Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenharia 360

Estudo mostra que água subterrânea na África é resiliente a mudanças climática

Engenharia 360
por Larissa Fereguetti
| 14/08/2019 2 min

Estudo mostra que água subterrânea na África é resiliente a mudanças climática

por Larissa Fereguetti | 14/08/2019
Copiado!

Na África, a água subterrânea é uma importante fonte de abastecimento para a população, a qual sofre com escassez. Essas águas desempenham um papel central na sustentação do abastecimento de água e dos meios de subsistência na África Subsaariana devido à sua disponibilidade generalizada, geralmente alta qualidade e capacidade intrínseca de amortecer os episódios de seca e aumentar a variabilidade climática.

Atualmente, 1 a cada 3 pessoas não tem acesso à água potável na África Subsaariana. Como a água é essencial para a agricultura, sua falta faz com que a produção de alimentos para a população seja prejudicada, contribuindo para a fome nos países.

água subterrânea
Imagem: nationalgeographic.org

A boa notícia é que um estudo publicado na conceituada revista Nature mostrou que a água subterrânea no continente pode ser resiliente às mudanças climáticas. O que acontece é que, quando pensamos em água subterrânea, um dos primeiros fatores que consideramos no abastecimento dos reservatórios é a chuva. Com as mudanças climáticas, esse abastecimento pode ficar prejudicado.

Porém, o estudo mostra que, enquanto em áreas úmidas a água subterrânea é reabastecida principalmente pela chuva que se infiltra diretamente na superfície da terra, em regiões secas o que acontece é o reabastecimento predominantemente por vazamentos de córregos e lagoas temporárias. Além disso, a geologia local possui um papel na determinação da sensibilidade das taxas de reabastecimento às mudanças no clima.

água subterrânea
Imagem: kgou.org

A novidade deste estudo é justamente o fato de que os anteriores usavam modelos em larga escala e desprezavam a contribuição desse abastecimento de águas subterrâneas por córregos e lagoas, subestimando sua renovabilidade em áreas secas e sua resiliência à mudanças climáticas.

Conhecer esse processo permite desenvolver estratégias para melhorar o abastecimento de água. Nas regiões áridas, essas estratégias podem contribuir para a melhor gestão da água e, consequentemente, fornecer um abastecimento melhor para a população.

Referências: Science Daily.

Copiado!
Engenharia 360

Larissa Fereguetti

Doutoranda, mestre e engenheira. Fascinada por tecnologia, curiosidades sem sentido e cultura (in)útil. Viciada em livros, filmes, séries e chocolate. Acredita que o conhecimento é precioso e que o bom humor é uma ferramenta indispensável para a sobrevivência.

Comentários