Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Crise humanitária e os grandes muros que separam Grécia-Turquia e EUA-México

por Redação 360 | 06/09/2021

Se já não bastasse a guerra que o mundo todo está travando contra um inimigo invisível, o Covid-19, infelizmente outros conflitos insistem em tirar a paz da humanidade. Neste momento, mais uma vez o povo do Afeganistão sofre e se desespera com a incerteza do futuro. Como todos nós vimos, através de imagens publicadas pelas diversas agências de notícias, as pessoas tentaram sair do país a qualquer preço. Foram cenas lamentáveis que jamais esqueceremos! E agora assistir, de longe, mais uma terrível onda migratória, com pessoas de lados opostos a um muro vivendo realidades completamente distintas. Veja a seguir!

imigração
Imagem reproduzida de O Povo

A crise migratória

Décadas de guerras fizeram essa zona do planeta virar a mais perigosa do mundo. Por causa disso, muitos povos se tornaram refugiados em busca de asilo político em regiões vizinhas. E houve, embora sem muito sucesso, um grande esforço da comunidade internacional de reconstruir o Afeganistão e dar esperança a esse povo tão sofrido.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Depois da recente retirada das tropas americanas do país, além dos ataques do grupo terrorista Estado Islâmico na capital Cabul, a onda migratória se tornou assustadora. Países vizinhos começam a temer as consequências, prevendo algo igual ou pior do que ocorreu em 2015, quando milhares de pessoas, fugindo da guerra e da pobreza no Oriente Médio, cruzaram a fronteira da Turquia para a União Europeia.

Os mapas a seguir nos fazem entender a posição do Afeganistão dentro do território do Oriente Médio:

imigração
Imagem reproduzida de Instituto Humanitas Unisinos
imigração
Imagem reproduzida de Correio Braziliense

O muro de proteção criado pela Grécia

A Grécia, país do sudeste da Europa, faz fronteira com a Turquia a nordeste. Em 2015, os refugiados vindos do Oriente Médio cruzaram a Turquia em direção ao país para entrar na Europa. Os gregos, que já estavam sofrendo uma grave crise econômica, tiveram sua situação agravada com a chegada dos migrantes ilegais. Muitos seguiram viagem, como era o desejado, mas em torno de 60 mil nunca mais saíram da região.

imigração
Imagem reproduzida de BBC
Imagem reproduzida de Gazeta do Povo

Com receio de que a Turquia abra novamente a fronteira para “facilitar” a passagem de migrantes oriundos do Afeganistão, que devem querer viajar rumo à União Europeia, o governo da Grécia decidiu construir um muro de 40 quilômetros na divisa com o país. Em nota à imprensa, o ministro da proteção ao cidadão da Grécia, Michalis Chrisochoidis, disse que o país não pode esperar pelo possível impacto, e que suas fronteiras permanecerão invioláveis.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Imagem reproduzida de Folha – UOL

E é óbvio que nós não podemos tirar a razão de um país que quer defender seu povo e seus interesses. Mas e quem vai defender o povo afegão que não sabe para onde ir e como ir? Um povo que vê no futuro apenas mais miséria e mais sofrimento!

O muro que divide Estados Unidos do México

Imagem reproduzida de Gazeta do Povo

O muro que divide os países Estados Unidos e México tem a mesma finalidade, impedir a entrada de migrantes ilegais. Neste caso, as razões são puramente econômicas, já que os mexicanos tentam cruzar a fronteira apenas em busca de melhores condições de vida, atrás do chamado ”sonho americano”. Contudo, o muro é alvo de duras críticas, já que, no ano em que iniciou sua construção, ambos os países assinaram um tratado de livre comércio, chamado NAFTA (Tratado Norte-Americano de Livre Comércio). A saber, um país que faz parte do tratado é o Canadá, mas entre EUA e Canadá não há muro.

A estrutura entre EUA e México de aproximadamente 1.130 quilômetros, cerca de um terço da fronteira entre os países –  bem maior que o muro da Grécia-Turquia. Mesmo com esta divisão, todos os dias, muitos mexicanos tentam atravessar a fronteira, burlando os limites e restrições impostas pelo país vizinho. E vários especialistas afirmam que esse é um exemplo de “dois pesos e duas medidas”, já que algumas empresas americanas instalaram suas indústrias em solo mexicano, empregando a população local, oferecendo baixos salários e condições precárias de trabalho.

E você, o que acha desses dois casos de muros em divisas geográficas? Como enxerga essa crise humanitária que o mundo vive hoje? Escreva nos comentários!

Veja Também:

Arquitetura Hostil: o que é e o que ela tem provocado de ruim na sociedade brasileira

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

6 mudanças necessárias para que a arquitetura amenize a desigualdade nas cidades


Fontes: Época Negócios, UOL, Revista Fórum.

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.