Engenharia 360

ESCOLHA A ENGENHARIA
DO SEU INTERESSE

Digite sua Busca

Rede de fast food totalmente robotizada chega a São Paulo

por Clara Ribeiro | 11/05/2021

A Pandemia do novo coronavírus e as medidas de seguranças impostas pelo governo para frear a propagação da Covid-19 trouxeram à tona uma outra necessidade: diminuir aglomerações e garantir processos ainda mais automáticos.

Nesse ínterim, surgiu uma rede de fast food totalmente robotizada em São Paulo, a primeira do Brasil, diga-se de passagem. Nela, o atendimento e a preparação dos lanches acontecem sem qualquer intervenção humana.

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

A responsável pela novidade é a empresa Bionicook, que chegou ao Brasil após oito anos de pesquisa e desenvolvimento. Atualmente há uma loja da rede no Aeroporto Internacional de Guarulhos, aberta em abril de 2021. 

robotização
Imagem extraída de Industrial Meeting

O atendimento é diferenciado, pois o consumidor faz seu pedido por meio de uma tela touchscreen e após a confirmação do pagamento, o robô começa o preparo do lanche. 

O cardápio atual conta com 18 opções de lanches ofertados pela rede de fast food totalmente robotizada e 15 bebidas variadas. 

Todavia, mesmo sem atividade humana no atendimento e preparo do lanche, a empresa gera empregos através de outras tarefas executadas como por exemplo:

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

  • Fabricação dos lanches congelados;
  • Assistência técnica;
  • Reabastecimento;
  • Higienização da máquina;
  • Suporte 24 horas; 
  • Entre outros.

Vale dizer que o sistema de atendimento robotizado já é algo conhecido dos brasileiros, bem como de pagamentos. Muitas outras grandes empresas do ramo alimentício também já incluíram esses sistemas em suas unidades.

Entretanto, a nova lanchonete propõe que até mesmo o preparo dos lanches seja feito pelas máquinas! Portanto, a maior parte das atividades está sendo robotizada!

robotização
Imagem extraída de Mind7 Startup

Qual a razão de robotizar o fast food?

A ideia da Bionicook surgiu em 2014, quando o empresário Fabio Rezler foi operacionalizado no modelo tradicional de atendimento, como a maioria dos fast foods

Contudo, Rezler enxergou a necessidade de oferecer algo surpreendente. A partir daí pensou em proporcionar uma experiência diferenciada aos consumidores.

O empresário afirma que o modelo de lojas próprias oferece aos investidores uma perspectiva de ganhos, em um prazo de cinco anos, entre seis e dez vezes o valor investido inicialmente. 

“Trabalhamos duro para fazer a Bionicook atingir todos os níveis de excelência de um grande negócio. Especialmente agora em tempos de pandemia e atendendo às recomendações de segurança por conta do novo coronavírus. A Bionicook tornou-se uma opção de lanche ideal para locais de alto fluxo de pessoas.” – Rezler, em reportagem de Olhar Digital.

Robôs contra o coronavírus 

E o uso de robôs durante a Pandemia não para por aí! Visando deixar aviões mais seguros contra o coronavírus, a empresa suíça Uveya está desenvolvendo uma tecnologia que usa as máquinas com luz ultravioleta para desinfetar as aeronaves

PUBLICIDADE

CONTINUE LENDO ABAIXO

robotização
Imagem extraída de Yahoo Finanças

A empresa Uveya busca demonstrar aos passageiros que o local foi completamente limpo antes de fazer uma nova viagem!

A Uveya está realizando testes com a tecnologia em modelos da Helvetic Airways e constatou-se que os robôs conseguem desinfetar totalmente as aeronaves de um corredor em 13 minutos utilizando-se dos raios ultravioletas. 

E então, o que achou de ter uma rede de fast food totalmente robotizada aqui no Brasil? Deixe o seu comentário e compartilhe com quem precisa saber disso!


Fonte: Olhar Digital.

Comentários

Engenharia 360

Clara Ribeiro

Jornalista especializada em arquitetura e engenharia. Ávida consumidora de informação; viciada em produzir conteúdo; amante das letras, das artes e da ciência.