Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Engenharia 360

As 5 patologias mais comuns da construção civil

Engenharia 360
por Matheus Martins
| 24/03/2020 4 min

As 5 patologias mais comuns da construção civil

por Matheus Martins | 24/03/2020
Copiado!

O termo patologia tem origem grega, e seu significado é “estudo das doenças”. O termo é muito utilizado na medicina, no entanto, na construção civil, o termo é análogo. As patologias de construção civil se referem às “doenças” das construções.

As patologias existentes são inúmeras e podem ter diversas origens. A ocorrência de patologias é muito comum. Algumas são naturais e surgem devido ao tempo de uso das edificações, já outras, ocorrem em função de falhas construtivas ou de concepção de projeto.

Uma edificação com patologia pode ser desagradável, gerando um desconforto visual e até psicológico. Além disso, existem custos para reparos que podem ser mais desagradáveis ainda.

As patologias podem ter surgimento de causas variadas. A origem pode se dar por má execução ou execução equivocada, por emprego de materiais de baixa qualidade ou por falha de projeto.

parede branca com mancha de mofo representando patologias da construção
Ocorrência de manchas características de umidade. Imagem: forumdaconstrucao.com.br

Por exemplo, pense no surgimento de mofo em uma parede como na imagem acima. A ocorrência poderia ser por falta de impermeabilização (má execução), ou por impermeabilização ineficaz (material de baixa qualidade) ou simplesmente por um beiral curto (falha de projeto).

Essa constatação escancara a complexidade do assunto. Não é trivial avaliar patologias de edificações. Elas podem ser de vários tipos e ter vários motivos para surgimento. Por isso é importante contar sempre com um profissional de boa capacidade técnica.

As patologias variam de acordo com o tipo de obra, o sistema construtivo, a região da locação e outros aspectos. Contudo, de modo geral, podemos listar as principais:

1. Fissuras, trincas e rachaduras

As fissuras podem surgir de maneira pacífica. Sua espessura pode atingir até 0,5 mm. A manifestação ocorre nas faces de alvenaria: nos tijolos ou nas juntas alvenaria/estruturas; e também nas argamassas (reboco), em virtude da retração do material.

As trincas já caracterizam uma separação do material em partes, uma fragmentação propriamente dita. As trincas podem atingir os elementos estruturais, comprometendo assim a segurança e estabilidade. Embora haja risco, visualmente é quase imperceptível, tendo limite de espessura entre 0,5 a 3 mm.

parede de concreto com uma mão sobre uma rachadura
Rachadura. Imagem: plantasdecasas.com

Já as rachaduras, representam um estado agravado de ruptura dos materiais. Ocorrem em função da incapacidade de resistência do material com as cargas que a estrutura deve suportar. São fragmentações nos elementos construtivos que pode inviabilizar uma edificação e tem risco de nível grave. Por sua espessura ser superior a 3 mm, é possível a passagem da luz, o que acentua a gravidade.

2. Manchas

As manchas são um tipo de patologia muito ligadas à umidade. A umidade pode se manifestar em diversos elementos prediais – pisos, fachadas, paredes, estrutura, forro, e outros. As causas podem ser várias. A mancha característica de umidade pode surgir pela chuva e encontrar falhas de impermeabilização/estanqueidade; ou podem surgir pelo mecanismo de capilaridade a partir da fundação; podem surgir também por vazamento nas instalações hidráulicas; entre outras possibilidades.

mulher olhando para mancha de umidade em parede
Manchas de características de umidade. Imagem: agazeta.com.br

3. Eflorescência

As eflorescências são manchas em geral de aparência branca, que surgem nas superfícies. Elas ocorrem em virtude do mecanismo de capilaridade da umidade conseguir transportar sais solúveis presentes nos materiais de construção, se depositando por fim nas superfícies.

mancha branca de eflorescência em parede de concreto
Eflorescência. Imagem: amazonaws.com

4. Corrosão das armaduras

A corrosão das armaduras é uma das patologias mais comuns nas obras. A corrosão ocorre geralmente pela formação de cloreto no concreto ou na diminuição do pH do concreto, o que deixa a armadura desprotegida e então ocorre a corrosão da armadura. A corrosão é perigosa, especialmente por dois motivos: diminui a seção útil da armadura, logo, sua capacidade estrutural; e também, pode ocasionar o desplacamento do concreto, devido a expansão de volume.

pilar com rachadura por expansão de armadura com corrosão
Corrosão da armadura. Imagem: cimentomaua.com.br

5. Deterioração do concreto

A deterioração do concreto trata-se pela perda da capacidade de resistência, em função da forma aglutinada entre o cimento e os demais agregados. É quando a pasta de cimento se desfaz. As causas para esta patologia podem ser várias: causas mecânicas como choques ou também recalque de fundações; origem por retração hidráulica ou por dilatação térmica; também existem as causas químicas como a famosa reação álcalis-agregado (RAA) ou a presença de cloretos.

concreto desagregado
Concreto desagregado. Imagem: pinimg.com

Conclusão

Existem diversos estudos e estratégias para mitigação das ocorrências de patologias. Em especial, no Brasil, existe a norma de desempenho (NBR 15575). Esta norma estabelece parâmetros mínimos para o desempenho das edificações, desde a durabilidade até manutenibilidade.

É importante ressaltar o papel da manutenção predial. A manutenção é um procedimento padrão para manter as edificações em boas condições e obter maior durabilidade em condições confortáveis.

Fonte: Sienge, UFSM, UOL.

Copiado!
Engenharia 360

Matheus Alves Martins

Mestrando em Ciência dos Materiais, Engenheiro Civil, MBA em Gestão de Projetos e Auditor Líder ISO 9001:2015. Um sul-mato-grossense entusiasta da gestão, da qualidade e da inovação na indústria da construção. Fã de tecnologias e eterno estudante de engenharia.

Comentários