Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Chuveiros: saiba como escolher um modelo e realizar a troca da resistência

por Simone Tagliani | 30/09/2021

Bons chuveiros nos ajudam a ter boas experiências de banho. Mas é preciso saber escolher o aparelho correto para não sobrecarregar o sistema da casa!

A experiência de tomar um bom banho – devidamente quente ou frio, num volume de água adequado e bem distribuído – não tem preço! Claro que nestes tempos de crise hídrica também precisamos ficar espertos com o modelo de equipamento que utilizamos em casa, principalmente pensando em não haver desperdícios desnecessários de água e luz. Neste texto, vamos conversar sobre os diferentes modelos de chuveiros que existem. E falando especialmente daqueles que utilizam eletricidade, como fazer a troca da sua resistência. Confira!

banho
Imagem reproduzida de Pixabay

Quais as diferentes fontes de aquecimento para chuveiros?

Aqui no Brasil, o que conhecemos mais são os chuveiros aquecidos por energia elétrica. Os mesmos também poderiam ser aquecidos por energia solar – se a casa possuir este sistema de geração com placas instaladas no telhado. Por fim, também é possível que chuveiros sejam aquecidos por gás. Este último modelo tem se tornado mais comum em empreendimentos imobiliários novos. Contudo, ele oferece muito mais riscos aos usuários, pois possíveis vazamentos de gás, num ambiente sem ventilação, podem levar os moradores a óbito.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Potência x Bitola de fio

Quanto aos chuveiros elétricos, eles se diferenciam de acordo com a sua potência – expressa em watts ou ‘W’, é uma grandeza que mede a capacidade máxima de aquecimento -, que quanto maior, mais elevada a temperatura do banho pode chegar. Aliás, cada faixa de potência do chuveiro demanda uma bitola de fio específico. Por exemplo, para um produto de 7 mil e 500 W a melhor bitola é a de 6 mm. A saber, a dimensão correta da potência e bitola evita sobrecarga no fio e gastos de energia desnecessários, além de tornar o sistema ainda mais seguro.

banho
Imagem reproduzida de Pixabay

Quais os diferentes tipos de chuveiros elétricos que existem?

Quando vamos comprar um chuveiro novo para casa, às vezes, nos deparamos com a palavra ‘ducha’ nas embalagens de produtos. Afinal, qual a diferença? Bem, os chuveiros simples permitem o fluxo vertical da água – onde a pressão do sistema hidráulico soma-se a gerada pela queda da água por gravidade. Já a ducha elétrica possui um jato inclinado, criando um distanciamento natural em relação à parede em que estiver instalada. Inclusive, por tudo isso, as duchas dispensam o uso de tubos de extensão.

Uma observação: você sabe o que é MCA? Esta sigla significa ‘metros de coluna d’água’ ou a medida da altura linear entre o ponto de instalação entre o chuveiro e a caixa d’água. Sabendo disso, qual o MCA da instalação hidráulica da sua casa, pode definir a sua escolha durante a compra, optando por um chuveiro comum ou ducha.

banho
Imagem reproduzida de Pixabay

Há mais detalhes que você poderá observar nos produtos oferecidos nas lojas. Por exemplo, se a peça possui poucos furos – que aumenta a velocidade e pressão da água – ou muitos furos – que melhora o jato de água distribuído -, o que interfere no conforto do banho. Depois, há a questão do controle de temperatura, que pode estar no corpo do chuveiro ou ser feito por um controle externo. Eis outros modelos de chuveiros:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Pressurizado: com baixa pressão;
  • Multitemperatura: com possibilidade de três ou mais regulagens de temperatura;
  • Eletrônico: com comando eletrônico que permite a escolha exata de temperatura;
  • Turbinado: consegue aumentar o volume e a pressão de água.

No mais, confira se o chuveiro escolhido é 110 ou 220 V. Ele deve ser instalado acima de 2 m do piso. E não esqueça de ver se o disjuntor e os fios da rede da sua casa atendem às especificações do aparelho.

Como fazer a troca da resistência do chuveiro?

Existem dois modelos de resistência para chuveiros, as de refil e espiral. Ambas permitem que a energia elétrica nestes aparelhos seja transformada em energia térmica. Tais peças ficam mergulhadas na água dentro da cápsula plástica dos chuveiros. E quando abrimos os registros de parede, são acionadas.

A troca da resistência do chuveiro deve acontecer na água fria – isso evita a queima do mecanismo e lhe garante maior vida útil. Não esqueça de verificar, antes, se o disjuntor está desligado, evitando seu contato direto com a energia e a ocorrência de choques. E lembre-se de que o sistema precisa apresentar fio terra, por onde passará todo o fluxo de corrente anormal ou indesejado em um circuito elétrico.

banho
Imagem reproduzida de Pixabay

Passo a passo da troca da resistência

  1. Desligue a chave de energia;
  2. Desconecte a mangueirinha do chuveirinho do chuveiro;
  3. Abra o chuveiro e escorra com cuidado a água em seu interior;
  4. Retire a proteção para o fio terra;
  5. Remova com um alicate a resistência danificada;
  6. Instale a nova resistência conforme os locais indicados para fixação na sequência A, B e C – não deve ficar folga nos conectores;
  7. Feche o chuveiro encaixando novamente o fio terra – faça a fixação da peça protetora da resistência, deixando o terra passar pelo orifício correspondente;
  8. Com o chuveiro no modo desligado, abra o registro e deixe a água escorrer;
  9. Reconecte a mangueirinha e mantenha ela na posição fechada;
  10. Religue a chave no disjuntor e verifique se o chuveiro está funcionando

Veja Também: O que são os condutores Fase, Neutro e Terra e qual a função?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Simone Tagliani

Graduada em Arquitetura & Urbanismo e Letras; especialista em Artes Visuais; estudante de Jornalismo Digital e proprietária da empresa Visual Ideias - Redação, Edição e Produção de Conteúdos.