Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

CANAIS ESPECIAIS


Do café sem grãos ao álcool que não dá ressaca: a evolução da Engenharia Molecular nos alimentos

por Paulo Moura | 30/04/2021

Café e álcool podem ter o mesmo sabor que conhecemos, mas agredindo menos o nosso organismo. Acredita? Confira estes casos incríveis de pesquisa agtech!

Ovos sem galinhas, leite sem vacas, carne sem animais, cafés sem grãos, bebidas alcoólicas que não dão ressaca! A lista de iniciativas que procuram reduzir o impacto ambiental com o uso de Engenharia Molecular não para de crescer. O alvo não é só a sustentabilidade, mas combater a incidência de enfermidades como hipertensão, diabetes, problemas hepáticos e cardiovasculares, obesidade e até câncer. Saiba mais no texto a seguir!

agtech
Imagem extraída de rheinpfalz.de

Casos de avanço em Engenharia Molecular

Café perfeito

E como tudo isso funciona? Veja o caso do café, por exemplo. A empresa americana Atomo Coffee, referência em agtech – traduzido como tecnologia agrícola -, contou com o apoio da Universidade Técnica de Munique e da Universidade de Ciências Aplicadas de Zurique para fazer a engenharia reversa de dezenas de compostos que compõem o sabor de um café “perfeito”.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A técnica desenvolvida consistiu em  introduzir combinações específicas de aminoácidos e açúcares no substrato de raízes e sementes de várias plantas e, em seguida, conduzir reações moleculares por meio de tostagem e torrefação.

Assim, a equipe priorizou a engenharia reversa do aroma, sabor, cor, teor de cafeína e sensação na boca do café usando ingredientes “reciclados”, ou seja, com ingredientes que não iriam para o consumo humano”. Se deu certo? Bem, os investidores pelo visto pensam que sim. Inclusive, no final do ano passado, a empresa recebeu um aporte de R$48,6 milhões!

agtech
Imagem extraída de

Veja Também: A engenharia e o terceiro setor no agronegócio brasileiro

Álcool sintético

Se essa história do café sem grãos é surpreendente, imagine o quão incrível seria tomar todas e não ter a sensação de que a cabeça vai explodir no dia seguinte?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Pois bem, o cientista britânico David Nutt, diretor do centro de neuropsicofarmacologia do Imperial College London, tem divulgado na imprensa a criação do “álcool sintético” e, consequentemente, o fim da ressaca. Essa substância milagrosa possui os mesmo efeitos do álcool comum, mas não dá ressaca, não lesiona fígado e — de acordo com expectativas otimistas de seu autor — pode substituir todas as bebidas convencionais até 2050.

A partir da molécula alcosynth, a iniciativa da empresa Gaba Labs propõe a imitar os elementos encontrados no álcool – sociabilidade, relaxamento e diversão – menos os efeitos prejudiciais à saúde, já que estaria livre de elementos tóxicos, que são prejudiciais ao fígado. A expectativa é que ela chegue ao mercado no prazo de cinco anos.

Então, o que achou destes curiosos experimentos de tecnologia agro? Acredita que estas duas bebidas teriam a mesma qualidade de sabor que tanto apreciamos nas versões “tradicionais”? Deixe a sua opinião nos comentários!


Fonte: Globo Rural.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Comentários

Engenharia 360

Paulo Moura

Jornalista. Sócio Diretor da Agência VIRTA.