Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Dezhou: a cidade chinesa movida apenas à energia solar

por Beatriz Zanut Barros | 17/07/2020
Copiado!

Já pensou em toda a energia utilizada na sua cidade ser alimentada por energia solar?

Dezhou é uma cidade na China com população de 5,5 milhões de habitantes (dados de 2019) e é a primeira cidade do mundo a ser alimentada por energia solar. Esta proposta fez com que 66 mil empregos fossem criados na cidade no ano de 2010, sendo eles 30% diretamente na área de implementação de energia solar.

Iniciativa aos negócios

O município implementou políticas de apoio em matéria de utilização do solo, devolução de impostos e financiamento. Estas novas políticas permitiram que os preços dos terrenos fossem negociados caso a caso, promovendo preços favoráveis dependendo de quando a empresa se mudaria para a Zona, do setor industrial e da dimensão da empresa. Empresas estrangeiras, empresas orientadas para a exportação ou empresas de alta tecnologia receberam uma renúncia fiscal de dois anos, seguida de uma redução fiscal de três anos.

Além disso, durante os três anos seguintes, se a empresa permanecesse no setor da alta tecnologia, receberia uma redução fiscal de 50%. O governo local de Dezhou também baixou as barreiras à entrada de novos empreendimentos de energia solar, permitindo que os preços de entrada com uma reserva de capital inferior a 157.480 de dólares fossem elegíveis para prestações de dois anos. Foram concedidos empréstimos a juros baixos e canais de financiamento a empresas com tecnologias patenteadas.

Solar Valley Micro E Hotel, um marco histórico de Dezhou, e um hotel de microemissões de energia solar.
Hotel em Dezhou com implementação de Energia Solar (Fonte: IRENA)

Dificuldades do Projeto de implementação de energia solar

Inicialmente, a cidade teve de superar a dimensão relativamente pequena da indústria local de energia solar, mecanismos financeiros pouco desenvolvidos para empresas industriais em crescimento e a escassez de competências e conhecimentos relacionados com o sector. Além disso, a ausência de normas de qualidade levou ao aparecimento de um grande número de fabricantes de aquecedores solares de água tipo oficina em Dezhou e em outras partes da China. Os fabricantes envolvidos numa “guerra de preços” solar térmica local ocasionaram uma série de problemas de qualidade com peças e uma redução nos serviços pós-venda.

Resultados do projeto de implementação de energia solar

Até o ano de 2019, a energia térmica era a energia padrão de utilização em Dezhou: nessa época se consumia cerca de 3,6 milhões de toneladas de carvão. De acordo com o plano de desenvolvimento de Dezhou, até 2015 o consumo de energia por unidade do PIB diminuiria para 0,875 toneladas de carvão padrão. A utilização de energia renovável é fundamental para se conseguir esta redução. Espera-se que a transformação da produção de energia a carvão para energia renovável reduza significativamente as emissões de SO2 nos próximos anos.

Fonte: Irena

O que você acha da implementação desta cidade solar? Deixa pra gente nos comentários!

Copiado!
Engenharia 360

Beatriz Zanut Barros

Engenheira de Energia formada em 2018 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestranda em Energia Renovável pela Universitat Politècnica de Catalunya em Barcelona. Acredito que o conhecimento é tudo que possuímos, e sou apaixonada pelas novas tecnologias que além de melhorar a qualidade de vida da população, não prejudicam o meio ambiente.

Comentários