Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Por que vale a pena investir em um computador workstation?

por Engenharia 360 | 03/06/2020
Copiado!

Na engenharia, a gente sabe que quase sempre é necessário um computador mais potente para rodar os programas que trabalhamos diariamente. É aí que surge a pergunta: será que vale a pena comprar uma workstation? Neste texto, nós vamos explicar o que é essa máquina e mostrar como ela pode ser essencial em alguns casos.

Quando um computador comum não é suficiente?

Não é só quem é da área de civil ou da arquitetura que usa programas como os de CAD, CAD 3D, renderização e semelhantes. Alguns exemplos são: quem trabalha com modelagem de produtos (como na mecânica, controle e automação e outras); quem faz simulações de diferentes modelos (como nas engenharias de computação, de software, etc.); quem usa programas de GIS (muito usados na ambiental, florestal e mais algumas) e dentre outros exemplos.

Nesse sentido, nem sempre um computador comum (notebook ou desktop) pode dar conta do recado. Talvez, se for um programa só, ele até aguente por um tempo, mas quando o uso é sobreposto, nem sempre a máquina entrega o desempenho desejado. É nessas horas que você deseja ter um computador mais poderoso, seja em casa ou no escritório.

thinkstation P330 lenovo workstation em cima de mesa com software para engenharia

O que é uma workstation?

Uma workstation (estação de trabalho, em português), é um computador com desempenho acima do normal. Ao contrário do que muitos pensam, não é uma CPU com peças poderosas, as workstations têm uma tecnologia diferenciada que permite que a máquina tenha uma alta capacidade de processamento (incluindo parte gráfica) e trabalhe dias seguidos sem necessitar ser desligada.

O uso dessas máquinas é normalmente feito por profissionais como engenheiros, arquitetos, físicos, matemáticos, projetistas industriais e outros. Mas isso não significa que você só vai ter uma workstation no escritório, principalmente com o grande número de pessoas trabalhando de casa (seja pela pandemia ou não). É um uso diferente de quem gosta de jogar, por exemplo, que procuraria um computador gamer específico para atender suas necessidades nos jogos.

Quais os diferenciais de uma workstation?

Como nós já citamos, as workstations são desenvolvidas para entregar mais desempenho em diversos usos e sua tecnologia é diferenciada. Elas também possuem construção modular, na qual cada um dos componentes é projetado já levando em consideração a expansão dos elementos. Isso permite a configuração independente de cada parte da workstation.

Para começar, a placa-mãe normalmente é feita com materiais que são mais resistentes e de melhor qualidade. Ainda, ela tem mais slots para memória RAM, bem como soquetes para processadores que possuem alta potência.

thinkstation P330 lenovo workstation em cima de mesa mulher usando olhando para tela

Por falar em memória RAM, ela é bem maior em workstations. Ela pode variar entre 16 e chegar até a impressionantes 1.5TB. As memórias também costumam ter a tecnologia Error Correcting Code (ECC, ou Código de Correção de Erros, em português), a qual, como o nome já diz, corrige os erros e melhora a estabilidade do computador (e evitando aqueles erros ou travamentos que te deixam desesperado quando você não salvou o projeto ou quando a simulação estava no final, por exemplo).

No quesito processador, uma workstation pode ter mais de 36 núcleos. Eles costumam ser processadores de servidor. Para aguentar tudo isso, o sistema de refrigeração também é mais potente, reduzindo o aquecimento de forma ideal para o funcionamento da máquina.

Ainda, há uma questão muito importante: a certificação Independent Software Vendors (ISV – Fornecedores Independentes de Softwares, em português). Elas garantem que os softwares sejam executados de forma confiável naquele hardware, e dão respaldo quando você precisa de ajuda do suporte do software.

workstation lenovo

E o preço?

Com tanto poder, obviamente uma máquina como uma workstation tem um preço mais elevado. Porém, dependendo da finalidade, acaba se tornando um investimento. É preciso colocar no papel a questão custo x benefício ao analisar a compra de uma workstation.

Vale lembrar que o investimento não é só na máquina em si. Você vai precisar de equipamentos adequados, como talvez um sistema de refrigeração do ambiente (se forem muitas máquinas trabalhando em um local só, por exemplo), um nobreak para que a máquina continue executando no caso de falha de energia (quando ela precisa ficar ligada 24 horas), instalação elétrica adequada, etc.

Conhecendo uma workstation: o exemplo da Thinkstation P330

A ThinkStation P330 é uma workstation da Lenovo com fabricação nacional (o que significa que você não precisa importar a máquina). Ela possui certificação ISV para os principais fabricantes de software (como Altair HyperWorks; Autodesk Alias; Autodesk AutoCAD; Autodesk Inventor; Autodesk Revit; AVEVA PDMS; Bentley MicroStation; Dassault Catia; Dassault SOLIDWORKS; Nemetschek Vectorworks PTC Creo; Siemens NX, Teamcenter, Tecnomatix; Siemens Solid Edge).

workstation lenovo

A ThinkStation P330 é compatível com até a NVIDIA® Quadro RTX™ 4000, capacidade VR-Ready (compatibilidade com realidade virtual) e para tecnologias de armazenamento de ponta. Há suporte de armazenamento M.2 direto na placa de sistema (o que pode proporcionar mais velocidade) e memória Intel Optane™.

Os processadores são da mais recente geração de Intel Xeon ou Intel Core, com velocidades de até 5GHz. Tudo isso proporciona um desempenho muito maior para execução de tarefas de engenharia e arquitetura, softwares considerados “mais pesados”, simulações que demandam muito da máquina, edição de áudio e vídeo, etc.

banner thinkstation P330 lenovo workstation

Ficou curioso? Você pode acessar o site da Lenovo para conferir as demais especificações técnicas da máquina.

E você, já pensou em investir em uma workstation? Conta para a gente nos comentários!

Copiado!
Engenharia 360
Artigo Patrocinado

Comentários