Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Amigos criam máquina de lavar roupa que funciona sem água

por Clara Ribeiro | 15/08/2015
Copiado!

É inacreditável a quantidade de maneiras que a população tem criado para reduzir o gasto de água. No Brasil, a crise hídrica obriga a todos tomar mais consciência e fazer economia, além do reuso. A água utilizada na máquina de lavar roupas serve para lavar o quintal, por exemplo, mas mesmo assim, o gasto chega a 279 litros para cada 5 quilos de roupa. Mas, e se você tivesse a chance de lavar suas roupas sem precisar de água?
Quem teve essa ideia foi a dupla de amigos Nicolas Araya e Andrés Vuksanovic, estudantes do curso de Desenho Industrial da Universidade de Córdoba, na Argentina. Eles patentearam o protótipo de uma lavadora ecológica que não usa água, que leva o nome de Nimbus. A invenção surgiu para o trabalho de conclusão e com ela, eles obtiveram a maior nota.
maquinadelavaraseco-blog-da-engenharia
 
Há outros tipos de lavagem a seco, mas sem utilizar água alguma, a Nimbus é feita com material 100% reciclável e precisa somente de dióxido de carbono natural líquido (LCO2) e detergente reciclável e biodegradável – o dióxido de carbono é a mesma substância que faz os refrigerantes borbulharem!
As roupas devem ser imersas no LCO2 e então serão expostas a condições de pressão e temperatura, fator que impulsiona o mecanismo de limpeza. Todo o processo dura 30 minutos e, além de não fazer uso de água, o solvente utilizado é filtrado e purificado, podendo ser quase todo reutilizado nas próximas lavagens. Há um mínimo de perda de carbono, cerca de 0,0038% de líquido por ciclo de lavagem, mas a cada 45 dias é fornecido por um sistema de reabastecimento.
máquinadelavarecológica-blog-da-engenharia
 
Apesar de genial, o eletrodoméstico foi criado para ser uma máquina de lavar industrial, já que a sua capacidade de lavagem é de 20kg e seu valor de mercado é bem salgado: R$ 21 mil. Nicolas Araya, um dos inventores, ressalta que o valor é mais baixo do que os concorrentes, que custam entre R$ 25 mil e R$ 40 mil. Bom, nos resta esperar um incentivo para que a ideia seja reformulada para atender mais pessoas.

Copiado!
Engenharia 360

Clara Ribeiro

Jornalista especializada em arquitetura e engenharia. Ávida consumidora de informação; viciada em produzir conteúdo; amante das letras, das artes e da ciência.

Comentários