Engenharia 360

Domine como fazer o controle da resistência à compressão do concreto

Engenharia 360
por Redação 360
| 08/05/2023 6 min
Imagem reproduzida de CarLuc Engenharia

Domine como fazer o controle da resistência à compressão do concreto

por Redação 360 | 08/05/2023
Imagem reproduzida de CarLuc Engenharia
Engenharia 360

Este texto do Engenharia 360 aborda a resistência à compressão do concreto, que é uma propriedade fundamental que indica sua capacidade de suportar cargas sem deformações excessivas ou falhas. Controlar essa resistência é importante na engenharia, pois afeta a segurança e durabilidade das estruturas. Garantir isso evita colapsos, influencia a escolha dos materiais e o dimensionamento das estruturas, permitindo otimização e economia de recursos. Enfim, o controle dessa resistência é essencial para a qualidade e segurança das construções.

Veja Também: Linguagem de obras: decifrando os principais termos utilizados pelos técnicos

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Os procedimentos de controle da resistência à compressão do concreto no Brasil

O procedimento atual de controle da resistência à compressão do concreto no Brasil, conforme a norma ABNT NBR 12655:2015, envolve os seguintes aspectos:

Controle Estatístico por Amostragem Parcial

Para fábricas de pré-moldados de concreto que usam betoneiras de pequeno volume (<1m³), o controle é realizado por amostragem parcial. Amostras são coletadas aleatoriamente de diferentes betonadas, respeitando a quantidade mínima de exemplares, dependendo dos grupos e classes de resistência do concreto. São utilizadas expressões matemáticas estatísticas chamadas estimadores para determinar a resistência média (fcm) e o desvio padrão de produção e ensaio efetivo (sd).

Controle por Amostragem Total

Em obras de arte ou edificações que utilizam caminhões betoneira de 8 m³, a amostragem é predominantemente total, ou seja, todas as betonadas são amostradas. A resistência característica à compressão do concreto (fck,est) é estimada com base na resistência à compressão do exemplar de cada betonada, uma vez que a amostra confunde-se com a população.

Moldagem de Corpos de Prova

Para o controle da resistência à compressão, são moldados 4 corpos de prova cilíndricos para cada caminhão betoneira. São moldados 1 corpo de prova para ensaio aos 7 dias, 2 corpos de prova para ensaio aos 28 dias e 1 corpo de prova para ensaio aos 63 dias de idade.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Ensaios de Resistência à Compressão

Os corpos de prova são armazenados em câmara úmida e, após o período de cura adequado, são ensaiados em prensas calibradas periodicamente, conforme as normas ABNT NBR 5738 e ABNT NBR 5739. A resistência à compressão de cada exemplar é determinada após a ruptura dos corpos de prova.

Portanto, de acordo com a norma ABNT NBR 12655:2015, o controle da resistência à compressão do concreto no Brasil envolve a realização de amostragem parcial ou total, dependendo do tipo de produção, moldagem de corpos de prova e ensaios de resistência à compressão de acordo com as normas específicas.

Veja Também:

O que é MPa do concreto e Fck do concreto? Importância e como calcular!

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A amostragem parcial em fábricas de pré-moldados

O controle por amostragem parcial é amplamente utilizado em fábricas de pré-moldados de concreto, onde são produzidos componentes como lajes alveolares, vigas, pilares e dormentes. Nesse tipo de controle, são coletadas amostras aleatórias de diferentes lotes de concreto, respeitando uma quantidade mínima determinada para cada grupo e classe de resistência. Essas amostras são utilizadas para estimar a resistência à compressão do concreto por meio de expressões estatísticas.

Esse sistema é preferido nessas fábricas devido ao uso de betoneiras de pequeno volume. Por outro lado, em obras de arte ou edificações com concretagem in loco e o uso de caminhões betoneira de maior capacidade, é mais comum realizar o controle por amostragem total, onde todas as betonadas são amostradas. Tal tipo de controle é utilizado em obras de edifícios comerciais e residenciais de múltiplos pavimentos.

controle da resistência à compressão do concreto
Imagem reproduzida de Pré-Fabricar

Controle por amostragem

O controle por amostragem total é usado principalmente para monitorar a resistência à compressão do concreto em construções e estruturas, especialmente quando caminhões betoneira de 8 m³ ou mais são utilizados. Nesse método, todas as betonadas - quantidades de concreto misturadas - são amostradas, e a resistência característica à compressão do concreto é estimada com base nos valores obtidos em cada exemplar de betonada, já que a amostra representa a população.

Por exemplo, digamos que o controle por amostragem total foi aplicado ao concreto de uma torre comercial e duas torres corporativas em um empreendimento em São Paulo. Ao longo de 2 anos e 9 meses, aproximadamente 1.600 caminhões betoneira foram utilizados, todos com a mesma composição de concreto. Para cada caminhão betoneira, foram produzidos 4 corpos de prova cilíndricos: um para teste aos 7 dias, dois para teste aos 28 dias e um para teste aos 63 dias de idade. Esses corpos de prova foram enviados a um laboratório credenciado pelo INMETRO e ensaiados de acordo com a norma ABNT NBR 5739.

Os resultados do controle de resistência à compressão mostraram uma variação entre 36,6 MPa e 80,1 MPa, com uma média de 58,6 MPa. Foram identificados 11 resultados abaixo da resistência especificada em projeto (fck = 40 MPa), o que corresponde a cerca de 0,7% do total de caminhões betoneira. Nesse caso, a variabilidade na resistência à compressão do concreto pode ser atribuída a diferentes lotes de cimento e agregados utilizados ao longo do processo de produção.

controle da resistência à compressão do concreto
Imagem reproduzida de Associação Brasileira de Cimento Portland

A determinação da resistência característica à compressão do concreto no controle por amostragem total

De acordo com a norma ABNT NBR 12655:2015, o controle por amostragem total da resistência à compressão do concreto envolve a determinação da resistência característica à compressão (fck,est) por meio da análise dos exemplares de cada betonada. Esse método consiste na amostragem de todas as betonadas, em que cada exemplar é composto por dois corpos de prova cilíndricos de 10 cm de diâmetro e 20 cm de altura, moldados simultaneamente.

Após a ruptura dos corpos de prova, registram-se e analisam-se os valores individuais das resistências à compressão. A resistência característica à compressão do concreto estimada (fck,est) é, então, calculada a partir desses valores.

Já para determinar o valor da resistência característica (fck,est), utiliza-se o conceito de valor característico descrito na norma ABNT NBR 6118:2014. Além disso, considera-se o desvio padrão das operações de produção e ensaio (sc) e o coeficiente de variação (Vc). Essas informações permitem o cálculo do valor da resistência característica do concreto.

controle da resistência à compressão do concreto
Imagem reproduzida de CarLuc Engenharia

É importante destacar que, no controle por amostragem total, a amostra é considerada equivalente à população, e cada betonada é tratada como um exemplar único. Esse método de controle é amplamente empregado no Brasil em obras de edifícios comerciais e residenciais de vários andares.

Normas relacionadas ao controle controle da resistência à compressão do concreto além da ABNT NBR 12655

Além da ABNT NBR 12655, podemos mencionar outras normas relacionadas ao controle da resistência à compressão do concreto, como a ACI 318 e a EN 206. Essas normas diferem da ABNT NBR 12655 em relação aos critérios de controle e amostragem utilizados.

A norma ACI 318, intitulada "Building Code Requirements for Structural Concrete", e a norma europeia EN 206, intitulada "Concrete – Specification, performance, production and conformity", adotam o método da média dos valores de resistência à compressão obtidos em corpos de prova da mesma amassada/betonada. Elas estabelecem uma tolerância máxima de diferença entre dois ou mais resultados de corpos de prova da mesma amassada/betonada.

Por outro lado, a ABNT NBR 12655 utiliza o controle por amostragem total e por amostragem parcial. No controle por amostragem total, todas as betonadas são amostradas e a resistência característica à compressão do concreto estimada é dada pelo valor da resistência à compressão do exemplar de cada betonada. Já no controle por amostragem parcial, as amostras são coletadas aleatoriamente de betonadas distintas, respeitando a quantidade mínima de exemplares. A norma estabelece expressões matemáticas (estimadores) para a determinação da resistência característica, levando em conta a resistência média (fcm) e o desvio padrão de produção e ensaio efetivo (sd).

controle da resistência à compressão do concreto
Imagem reproduzida de Mapa da Obra

Portanto, enquanto a ABNT NBR 12655 utiliza o controle por amostragem total e parcial, a ACI 318 e a EN 206 adotam o método da média dos valores de resistência à compressão. Cada norma possui critérios específicos para a determinação da resistência característica e os procedimentos de amostragem podem variar.

Veja Também:


Fontes: PHD Engenharia.

Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Comentários

Engenharia 360

Eduardo Mikail

Somos uma equipe de apaixonados por inovação, liderada pelo engenheiro Eduardo Mikail, e com “DNA” na Engenharia. Nosso objetivo é mostrar ao mundo a presença e beleza das engenharias em nossas vidas e toda transformação que podem promover na sociedade.

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo