

Veja Também:


Fontes: Revista Casa e Jardim, Veja, National Geographic, Wikipédia.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Comentários

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada nos cursos de Arquitetura & Urbanismo e Letras Português; técnica em Publicidade; pós-graduada em Artes Visuais, Jornalismo Digital, Marketing Digital, Gestão de Projetos, Transformação Digital e Negócios; e proprietária da empresa Visual Ideias.

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo