Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Será que os carros do futuro poderão detectar motoristas embriagados? | 360 Explica

por Redação 360 | 26/08/2021

Imagina se os carros pudessem evitar que motoristas bêbados ou com sono saíssem pelas estradas causando acidentes. Quantas mortes a menos teríamos! Saiba+!

Infelizmente, parece impossível modificar a conduta de alguns motoristas, que insistem em ignorar as regras de trânsito e de respeito ao próximo. Os acidentes provocados por motoristas desatentos e até mesmo alcoolizados em carros vêm aumentando muito nos últimos anos. Em consequência, também o número de pessoas com lesões irreversíveis e, ainda pior, vítimas fatais, causadas por acidentes de trânsito que poderiam ter sido evitados. Tudo isso é muito alarmante e triste!

automóveis
Imagem reproduzida de jrs.digital

Incentivo e inovações em segurança

Campanhas de governos e entidades voltadas à recuperação de pessoas acidentadas são realizadas todos os anos; mas ainda não se obteve muito sucesso. Indústrias voltadas a equiparem tecnologicamente os automóveis também focaram seus esforços para reduzir esta estatística, promovendo inovações no setor de segurança veicular.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Novas tecnologias para carros

Nos Estados Unidos, um projeto de lei impulsionou este mercado com a liberação de mais de 500 bilhões de dólares para investimento no setor. A legislação desse país prevê a introdução de dispositivos para monitorar, de forma passiva, a conduta do motorista de modo a identificar se ele está debilitado.

E olha que excelente notícia! Segundo a Coalizão Automotiva de Segurança de Tráfego, a nova tecnologia, capaz de identificar se o condutor bebeu, poderá ser aplicada nos veículos comerciais até o fim de 2021. Ela é resultado de pesquisas e testes desenvolvidos através da parceria público-privada entre montadoras e a Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário do Departamento de Transporte dos EUA. E segundo as autoridades norte-americanas, o mecanismo estará disponível, primeiramente, para veículos oficiais, de transporte público rodoviário e carros de aluguel.

Exemplo de caso 1

Hoje em dia, muitos carros já possuem câmeras. Isso serve para auxiliar a condução dos motoristas nas faixas de rolagem das rodovias evitando, assim, que a distração do condutor possa causar acidentes.

A montadora Nissan criou um carro conceito capaz de detectar o cheiro de álcool. Já a israelense UVEYE desenvolveu sistemas de inspeção que se baseiam na tecnologia de imagem térmica infravermelha para identificar a temperatura corporal a uma distância de vários metros. Esse dispositivo foi colocado em ambulâncias e conseguem também dizer se o motorista está febril, indicando a existência de alguma infecção e talvez a necessidade de tratamento.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

automóveis
Imagem reproduzida de Getty Images

Exemplo de caso 2

Às vezes, o motorista não está alcoolizado, mas o simples cansaço pode causar sonolência, principalmente quando a trajetória é uma linha reta. Num simples piscar de olhos, o motorista pode cochilar e fazer com que o carro saia da estrada ou avance para a pista contrária.

Pensando nisso, a Volvo pretende instalar, nas próximas gerações de alguns modelos construídos, um sistema de câmeras. A ideia é monitorar as reações do motorista, identificando sinais de cansaço, distração e também sintomas de intoxicação por embriaguez ou drogas. Explicando melhor, para evitar um acidente, o carro sofrerá redução de velocidade, acionará um serviço de assistência remoto e irá parar com segurança; isto poderá acontecer também se o motorista não responder a sinais de alerta.

Para não terem seus veículos envolvidos em acidentes, outras montadoras já pensaram em fabricar modelos com limitação de velocidade máxima de 180 Km/h.

automóveis
Imagem reproduzida de AutoPapo – UOL

Exemplo de caso 3

Três estudantes do Instituto Tecnológico de Cintalapa, no México, buscando reduzir a quantidade de acidentes e mortes no trânsito devido ao álcool, criaram o AlcoStop. O sistema veicular inteligente detecta se o motorista está embriagado. Sensores localizados no volante do veículo analisam o suor do motorista para detectar o nível de álcool no sangue. No caso de testar positivo, não será possível ligar o carro e outra pessoa precisará assumir o volante – desde que passe pelo teste.

Exemplo de caso 4

Carros autônomos parecem sair da ficção e virar uma realidade. Várias montadoras já investiram em projetos e testes. Especialistas apostam na tecnologia para redução de acidentes de trânsito. Isto sem falar no benefício para a natureza, já que eles são equipados com motores a propulsão elétrica. 

Sem precisar da intervenção humana, ou seja, sem necessidade do motorista assumir o controle da direção, ele automaticamente eliminaria um dos problemas dos acidentes – o motorista.

Os carros automáticos são equipados com um sistema de manutenção e mudança de faixa, controlador de velocidade, frenagem, desaceleração e aceleração, além de sensores e radares que detectam o entorno. Eles contam ainda com equipamento de GPS de alta resolução, capaz de ler a faixa exata em que o veículo se encontra e o local correto da saída em uma rodovia, por exemplo. Além disso, câmeras poderosas e, é claro, um sistema de inteligência artificial que poderá substituir o motorista nas tomadas de decisões, em uma fração de segundos.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Então, o que achou de todas essas novas tecnologias para carros do futuro? Escreva nos comentários!

Veja Também: Do café sem grãos ao álcool que não dá ressaca: a evolução da Engenharia Molecular nos alimentos


Fontes: Época Negócios, Ecycle, Terra.

Comentários

Engenharia 360

Redação 360

Engenharia para todos.