Engenharia 360

Construção civil: saiba como ocorre o reaproveitamento de materiais

Imagem padrão usuário
por Fabio Doom
| 19/07/2016 | Atualizado em 12/07/2023 4 min
Imagem de Jan-Mallander em pixabay

Construção civil: saiba como ocorre o reaproveitamento de materiais

por Fabio Doom | 19/07/2016 | Atualizado em 12/07/2023
Imagem de Jan-Mallander em pixabay
Engenharia 360

É um fato incontestável que toda construção gera uma quantidade significativa de resíduos. Se em uma pequena obra já é necessário considerar o reaproveitamento dos materiais, imagine em um edifício ou empreendimento de grande porte?

reaproveitamento de materiais
Imagem de blende12 em pixabay

Essa questão ainda intriga muitas pessoas, inclusive aqueles responsáveis pelo gerenciamento dos resíduos nesses locais. Geralmente, tudo é simplesmente descartado em uma caçamba contratada, que é levada embora sem que se saiba qual será o destino final.

Devido à falta de informação e à má conduta, muitos acabam despejando os entulhos em terrenos baldios, locais abandonados e até mesmo em calçadas, o que agrava ainda mais o problema. Mas como podemos otimizar esse processo para promover o reaproveitamento correto e consciente dos materiais da construção civil?

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

Confira: O que é Construção Civil? Clique e descubra!

O que fazer para ter o reaproveitamento dos materiais na construção civil?

reaproveitamento de materiais
Imagem de FlorinBirjoveanu em pixabay

De acordo com dados da Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição (ABRECON), cerca de 50% dos resíduos gerados em obras são desperdiçados. Esses resíduos englobam diversos materiais, como cerâmicas, argamassa, concreto, aço, madeira, pedras, tijolos, tintas, entre outros.

O Brasil é um dos principais produtores de entulho do mundo, com uma média de 850.000 toneladas por mês, enquanto no Japão essa quantidade chega a 6.000 toneladas. Muitos países estão enfrentando esse problema ambiental e estão investindo cada vez mais em políticas de reciclagem, especialmente na reutilização desses resíduos em outros projetos.

Veja Também: Construções Relâmpago: 10 Projetos Erguidos em Tempo Recorde

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

No Brasil, desde 2004, uma lei proíbe o descarte de resíduos da construção civil em aterros sanitários, obrigando cada município a tomar suas próprias decisões sobre a melhor forma de lidar com esses materiais. No entanto, segundo especialistas, essa lei ainda é vaga e não oferece uma solução definitiva para o problema, pois separa os materiais em vez de promover sua reutilização.

A realidade é que um bom reaproveitamento dos materiais da construção civil requer o envolvimento consciente de várias partes interessadas, começando pela empresa responsável pelo projeto. Em primeiro lugar, é importante realizar uma desmontagem controlada, em vez de uma demolição, para evitar a mistura indiscriminada dos materiais e permitir uma separação preliminar adequada.

Além disso, é necessário investir em educação e conscientização para que os trabalhadores compreendam a importância real de utilizar todos os recursos disponíveis ou, pelo menos, descartá-los adequadamente nas caçambas designadas. Em seguida, é preciso ter locais apropriados para o destino desses materiais, bem como uma infraestrutura de separação adequada, que envolve a cooperação entre a prefeitura e as empresas de coleta. Por fim, é fundamental saber como reciclar e utilizar os resíduos restantes da melhor maneira possível.

Como é a regulamentação para o reaproveitamento dos materiais na construção civil?

reaproveitamento de materiais
Imagem de Inactive account – ID 652234 em pixabay

Atualmente, as leis brasileiras restringem o reaproveitamento de materiais da construção civil apenas na manutenção de estradas de terra e aterros, embora algumas cidades estejam observando um crescimento tímido na adoção de construções sustentáveis. No entanto, esse progresso é insignificante em comparação com a escala do país e o número de empreendimentos construídos diariamente.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

De acordo com o site Tera Ambiental, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS ou Lei 12.305/2010) já está em vigor e regulamenta o manejo ambientalmente correto dos resíduos sólidos, incluindo o reaproveitamento de materiais da construção civil, estabelecendo metas de reutilização, redução e reciclagem.

Para que essa política seja regulamentada e efetivamente implementada, é necessária a participação de diversos setores da sociedade, especialmente grandes construtoras e empresas do ramo. No entanto, o problema reside no fato de que essa abordagem não é lucrativa e requer cuidados adicionais, como o cumprimento de normas específicas, o que nem sempre é atraente para as partes envolvidas.

Como mudar a questão sustentável na construção civil?

Não podemos ignorar a existência desse problema e acreditar que o entulho simplesmente desaparecerá. Investir na reciclagem é fundamental não apenas para o meio ambiente, mas também para a economia e para a utilização em obras públicas, moradias populares e muitas outras possibilidades.

Essa mudança não deve ser responsabilidade apenas das prefeituras; a população deve exigir medidas sérias, pois se trata de um interesse comum que pode beneficiar tanto a economia quanto afetar diretamente a vida das pessoas. O aumento dos resíduos resulta em maior poluição e outros inconvenientes.

Embora algumas cidades já estejam implementando políticas cada vez mais avançadas de reaproveitamento de materiais, como é o caso de Belo Horizonte, é necessário considerar o quadro geral, buscando inspiração em propostas de outros países, como os Estados Unidos, onde essa prática já faz parte de um sistema consolidado de reciclagem. Além disso, é importante investir em novas abordagens para reduzir os impactos desse sério problema social.

Se você quiser saber mais sobre como algumas usinas estão reciclando o entulho das obras, confira esta reportagem da Globo News:

Veja Também:


Imagens: Todos os Créditos reservados aos respectivos proprietários (sem direitos autorais pretendidos). Caso eventualmente você se considere titular de direitos sobre algumas das imagens em questão, por favor entre em contato com [email protected] para que possa ser atribuído o respectivo crédito ou providenciada a sua remoção, conforme o caso.

Comentários

LEIA O PRÓXIMO ARTIGO

Continue lendo