Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Tricotando robôs: Pesquisadores programaram máquinas de costura para fazer objetos macios e acionáveis.

por Kamila Jessie | 16/05/2019
Copiado!

Já pensou em máquinas de costura que fabricam brinquedos acionados por tendões? Pois bem, pesquisadores da Carnegie Mellon University usaram máquinas de tricotar controladas por computador para criar brinquedos de pelúcia e outros objetos de malha que são acionados por tendões. É uma abordagem que eles dizem que um dia poderá ser usada para fabricar, de forma mais barata, robôs flexíveis e tecnologias acopladas a roupas. A gente explica!

tricotando robôs
Imagem: hcii.cmu.edu

Máquinas de costura conectadas a computadores

O software desenvolvido por pesquisadores do Morphing Matter Lab e do Dev Lab no Instituto de Interação Humano-Computador da CMU possibilita que os objetos saiam das máquinas de tricô nas formas desejadas e com os tendões já incorporados. Eles podem então ser recheados e os tendões presos aos motores, conforme necessário.

A técnica de inclusão de tendões envolveu a criação de abajures que mudam de forma, pelúcias que dão abraços quando são cutucadas na barriguinha e até um suéter com uma luva que se move por conta própria. Embora em grande parte fantasiosos, esses objetos demonstram recursos que podem ter aplicações sérias, como robôs flexíveis.

Tricotando robôs no futuro

A ideia dos pesquisadores, em um cenário futuro, é construir robôs ou incorporar tecnologias diversas a partir de materiais que sejam seguros para as pessoas conviverem e usarem no dia a dia, talvez até mesmo nas roupas. Como? Mochilas que se abrem, camisetas com botões para chamar atenção, etc.

tricotando robôs
Imagem: morphingmatter.cs.cmu.edu

As máquinas comerciais de tricô são bem desenvolvidas e amplamente utilizadas, mas geralmente requerem programação minuciosa para cada peça de roupa. Mas isso não foi problema para a equipe de pesquisadores!

Funções dos objetos tricotados com tendões

Eles desenvolveram métodos para incorporar trajetos de tendões horizontal, vertical e diagonalmente em folhas de tecido e tubos. Eles mostraram que a forma do tecido, combinada com a orientação do caminho do tendão, pode produzir uma variedade de efeitos de movimento, incluindo curvas em S e torções. A rigidez dos objetos pode ser ajustada enchendo-os com vários materiais, como fio acolchoado de poliéster, fios de seda pura e monofilamento de nylon.

Além de atuar os objetos, essas técnicas também podem adicionar recursos de detecção a objetos. Ao ligar sensores a cada tendão, por exemplo, é possível sentir a direção na qual o objeto está sendo dobrado ou torcido.

A impressão 3D já está sendo usada para fabricar objetos personalizados e componentes robóticos, mas os materiais para isso frequentemente são de aquisição um pouco difícil. A malharia controlada por computador tem o potencial de expandir as possibilidades e tornar os resultados mais amigáveis ​​para as pessoas. Não sei quanto a vocês, mas eu já quero tecer objetos sensíveis e com mobilidade.

Fonte: Morphing Matter Lab.

Copiado!
Engenharia 360

Kamila Jessie

Engenheira ambiental e sanitarista, MSc. e atualmente doutoranda em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo. http://orcid.org/0000-0002-6881-4217

Comentários